MÍDIA AUTÓCTONE E INCLUSIVA EM PERIFERIAS URBANAS E [SUB]URBANAS: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DE PESQUISAS EM COMUNICAÇÃO COMUNITÁRIA

Ricardo Olivaira de Freitas

Resumo


Considerando o fenômeno de visibilização de iniciativas de comuni- cação popular e comunitária, o texto ora apresentado aborda os métodos e as técnicas utilizadas na pesquisa acerca dos processos de comunicação e das interações sociais destes resultantes, a partir do lugar ocupado pelas mídias audiovisuais (vídeo, TV comunitária e cinema de rua) para o desempenho das identidades minoritárias e suas expressões no Brasil. Para tanto, analisa a reincidência de produções que tomam o debate sobre o minoritário e periférico como tema central, constituindo o campo das mídias radicais alternativas, com base nos novos movimentos e nas ações que têm encontrado na mídia (grande mídia e mídias radicais alternativas) importante suporte para desenvolvimento de novas expressões e alianças político-sociais entre democracia, terceiro setor, sociedade civil e grupos ideologicamente minoritários - elaborando, assim, novos modos de representação contra-hegemônicos, com a promoção de políticas públicas e/ou culturais para a inclusão social. Investiga, portanto, a apropriação e utilização de recursos de mídia audiovisuais por grupos e comunidades ideologicamente minoritários, no almejo de alcançarem reconhecimento junto à esfera de visibilidade pública e, por extensão, à esfera pública política, a partir da análise e da elaboração de uma cartografia das iniciativas de comunicação popular e comunitária desenvolvidas na peri- feria de Salvador.


Texto completo:

PDF

Referências


DURAI, Arjun. Disjunção e diferença na economia cultural global. In: FEATHERSTONE, Mike. (Org.). Cultura global. Petrópolis: Vozes, 1994, p. 311-28.

BHABHA, Homi K. A questão do “outro”: diferença, discriminação e o discurso do colonialis- mo. In: HOLLANDA, Heloisa B. (Org.). Pós-modernismo e política. Rio de Janeiro: Rocco, 1991, p. 177-203.

CANCLINI, Nestor G. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1997.

CANCLINI, Nestor G. Culturas híbridas. São Paulo: EDUSP. 1997a.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 2003.

DOWNING, John. Mídia radical: rebeldia nas comunicações e movimentos sociais. São Paulo: Ed. SENAC. 2002.

FREITAS, Ricardo O. de; TAVARES, Julio C. S. Mídia e racismo: colonialidade e resquícios do colonialismo. In: GOMBERG, E.; MANDARINO, A. (Org.). Racismos: olhares plurais. Salvador: EDUFBA, 2010, v. 1, p. 205-222.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. São Paulo: Círculo do Livro. 1982.

GUIMARÃES, César; FRANÇA, Vera. (Org.). Na mídia, nas ruas: narrativas do cotidiano. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

JAMBEIRO, Othon et al. Comunicação, hegemonia e contra-hegemonia. Salvador: EDUFBA, 2005.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência. São Paulo: Ed. 34, 1993.

LIMA, Venício. Prefácio. In: Id. Vozes da democracia: histórias da comunicação na redemo- cratização do Brasil. São Paulo: Intervozes/Imprensa Oficial, 2006.

MAIA, Rosiley; CASTRO, Maria Ceres. (Org.). Mídia esfera pública e identidades coletivas. Belo Horizonte: Ed. UFMG. 2006.

MARTIN-BARBERO, Jesus. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ. 1997.

MARTIN-BARBERO, Jesus. Ofício de cartógrafo. São Paulo: Loyola, 2004. PAIVA, Raquel. O espírito comum. Rio de Janeiro: Mauad, 2002.

PAIVA, Raquel; BARBALHO, Alexandre. Comunicação e cultura das minorias. São Paulo: Pau- lus, 2005.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade.

ed. São Paulo: Cortez, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v14i1.1454

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Universidade Estadual de Feira de Santana

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973