Travessias e interações sócio-verbais com práticas de escrita em weblog pessoais

Robério Periera Barreto

Resumo


Este texto se inscreve como proposta que prioriza a interação sócio-verbal na escrita do weblog, por se compreender que, nessa tecnologia intelectual há um modus de produção de linguagem multimodais e discursivas, por meio da qual, a conexão e a interação entre os escreventes/interagentes se completam e se solidificam através de práticas de escritas interativas. Relações sociais permitem as travessias discursivas, tendo como ponto de ancoragem os gêneros textuais realizados nos ambiente do weblog. Isto ocorre devido ao acordo estabelecido entre os participantes dessas comunidades que, falando o mesmo código e partilhando o capital social e linguístico nela existente se tornam viajantes no oceano de linguagens da web.  


Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1981.

______. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 2003.

______. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo: UNESP, 1998.

BARRETO, Robério Pereira. Tecnologias intelectuais chat e weblog: modus de produção de linguagem na web (dissertação de mestrado). Salvador – Departamento de Educação – Programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade – Universidade do Estado da Bahia – Uneb – Campus I – Salvador-BA.

CALLIGARIS, Contardo. Hello Brasil! Notas de um psicanalista europeu viajando ao Brasil. São Paulo: Escuta, 1992.

CAPRA, Fritjof. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: cultrix, 1996.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era da informação: econômica, sociedade e cultura. São Paulo: Paz & Terra, 1990.

DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard. Relato da elaboração de uma sequência: o debate público. In. ROJO, Roxane et al. (org.) Gêneros orais e escritos na escola. Campina –SP, Mercado de Letras, 2004, p. 213 - 239.

HABERMAS, Jürgen. Teoria de la acción comunicativa: complementos y estúdios previos. Brasiliense, 1990.

LÉVY, Pierre. O que é o virtual? Rio de Janeiro: Editora 34, 1996.

MARQUES, Mario Osório. A escola no computador:linguagens rearticuladas, educação Outra. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 2003.

NARASIMHAN, R. Cultura escrita: caracterização e implicações. In: OLSON, David; OLSON, David. A escrita como atividade metalinguística. In: OLSON, David; OLSON, David; TORRANCE, Nancy. Cultura escrita e oralidade. São Paulo; Ática, 1995.

ONG, Walter. Oralidade e cultura escrita. São Paulo; Papirus, 1994.

ROJO, Roxane et al. (org.) Gêneros orais e escritos na escola. Campina –SP, Mercado de Letras, 2004.

SCHAFF. Adam. A sociedade informática. 4. ed. São Paulo: Brasiliense 1995.

XAVIER, Antônio Carlos. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção do sentido. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004.

_______. O hipertexto na sociedade da informação: a constituição do modo de enunciação digital. Tese (Doutorado em Linguística). Campinas: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v16i1.1399

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 A Cor das Letras

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973