Contação de histórias e a identidade feminina

Mônica de Santana Dias, Terezinha Oliveira Santos

Resumo


Este trabalho tem como objetivo compreender a relação entre a identidade feminina apresentada nos contos feministas e as ideias difundidas pelo feminismo da primeira onda. Tendo em vista que, os contos são inspirados pela realidade cultural e social dos povos, colaborando para/ na formação de identidades culturais e a contação de história, como uma arte de difusão de valores, favorece a transmissão de conhecimentos sobre a realidade da mulher em diferentes civilizações colaborando para a conscientização e o sentimento de pertencimento dos ouvintes. Por isso, neste estudo procura-se, de uma forma breve, entender como a contação de história através dos contos pode colaborar para uma nova perspectiva com relação à posição feminina na sociedade, por meio dos estudos da identidade cultural de Hall (2005), dos saberes sobre contação de história com Sisto (2005) e Pinto (2010) que trata do feminismo entre outros autores que abordam o tema proposto.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRUETTO, M. T.; CACCIARRO, C. Por uma literatura sem adjetivos. São Paulo: Pulo do Gato, 2012.

ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1997.

BARBOSA, A. A Literatura Infantil e a construção da identidade feminina e masculina. In: V Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, UFBA, Salvador, Bahia, Brasil, 2009. Disponível em: Acesso em: 19 nov. 2018.

BETTELHEIM, B. A psicanálise dos contos de fadas. Trad. Arlene Caetano. 16 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

CANDIDO, A. O direito à literatura. In: Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades/Ouro sobre Azul, 2011, p.171-193.

CORSO, D. L.; CORSO M. Fadas no divã. A psicanálise nas histórias infantis. Porto Alegre: Artmed, 2006.

HALL, S. A identidade na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 10 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

MONTEIRO, K. F.; GRUBBA, L. S. A luta das mulheres pelo espaço público na primeira onda do feminismo: de suffragettes às sufragistas. Direito e Desenvolvimento, v. 8, n. 2, p. 261-278, 2017.

PINTO, C. R. J. Feminismo, história e poder. In: Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 18, n. 36, p. 15-23, Jun. 2010. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rsocp/v18n36/03.pdf >. Acesso em: 19 nov. 2018.

PHELPS, E. J. (Org.) Chapeuzinho Esfarrapado e outros contos feministas do folclore mundial. São Paulo: Seguinte, 2016.

PONDÉ, G. Releituras do feminino na literatura infantil. VIDYA, v. 19, n. 33, p. 9, 2015. Disponível em: Acesso em: 27nov. 2018.

SISTO, C. Contando a gente acredita. SISTO, Celso. In: Textos e pretextos sobre a arte de contar histórias, v. 2, 2005. Disponível em: Acesso em: 27nov. 2018.

SISTO, C. Contar histórias, uma arte maior. Memorial do Profiler: Joinville e resumos do Seminário de Estudos da Linguagem. Joinville, UNIVILLE, p. 39-41, 2007. Disponível em: Acesso em: 27 nov. 2018.

SISTO, C. Textos e pretextos sobre a arte de contar histórias. 3. ed. Belo Horizonte: Aletria, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v21i2.5808

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Universidade Estadual de Feira de Santana

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973