LIVRO PARAESCOLAR DA EDUCAÇÂO MATEMÁTICA EM PERSPECTIVA: O SUJEITO DO GRÁFICO-VISUAL E DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DESENVOLVENDO APRENDIZAGEM

Cales Alves da Costa Junior

Resumo


Este artigo apresenta alguns resultados da pesquisa intitulada “Entre o Preto-e-Branco e o Colorido: análise das formas e funções dos livros paraescolares da Matemática” relacionados às perspectivas do desenvolvimento dos paraescolares da Educação Matemática pelos(as) profissionais do gráfico-visual e da Educação Matemática. Em uma pesrpectiva qualitativa, usamos procedimentos de coleta e fonte de informação de abordagem documental, pois os objetos de análise foram os livros paraescolares da Educação Matemática (LPEM). Realizamos visitas em escolas, acervos digitais, bibliotecas particulares e públicas para localizar os referidos livros. Enquanto paraescolar, esse tipo de livro tem forma que expressa dimensão conceitual integradora de funções e de ambientes de aprendizagem não escolar e escolar para educar. Para essa função educativa, foi decisiva a relação entre educador(a) matemático e o(a) artista gráfico-visual. Expressamos nesse texto as ideias das formas dos LPEM, dos tipos de imagens percebidas nos gráfico-visuais, de algumas relações e mudanças provocadas pelos(as) sujeitos. Por conta desse remix de ideias, o LPEM é operacionalizado em qualquer que seja o local da sociedade, por qualquer que seja o sujeito, escolar ou não escolar, que deseja aprender as práxis da Educação Matemática e suas operações em questões, histórias e linguagem, bem como outras práxis interrelacionadas da sociedade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/asppdci.v1i13.4674

Apontamentos

  • Não há apontamentos.