MEMÔRIA VISUAL: DO EXERCÍCIO DO DESENHO À APRENDIZAGEM DO CORPO HUMANO NA FORMAÇÃO DE FISIOTERAPEUTAS

Josemar Blures de Souza Dias

Resumo


O presente estudo é uma reflexão contida na pesquisa de mestrado intitulada DESENHO E FISIOTERAPIA: a contribuição do exercício do desenho para o aprendizado da cinesiologia defendida e aprovada no ano de 2015, e esta vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Desenho, Cultura e Interatividade – PPGDCI, da Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS, no Estado da Bahia. A comunicação que apresentamos, expõe um dos itens de revisão bibliográfica que sustentam a discussão da transdisciplinaridade inerente ao Desenho, a Memória e a Fisioterapia. Constatamos que à formação dos fisioterapeutas em instituições brasileiras, utilizam da representação gráfica para orientar o aprendizado sobre o corpo humano, sendo a visualização repetitiva e a leitura de Desenhos a forma mais comum de utilização deste recurso para o alcance da aprendizagem do corpo humano e de sua anatomia. Para este caso, levantamos a necessidade da inserção do exercício do Desenho para o estabelecimento mais efetivo do aprendizado de estruturas anatômicas, discutidos na disciplina de cinesiologia. A ênfase que damos a memória visual, parte da relação durante o processo de aprendizagem, uma vez que a visualização de formas, contornos, cores, dimensões, aliado ao exercício de desenho, estabelece o desenvolvimento do aprendizado visual sobre o corpo humano e de suas estruturas orgânicas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/asppdci.v0i14.5043

Apontamentos

  • Não há apontamentos.