A poesia do slam no ensino de francês língua estrangeira: uma abordagem intercultural

Érica Alessandra Paiva Rosa, Beatriz Moreira Anselmo

Resumo


Este artigo discute como uma materialidade literária pode ser utilizada em aulas de francês língua estrangeira a partir da abordagem intercultural, a fim de possibilitar experiências de contato com a língua em uso. Para isso, é realizada a leitura do poema “Racines de Slam” (2018), do poeta senegalês Clair MC. A leitura do poema atenta-se às linguagens verbal e performática, características dos campeonatos de poesia falada, dialogando com um arcabouço teórico relacionado aos diferentes suportes textuais (CHARTIER, 2002), à poesia (JÚDICE, 1998), à performance poética (ZUMTHOR, 2007) e à abordagem intercultural no ensino de línguas (BOUBAKOUR, 2010 e PRETCEILLE, 2011). A proposta de leitura intercultural mostra que é possível promover aproximações harmônicas entre a cultura do aprendiz e a(s) cultura(s) do(s) povo(s) que utilizam a língua alvo a partir do trabalho com a literatura, de modo que o contato com o diferente seja uma experiência de troca e construção identitária.

Texto completo:

PDF

Referências


ALPERS et al. Sénégal — Faits, chiffres et lois sur les armes à feu. Sydney School of Public Health, The University of Sydney. GunPolicy.org, 31 jan. 2019. Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2019.

ANSD. Agence Nationale de la Statistique et de la Démographie. La Population du Senegal en 2018. Ministere de l’Economie, des Finances et du Plan. 2019. Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2019.

ASHCROFT, B. Post-Colonial Transformation. London: Routledge, 2001.

BIKULČIENĖ, Regina. Cours de didactique du français langue étrangère. Šiaulių universiteto leidykla, 2007.

BOUBAKOUR, Samira. L’enseignement des langues-cultures: (dimensions et perspectives). Algérie: Synergies, n° 9, 2010, pp. 13-26.

CALVET, Louis-Jean. Quel modèle sociolinguistique pour le Sénégal? ou il n'y a pas que la véhiculante. Langage et société, Lyon, n. 68, 1994. pp. 89-107.

CHARTIER, Roger. Os desafios da escrita. Trad. Fulvia M. L. Moretto. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

CLAIR MC. Racines de slam. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2019.

D’ALVA. Roberta Estrela. Um microfone na mão e uma ideia na cabeça – o poetry slam entra em cena. Synergies Brésil, São Paulo, n° 9, 2011 pp. 119-126.

IPEA. Atlas da Violência. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Rio de Janeiro, 2018.

JÚDICE. Nuno. As máscaras do poema. Lisboa: Aríon, 1998.

MONTEIL, Vincent. Une confrérie musulmane: les Mourides du Sénégal. Archives de sociologie des religions, n°14, 1962, pp. 77-102.

NDIAYE, Samba. O fenómeno de hibridez dos actores do ensino-aprendizagem do português, língua estrangeira/segunda no Senegal. Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia. Braga: Universidade do Minho, 2009.

PINHEIRO-MARIZ, J. Da necessidade de uma “Literatura-Mundo” no ensino do francês no Brasil. Letras, Santa Maria, v. 21, n. 42, p. 341-361, jan./jun. 2011.

PRETCEILLE, Martine A. La pedagogie interculturelle: entre multiculturalisme et universalisme. LINGVARVM ARENA, Porto, v. 2, 2011, p. 91-101.

RHEINHEIMER, Elisa. Role model for Africa's women. Qantara.be, s. l., 15 jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 mai. 2019.

TAGLIANTE, Christine. La classe de langue. Paris: CLE international, 1994.

ZUMTHOR, Paul. Performance, recepção e leitura. Trad. Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich. São Paulo: Cosac Naify, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v21i2.5063

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Universidade Estadual de Feira de Santana

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973