Modernismo: ética x estética

Maria Tereza Carneiro Lemos

Resumo


A partir da avaliação do movimento modernista feita por Mario de Andrade e Oswald de Andrade nas conferências “Movimento modernista” e “O caminho percorrido”, na década de 40, busco uma compreensão da questão ética que, segundo os autores, estava ausente na proposta modernista tornando o movimento “gravemente precário”. O desinteresse pelos problemas sociais e políticos de sua geração gerou um “conformismo legítimo”, nas palavras de Mario de Andrade, e acabou por criar, nos seus discursos, um confronto entre o valor estético e ético na arte.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Mario de. O movimento modernista. In.: Aspectos da literatura brasileira. São Paulo: Martins, p. 96, s/d.

ANDRADE, Oswald de. O caminho percorrido. In.: Ponta de lança. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p. 96, 1972.

ANDRADE, Mario de. O movimento modernista. In.: Aspectos da literatura brasileira. São Paulo: Martins, p. 241 s/d.

BOSI, Alfredo. Literatura e resistência. São Paulo: Companhia das Letras, p. 120, 2002.

ANDRADE, Mario de. O movimento modernista. In.: Aspectos da literatura brasileira. São Paulo: Martins, p. 243, s/d.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v5i1.1700

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Universidade Estadual de Feira de Santana

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973