Bolaño, o investigador da vida e dos versos pelas trilhas do valor e do medo

Edson Oliveira da Silva

Resumo


A leitura do romance Los detectives salvajes do escritor chileno Roberto Bolaño nos coloca diante de uma narrativa inquietante, pautada no jogo sinuoso entre ficção e realidade, de modo que as ambições e experiências do escritor, enquanto "homem vulgar" e intelectual se confundam, em diferentes circunstâncias, com as tramas vividas pela legião de personagens que povoam a ficção. Nesse sentido, para além de representar a história latino-americana, marcada pela explosão de vozes e conflitos entranhados, desde séculos atrás na genealogia deste espaço, onde o vazio e a errância se destacam muito mais do que os encontros e as convicções, esta narrativa nos apresenta um fluxo descontínuo de experiências e discursos, em que a literatura se apresenta como um caminho para compreender melhor os nossos instintos e mazelas. Sob esse ponto de vista, partindo da possibilidade de que alinhemos a produção literária de Bolaño a uma onda de fenômenos políticos e culturais, quase sempre ligados à ideia de deslocamento e fragmentação, que assinalam a contemporaneidade, este estudo se preocupa em reconhecer a figura do escritor como uma espécie de detetive incansável, que, tanto dentro quanto fora da ficção, se propõe a investigar a vida e a poesia, percorrendo os campos invisíveis do valor e do medo.


Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. In: Poética. Seleção de textos de José Américo Motta Pessanha. 4. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

BENJAMIN, Walter. Dois poemas de Friedrich Hölderlin: “Coragem de poeta” (Dichtermut),“Timidez” (Blödigkeit). Trad. de Mário Luiz Frungillo. Teresa Revista de Literatura Brasileira. São Paulo, vol.12, n. 13, p. 584-603, 2013.

BOLAÑO, Roberto. 2666. Barcelona: Editorial Anagrama, 2004.

______. Entre paréntesis: ensayos, artículos y discursos (1998-2003). Barcelona: Anagrama, 2004.

______. Los detectives salvajes. Barcelona: Editorial Anagrama, 1998.

BRAITHWAITE, Andrés. Bolaño por si mismo: entrevistas escogidas. Santiago-Chile: Ediciones Universidad Diego Portales, 2006.

FRESÁN, Rodrigo. El samurái romántico. Bolaño salvaje. Editores. Edmundo Paz Soldán e Gustavo Faverón Patriau. Barcelona: Candaya, 2008.

HEMINGWAY, Ernest. Por quem os sinos dobram. 1 ed. Trad. Monteiro Lobato. São Paulo/Rio de Janeiro: Companhia Editorial Nacional, 1941.

MASSI, Fernanda. O romance do século XXI: manutenção, transgressão e inovação do gênero. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011.

RODRÍGUEZ, Franklin. Roberto Bolaño: el investigador desvelado. Madrid: Editorial Verbum, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v18i1.1660

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Universidade Estadual de Feira de Santana

 

 

 Licença Creative Commons

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.