Evolução Orbital dos Exoplanetas (TRAPPIST-1e e TRAPPIST-1g) que estão na Zona Habitável da Estrela TRAPPIST-1

Samara Rebeka Pita Maciel, Jean Paulo dos Santos Carvalho

Resumo


A abordagem central baseia-se no problema de três corpos, em que é analisada a dinâmica secular de um sistema composto por uma estrela central e dois planetas sob influência gravitacional mútua, considerando a perturbação devido ao efeito da atração gravitacional do terceiro corpo em órbita elíptica e inclinada até a terceira ordem do potencial perturbador. Apresentamos uma análise da evolução orbital dos exoplanetas que estão na zona habitável da estrela. O software Maple é usado para fazer as integrações numéricas, outro software também utilizado é o Universe Sandbox para comparar o resultado obtido das integrações das equações analíticas devido a perturbação do terceiro corpo. Mostramos que os exoplanetas (TRAPPIST-1e e TRAPPIST-1g) que estão na zona habitável da estrela TRAPPIST-1 permanecem dentro da zonal habitável ao longo do tempo.

Palavras-chave


exoplaneta; habitabilidade; evolução orbital.

Texto completo:

(ARTIGO EM PDF)

Referências


A.P. Lincowski, V.S. Meadows, D. Crisp, T.D. Robinson, R. Luger, J.L. Yaeger, G.N. Arney, Evolved Climates and Observational Discriminants for the TRAPPISTg-1 Planetary System. The Astrophysical Journal 867, (1) 76 (2018).

J.P.S. Carvalho, R.V. Moraes, A.F.B.A. Prado, O.C. Winter, Analysis of the secular problem for triple star systems. Journal of Physics: Conference Series 465, (1) (2013).

M. Gillion, A.H.M.J. Triaud, B.-O. Demory, E. Jehin, E. Agol, NASA, University of Bern, STAR Institute. Trappist-1 (2017).

T.J. Henry, W.-C. Jao, J.P. Subasavage, et al.. Astronomical Journal 132, 2360 (2006).

S. Ballard, J.A. Johnson. Astrophysical Journal 816, 66 (2016).

M. Gillion, A.H.M.J. Triaud, B.-O. Demory, et al.. Nature 542, 456 (2017).

C.D. Dressing, D. Charbonneau. Astrophysical Journal 807, 45 (2015).

S.L. Grimm, B.O. Demory, M. Gillon, et al., The nature of the TRAPPIST-1 exoplanets. Astronomy and Astrophysics 613, (2018).

S.S. Fernandes, M.C.F.P.S. Zanardi, Fundamentos de Astronáutica e suas Aplicações. vol.2. São Paulo: EdUFABC (2018).

V.I. Arnold, V.V. Kozlov, A.I. Neishtadt, Mathematical Aspects of Classsical and Celestial Mechanics. Berlin: Springer-Verlag (2006).

A.F.B.A. Prado, Trajetórias Espaciais e Manobras Assistidas por Gravidade. São José dos Campos: INPE (2001).

M. Valtonen, H. Karttunen, The Three-Body Problem. Cambridge: Cambridge University Press (2006).

J.P.S. Carvalho, R.V. De Moraes, A.F.B.A Prado, D.C. Mourão, O.C. Winter, Analysis of the orbital evolution of exoplanets. Computational & Applied Mathematics 35, 847 (2016).

M. Gillon, E. Jehin, S.M. Lederer, L. Delrez, J. Wit, A. Burdanov, V.V. Grootel, A.J. Burgasser, A.H.M.J. Triaud, C. Opitom, B.O. Demory, D.K. Sahu, D.B. Gagliun, P. Magain, D. Queloz, Temperate Earth-sized planets transiting a nearby ultracool dwarf star. Nature 533, 221 (2016).

J.P.S. Carvalho, D.C. Mourão, R.V. Moraes, A.F.B.A. Prado, O.C. Winter, Exoplanets in binary star systems: on the switch from prograde to retrograde orbits. Celestial Mechanics and Dynamical Astronomy 124, (1) 73 (2016).

R.S. Harrington, Dynamical evolution of triple stars. The Astronomical Journal 73, (3) 190 (1968).

T. Yokoyama, Possible effects of secular resonances in phobos and triton. Planetary and Space Science 50, (1) 63 (2002).




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/sscf.v16i0.6010

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Sitientibus Série Ciências Físicas