“ALUDIR É MELHOR QUE NOMEAR”: A LEITURA E A ALUSÃO NO TEXTO LITERÁRIO

Autores

  • Vânia Lucia Menezes Torga UESC

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v8i1.1576

Resumo

Estudo sobre leitura, ensino e aprendizagem e intertextualidade e tem como objetivo investigar o movimento de sentido da alusão na constru-ção de uma teoria de leitura que contempla as estratégias textuais que deli-neiam o projeto de leitor proposto pelos autores estudados, quando o pro-duto fala ao mesmo tempo do processo em algumas obras literárias como “Ler, escrever e fazer conta de cabeça, “Por Parte de Pai” e “Ciganos” de Bartolomeu Campos Queirós e “O Risco do bordado” de Autran Dourado. A organização teórico-metodológica da leitura se dá sob a perspectiva da re-lação de simetria/assimetria proposta pelas estratégias textuais, distribuídas pelas categorias da memória, metáfora/metonímia na articulação lingüístico-semântica que operacionaliza a produção da alusão, a partir de Bakhtin, A-morim, Campos, Gagnebin, Torga, Authier-Revuz, Eco, Walty, Cury e Pau-lino, Kosik que dão suporte ao estudo.

Referências

AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneite montrée et heterogeneite constitutive: elements pour une aproche de l'autre dans le discours. In: ORLANDI, E.; GERALDI, J. W. (Org.). Cader-nos de Estudos Lingüísticos – O discurso e suas análises. Campinas: UNICAMP, v. 19, p. 25-42, jul./dez 1990.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Pereira Maria E. Galvão. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Michel Lauhd e Yara Frateschi Vieira. 8. ed. São Paulo: HUCITEC, 1997.

BAKHTIN, Mikhail. O problema do conteúdo, do material e da forma na criação literária. In: Id. Questões de Literatura e de Estética – a teoria do romance. 4. ed. São Paulo: HUCITEC, 1998.

BOSI, E. Memória e sociedade: lembranças dos velhos. São Paulo: Cia. das Letras, 1979.

CAMPOS, Edson Nascimento; CURY, M. Zilda Ferreira. Fontes primárias: saberes em movimento. Rev. Fac. Educ., São Paulo, v. 23, n. 1-2, jan./dez. 1997.

CAMPOS, Edson Nascimento. A relação entre o produto e o processo na escrita do texto. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 2, n. 3, 1986.

CAMPOS, Edson Nascimento. Memória e escola: a produção de sentido na redação. (Dissertação – Mestrado em Educação). Belo Horizonte: Faculdade de Educação/UFMG, 1988.

CURY, Maria Zilda. Escrever e ler: faces da mesma moeda. Vertentes: Revista da Fundação de Ensino Superior de São João del-Rei, São João del-Rei, n. 9, p. 75-83, 1997.

CURY, Maria Zilda. Intertextualidade: uma prática contraditória. In: COELHO, Haydée Ribeiro; CASANOVA, Vera. (Org.). Ensaios de semiótica: cadernos de lingüística e teoria da litera-tura. Belo Horizonte: UFMG/FALE, n. 8, p. 117-128, dez. 1982.

DOURADO, Autran. O risco do bordado. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

ECO, Umberto. Seis passeios pelo bosque da ficção. Trad. Hildegard Feist. São Paulo: Cia. das Letras, 1994.

GAGNEBIN, J. Marie. Sete aulas sobre linguagem – memória e história. São Paulo: Imago, 1997.

GAGNEBIN, J. Marie. História e narração em Walter Benjamin. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1999.

GAGNEBIN, J. Marie. Atenção e dispersão: elementos para uma discussão sobre arte contemporânea entre Benjamin e Adorno. Palestra – Congresso Internacional de Teoria Estética. Belo Hori-zonte: FAFICH/UFMG, 2003.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Trad. Célia Neves e Alderico Toríbio. 6. reimpr. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

QUEIRÓS, Bartolomeu Campos. Ciganos. 12. ed. Belo Horizonte: Miguilim, 1999.

QUEIRÓS, Bartolomeu Campos. Ler, escrever e fazer conta de cabeça. 2. ed. Belo Horizonte: Miguilim, 1997.

QUEIRÓS, Bartolomeu Campos. Por parte de pai. Belo Horizonte: RHJ, 1995.

TORGA, Vânia L. M. O movimento de sentido da alusão: uma estratégia textual de leitura do livro “Ler, escrever e fazer conta de cabeça”, de Bartolomeu Campos Queirós. (Disserta-ção: Mestrado em Estudos Lingüísticos). FALE/UFMG, Belo Horizonte, 2001.

Downloads

Publicado

2017-03-04

Como Citar

Torga, V. L. M. (2017). “ALUDIR É MELHOR QUE NOMEAR”: A LEITURA E A ALUSÃO NO TEXTO LITERÁRIO. A Cor Das Letras, 8(1), 193–204. https://doi.org/10.13102/cl.v8i1.1576