O uso de gêneros textuais no ensino de PLE na Educação a Distância

Caroline Caputo

Resumo


Este trabalho teve como objetivo verificar o uso das estratégias de aprendizagem utilizadas para elaboração de cursos na modalidade da educação à distância em função da prática com gêneros discursivos. O curso de Português para Estrangeiros na situação de Educação a Distância traz importantes implicações educacionais que poderão requerer dos professores e alunos maior atenção em relação à variável dos gêneros discursivos, bem como à necessidade de colaboração e intervenção no uso de estratégias de aprendizagem na educação à distância. A nossa abordagem traz como referencial teórico o letramento enquanto prática social que subsidia as análises referentes à leitura e à escrita e ao ensino-aprendizado em contexto situado de EaD. Para tanto, o objetivo do presente artigo é fazer uma discussão acerca da produção de material instrucional utilizado no ensino a distância. Nesse sentido, os multiletramentos subsidiam, enquanto ferramenta indispensável, o ensino e aprendizagem de línguas associado ao trabalho com gênero discursivo digital para o curso de Português para Estrangeiros na modalidade de Ensino a Distância.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA FILHO, J. C. P. Ensinar uma nova língua para aquisição. In: Fundamentos de Abordagem e Formação no Ensino de PLE e de outras línguas. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011.

BAKTHIN, M. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

__________, M.; VOLOSHINOV, V. N.. Discurso na vida e discurso na arte: sobre a poética sociológica. Tradução, para uso didático, de C. A. Faraco e C. Tezza. 1993[1926].

BALADELLI, Ana Paula D. Hipertexto e multiletramento: revistando conceitos. Nilópolis, RJ: 2011.

BAZERMAN, C. Gêneros, agência e escrita. Organização de Judith C. Hoffnagel e Ângela P. Dionísio. São Paulo: Cortez, 2006.

BRITO, F. F. V & SAMPAIO, M. L. P. Gêneros Digitais: A Multimodalidade ressignificando o ler/escrever. Santa Cruz do Sul, 2013.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. São Paulo: EDUC, 2003.

CRISTÓVÂO, V. L. L. “Aprendendo a planificar o próprio trabalho: genros textuais na formação de professores de língua estrangeira”, In: CRISTÓVÂO, V. L. L. e NASCIMENTO, E. L. (orgs.) Gêneros textuais: teoria e prática II. Palmas e União da Vitória: Kayagangue, 2005, pp. 153-162.

COOVER, Robert. The End of Books. New York Times Book Review, 21, p. 1, June 1992.

DELL´ISOLA, R. L. P. Retextualização de gêneros escritos. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007.

DIAS, Reinildes. Concepts Maps powered by computer software: a strategy for enhancing Reading comprehension in English for Specific Purposes. Belo Horizonte, 2011.

KALANTZIS, M. & COPE, B. Literacies. Australia: Cambridge University Press, 2012.

LOUSADO, E. G. Gêneros textuais e perspectiva acional no ensino do francês como língua estrangeira: prescrições e instrumentos para o agir de alunos e professores. In: DIAS, R. & DELL´ISOLA, R. L. P. Gêneros Textuais: Teoria e prática de ensino em LE, Campinas, SP: Mercado de Letras, 2012.

MARCUSCHI, L. A. “Gêneros Textuais: definição e funcionalidade”, In: DIONISIO, A. P.; MACHADO, A. R. e BEZERRA, M. A. (orgs) Gêneros Textuais e Ensino. Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2002 [2005], pp. 19-36.

RIBEIRO, Pollyanne B. O outro extremo do uso da linguagem: efeitos representacionais na EAD. In: ARAÚJO, J. & ARAÚJO, N. EAD em Tela: Docência, Ensino e Ferramentas Digitais. Campinas, SP: Pontes Editores, 2013, p. 11 – 24.

SELBER, S. A. Multiliteracies for a Digital Age. Carbondale: Southern Illinois University Press, 2004.

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 5. ed. São Paulo (Brasil): Martins Fontes, 1996.

KRESS, G. & VAN LEEUWEN. Reading images: the grammar of visual design. London; New York: Routledge, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v19i3.3736

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Universidade Estadual de Feira de Santana

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973