Bolaño, o investigador da vida e dos versos pelas trilhas do valor e do medo

Autores

  • Edson Oliveira da Silva Universidade Estadual de Feira de Santana

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v18i1.1660

Resumo

A leitura do romance Los detectives salvajes do escritor chileno Roberto Bolaño nos coloca diante de uma narrativa inquietante, pautada no jogo sinuoso entre ficção e realidade, de modo que as ambições e experiências do escritor, enquanto "homem vulgar" e intelectual se confundam, em diferentes circunstâncias, com as tramas vividas pela legião de personagens que povoam a ficção. Nesse sentido, para além de representar a história latino-americana, marcada pela explosão de vozes e conflitos entranhados, desde séculos atrás na genealogia deste espaço, onde o vazio e a errância se destacam muito mais do que os encontros e as convicções, esta narrativa nos apresenta um fluxo descontínuo de experiências e discursos, em que a literatura se apresenta como um caminho para compreender melhor os nossos instintos e mazelas. Sob esse ponto de vista, partindo da possibilidade de que alinhemos a produção literária de Bolaño a uma onda de fenômenos políticos e culturais, quase sempre ligados à ideia de deslocamento e fragmentação, que assinalam a contemporaneidade, este estudo se preocupa em reconhecer a figura do escritor como uma espécie de detetive incansável, que, tanto dentro quanto fora da ficção, se propõe a investigar a vida e a poesia, percorrendo os campos invisíveis do valor e do medo.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Edson Oliveira da Silva, Universidade Estadual de Feira de Santana

Possui Graduação em Licenciatura em Letras com Língua Espanhola pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) (2006). Especialista em Estudos Literários (2008) e Mestre em Literatura e Diversidade Cultural (2010) também pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Doutor em Teoria e Críticas da Literatura e da Cultura (2016) pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), tendo realizado Estágio Sanduíche na Universidade Autônoma de Barcelona (UAB), Espanha, durante o período de 23/02/2015 a 24/11/2015. Atualmente é Professor de Língua Portuguesa da Prefeitura Municipal de Santo Estevão e Professor Assistente de Língua Espanhola e Literaturas em Língua Espanhola da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Contemporânea da América Latina.

Referências

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. In: Poética. Seleção de textos de José Américo Motta Pessanha. 4. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

BENJAMIN, Walter. Dois poemas de Friedrich Hölderlin: “Coragem de poeta” (Dichtermut),“Timidez” (Blödigkeit). Trad. de Mário Luiz Frungillo. Teresa Revista de Literatura Brasileira. São Paulo, vol.12, n. 13, p. 584-603, 2013.

BOLAÑO, Roberto. 2666. Barcelona: Editorial Anagrama, 2004.

______. Entre paréntesis: ensayos, artículos y discursos (1998-2003). Barcelona: Anagrama, 2004.

______. Los detectives salvajes. Barcelona: Editorial Anagrama, 1998.

BRAITHWAITE, Andrés. Bolaño por si mismo: entrevistas escogidas. Santiago-Chile: Ediciones Universidad Diego Portales, 2006.

FRESÁN, Rodrigo. El samurái romántico. Bolaño salvaje. Editores. Edmundo Paz Soldán e Gustavo Faverón Patriau. Barcelona: Candaya, 2008.

HEMINGWAY, Ernest. Por quem os sinos dobram. 1 ed. Trad. Monteiro Lobato. São Paulo/Rio de Janeiro: Companhia Editorial Nacional, 1941.

MASSI, Fernanda. O romance do século XXI: manutenção, transgressão e inovação do gênero. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011.

RODRÍGUEZ, Franklin. Roberto Bolaño: el investigador desvelado. Madrid: Editorial Verbum, 2015.

Downloads

Publicado

2017-06-03

Como Citar

da Silva, E. O. (2017). Bolaño, o investigador da vida e dos versos pelas trilhas do valor e do medo. A Cor Das Letras, 18(1), 67–78. https://doi.org/10.13102/cl.v18i1.1660