O INSÓLITO NA OBRA DE JOÃO GILBERTO NOLL OU O APRENDIZADO DA TRANSGRESSÃO

Autores

  • Shirley de Souza Gomes Carreira Carreira Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v15i1.1424

Resumo

Na literatura brasileira contemporânea, há autores que incorporam aos seus textos acontecimentos insólitos que devem ser observados à luz das teorias relativas ao insólito ficcional. Este trabalho tem por objetivo analisar  o insólito na obra de João Gilberto Noll, de modo a comprovar que a sua presença nos textos do autor constitui uma via para transgressões que operam não apenas no âmbito da diegese, mas também na arquitetura do texto.

Referências

BAUMAN, Zigmunt. Modernidade liquída. Trad. Plínio Dentzien. Rio de Janei- ro: Zahar, 2001.

BUTLER, Judith. Gender Trouble: Feminism and the Subversion of Identity. London: Routledge, 1990.

BRESSANE, Ronaldo. Em busca da obra em aberto. [Entrevista]. Revista A. 2000. Disponível em: <http://www.joaogilbertonoll.com.br/entrevista_revis ta_a.htm>. Acesso em: 12 out. 2004.

CARREIRA, Shirley S. G. A céu aberto: a poética da transgressão. Lucero, Ber- keley, University of California, v. 11, p. 42-51, 2000.

CARREIRA, Shirley S. G. A identidade traduzida em Lorde, de João Gilberto Noll. Revista Eletrônica do Instituto de Humanidades, Duque de Caxias, UNIGRANRIO, v. 5, n. 20, p. 72-88, jan.-mar. 2007. Acesso em: 22 dez. 2013.

CARREIRA, Shirley S. G. As relações entre o insólito e os leitores empírico e virtual. Revista Eletrônica do Instituto de Humanidades. Duque de Caxias, UNIGRANRIO, v. 8, n. 31, p. 13-29, out./dez. 2009. Disponível em:

<http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/reihm/article/viewFile/895

/578>. Acesso em: 21 set. 2010.

ECO, Umberto. Obra aberta. 8. ed. São Paulo: Perspectiva, 1991.

ECO, Umberto. Lector in fabula. A cooperação interpretativa nos textos nar- rativos, trad. de Attílio Cancian. São Paulo: Perspectiva, 1986.

ECO, Umberto. Sobre os espelhos e outros ensaios. Trad. Beatriz Borges. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.

ECO, Umberto. The role of the reader: explorations in the semiotics of texts: Explorations in the Semiotics of Texts. Bloomington: Indiana University Press, 1979.

ECO, Umberto. Interpretação e superinterpretação. São Paulo: Martins Fon- tes, 1997.

ECO, Umberto. Os Limites da interpretação. Lisboa: Difel, 1992.

ECO, Umberto. Seis passeios pelos bosques da recepção. São Paulo, Cia das Letras, 1994.

GARCÍA, Flavio. Discursos fantásticos de Mia Couto— mergulhos em narrati- vas curtas e de média extensão em que se manifesta o insólito ficcional. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2013.

GARCÍA, Flavio; MOTTA, Marcus Alexandre. O insólito e seu duplo. Rio de Ja- neiro: UERJ, 2009.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. Rio de Janeiro: DP&A, 1991.

NOLL, João Gilberto. Acenos e afagos. Rio de Janeiro: Record, 2008.

NOLL, João Gilberto. A céu aberto. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. NOLL, João Gilberto. A máquina de ser. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006. NOLL, João Gilberto. Lorde.

JIMENEZ, Michele de Oliveira; MACHADO E SILVA, Regina Coeli. Sexualidade

e identidades conflitantes em Acenos e Afagos, de João Gilberto Noll, Terra roxa e outras terras, v. 18 (out. 2010), p. 26-37. Disponível em: http://www.uel.br/pos/letras/terraroxa. Acesso em: 8 jan. 2014.

ROYLE, Nicholas. The uncanny. Manchester: Manchester University Press, 2003.

SILVA, Luciana Morais da. Novas insólitas veredas: leitura de a varanda do frangipani, de Mia Couto, pelas sendas do fantástico. Rio de Janeiro: Dialo- garts, 2013.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. São Paulo: Perspecti- va,1975.

TRIGO, Luciano. João Gilberto Noll: “Na minha literatura acesso insólitas figu- rações carnais”. Revista Continente online, 1 nov. 2006. Disponível em: http://www.revistacontinente.com.br/index.php/component/content/article

/2349.html. Acesso em: 8 jan. 2014.

WOOLF, Virginia. Orlando: A Biography. London: Penguin Books, 1993 [1928].

Downloads

Publicado

2017-02-13

Como Citar

Carreira, S. de S. G. C. (2017). O INSÓLITO NA OBRA DE JOÃO GILBERTO NOLL OU O APRENDIZADO DA TRANSGRESSÃO. A Cor Das Letras, 15(1), 155–168. https://doi.org/10.13102/cl.v15i1.1424