Corpus eletrônico de documentos históricos do sertão: as cartas de inábeis

Autores

  • Mariana Fagundes de Oliveira Lacerda UEFS
  • Zenaide de Oliveira Novais Carneiro UEFS
  • Huda da Silva Santiago UFBA

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v17i1.1463

Resumo

O projeto CE-DOHS – Corpus Eletrônico de Documentos Históricos do Sertão, que integra o Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Humanidades Digitais (neiHD), da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), tem por objetivo realizar a edição digital de textos do Banco DOHS – Documentos Históricos do Sertão, do projeto Vozes do Sertão em Dados: história, povos e formação do português brasileiro, um dos projetos do Núcleo de Estudos em Língua Portuguesa (NELP), da UEFS, bem como sua anotação morfológica e sintática, elaborando um corpus diacrônico anotado que sirva como recurso eletrônico para o estudo linguístico do português brasileiro. A maior parte dos documentos do DOHS, datados e localizados – que hoje se encontram também em versão digital no CE-DOHS – são cartas manuscritas, dos séculos XIX e XX (1084 cartas, 422 remetentes), editadas sobretudo por Carneiro (2005), que investiu na busca e na organização de acervos documentais que pudessem contribuir para o processo de reconstrução sócio-histórica do português brasileiro, tanto da vertente popular como da vertente culta – especialmente do português no interior da Bahia. Além dos acervos constituídos por documentação epistolar, há também livros manuscritos, além de textos impressos e textos orais. O material disponível no Banco atende, entretanto, não somente a pesquisadores interessados em análises de aspectos linguísticos, mas em aspectos da difusão da escrita, da leitura, das transmissões textuais, históricos, políticos, econômico-sociais, entre outros. Neste trabalho, a ênfase é para o acervo Cartas em Sisal, constituído por 91 cartas de inábeis, editadas por Santiago (2012), disponíveis no CE-DOHS, nas versões semidiplomática e modernizada; são cartas pessoais, escritas ao longo do século XX, por 43 sertanejos oriundos do semiárido baiano. Esse acervo tem especial relevância para a Linguística Histórica, por ser uma amostra representativa da escrita por mãos inábeis – termo consagrado pela tradição paleográfica –, considerando-se a dificuldade de encontrar textos que refletem a escrita cotidiana, vernacular, produtos de indivíduos com baixo nível de letramento. 

Referências

ALMEIDA, N. L. F. de; CARNEIRO, Z. de O. N. (Org.). Coleção amostras da língua falada no semiárido baiano. Feira de Santana: UEFS, 2008.

BACELAR DO NASCIMENTO, M. F. O lugar do corpus na investigação linguística. Disponível em: [http://www.clul.ul.pt/equipa/berlim-2000-nascimento.pdf.]. Acesso em: 20 abr. 2004.

BARBOSA, A. G.. Para uma história do português colonial: aspectos linguísticos em cartas do comércio. 1999. 484f. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

CARNEIRO, Z. de O. N. Cartas brasileiras (1809-1907): um estudo filológico-linguístico. Tese de Doutorado. Campinas: UNICAMP, 2005.

CARNEIRO, Z. de O. N. (Org.). Cartas brasileiras (1809-2000): coletânea de fontes para o estudo do português. Feira de Santana: UEFS, 2011.

CARNEIRO, Z. de O. N., LACERDA, M. F. de O. Publica-se em Feira de Santana: das cartas de leitores e redatores e dos anúncios em O Progresso e Na Folha do Norte (1901-2006). Feira de Santana: UEFS, 2012.

CE-DOHS: Corpus eletrônico de documentos históricos do sertão. Disponível em: [www.uefs.br/cedohs]. 2011.

CORPUS Histórico do Português Tycho Brahe. Disponível em: [http://www.tycho.iel.unicamp.br/~tycho/corpus/]

CRANE, G. (et al.). ePhilology: when the boocks talk to their readers. Blackwell Campanion to Digital Literary Studies. Oxford: Blackwell, 2008.

FARIA, P.; KEPLER, F. N.; PAIXÃO DE SOUSA, M. C. An Integrated Tool for Annotating Historical Corpora. In: Fourth Linguistic Annotation Workshop (LAW IV), 48th Annual Meeting of the ACL, 2010, Uppsala, Sweden. Proceedings of the Fourth Linguistic Annotation Workshop, 2010b. p. 217-221.

GALVES, C., and H. Britto. 2002. The Tycho Brahe Corpus of Historical Portuguese. Department of Linguistics, University of Campinas. Online publication, _rst edition.

GANDRA, A. A. Cartas de amor na Bahia do século XX: normas linguísticas, práticas de letramento e tradições do discurso epistolar. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2010.

GONÇALVES, M. F.; BANZA, A. P. Fontes de metalinguísticas para a história do português clássico. In: GONÇALVES, M. F.; BANZA, A. P. Património Textual e Humanidades Digitais: da antiga à nova filologia. Évora: CIDEHUS, 2013. p. 73-112.

KROCH, A.; SANTORINI, B.; DIERTANI, A. Penn Parsed Corpus of Modern British English. 2010. Disponível em: [http://www.ling.upenn.edu/hist-corpora/PPCMBE-RELEASE-1/index.html].

LABOV, W. Sociolinguistic Patterns. Pennsylvania: University of Pennsylvania Press, 1972.

LOBO, T. C. F. Para uma sócio-linguística histórica do português no Brasil: edição filológica e análise linguística de cartas particulares do Recôncavo da Bahia, século XIX. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2001.

LUCCHESI, D. Variação e norma: elementos para uma caracterização sociolinguística do português do Brasil. Revista internacional de língua portuguesa, n. 12, p. 17-28, 1994.

LUCCHESI, D. As duas grandes vertentes da história sociolinguística do Brasil. DELTA, São Paulo, v.17, n.1, p. 97-130, 2001.

MARQUILHAS, R. A faculdade das letras: leitura e escrita em Portugal no séc. XVII. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2000.

MATTOS E SILVA, R. V. De fontes sócio-históricas para a história social linguística do Brasil: em busca de indícios. In: MATTOS E SILVA, R. V. (Org.). Para a história do português brasileiro: primeiros estudos. V. II, tomos I e II. São Paulo: Humanitas/FFCHL/USP:FAPESP, 2001, v.2, t. 2, p. 275-302.

OLIVEIRA, K. Negros e escrita no Brasil do século XIX: sócio-história, edição filológica de documentos e estudo linguístico. 2006. 3v. 1144f. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2006.

PAIXÃO DE SOUSA, M. C.; KEPLER, F. N.; FARIA, P. E-dictor: Novas perspectivas na codificação e edição de corpora de textos históricos. In: Anais do VIII Encontro de Linguística de Corpus, realizado na UERJ, 13 a 14 de novembro de 2009. Rio de Janeiro, RJ, 2009. p. 69-105.

PAIXÃO DE SOUSA, M. C.; KEPLER, F. N.; FARIA, P. P. F. E-Dictor: Novas perspectivas na codificação e edição de corpora de textos históricos. In: SHEPHERD T.; SARDINHA T. B.; PINTO M. V. (Org.). Caminhos da linguística de corpus. Campinas: Mercado de Letras, 2010a.

Penn Helsinki Parsed Corpus of Middle English. Disponível em: [http://www.ling.upenn.edu/hist-corpora/]

PETRUCCI, A. La ciencia de la escritura: primera lección de paleografía. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica de Argentina, 2003.

Plataforma de Corpora do PHPB. Disponível em: [https://sites.google.com/site/corporaphpb]

Post Scriptum: archivo digital de escritura cotidiana em Portugal e Espanha na Época Moderna. Disponível em: [http://www.clul.ul.pt/pt/recursos/462-post-scriptum-home]

SANTIAGO. H. da S. Um estudo do português popular brasileiro em cartas pessoais de “mãos cândidas” do sertão baiano. 2012. 2v. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2012.

SANTOS, J. V.; BRITO, G. S. Fotografia técnica de documentos para formação de corpora digitais eletrônicos: o método Lapelinc. In: Revista LETRAS & LETRAS, v. 30, n. 2, 2014.

SCHREIBMAN, S. (et al.). A Companion to Digital Humanities. Oxford: Blackwell, 2004.

Vozes do sertão em dados: história, povos e formação do português brasileiro. Disponível em: [www.uefs.br/nelp]. 2011.

Downloads

Publicado

2017-02-23

Como Citar

Lacerda, M. F. de O., Carneiro, Z. de O. N., & Santiago, H. da S. (2017). Corpus eletrônico de documentos históricos do sertão: as cartas de inábeis. A Cor Das Letras, 17(1), 127–143. https://doi.org/10.13102/cl.v17i1.1463

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>