Ferro arrependido: um panorama da recepção de Eça de Queirós em 1945

Izabel Margato, Breno Góes

Resumo


Este trabalho consiste em uma leitura do discurso “O Centenário de Eça de Queirós”, de António Ferro. Trata-se de uma fonte que permite que se trace um panorama das comemorações do primeiro centenário de nascimento de Eça, bem como um esquema do contexto histórico-político que cercou essa efeméride, marcado pela primeira grande crise do salazarismo em Portugal. O objetivo da análise é demonstrar como a produção sobre o autor neste momento teve sucesso em sua tentativa de desafiar o discurso monológico oficial e fundar em torno de Eça de Queirós um debate estético e político.



Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, F. Vieira de. À Jànela de Tormes. Lisboa, Ed. Ocidente, 1945.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo: Antissemitismo, imperialismo, totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. Vol. 1. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Prefácio de Jeanne Marie Gagnebin. São Paulo: Brasiliense, 1987.

CAL, Ernesto da Guerra. Língua e Estilo de Eça de Queirós. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1969.

CALDEIRA, Arlindo Manuel. “O partido de Salazar: antecedentes, organização e funções da União Nacional (1926-34)”. Análise Social, XXII (94), 1986-5.°, p. 943-977

CAMPOS, Agostinho de. (org. e prefácio). Antologia Portuguesa de Eça de Queirós: selecta para a família e a escola. Rio de Janeiro: livraria Francisco Alves, 1922.

FERRO, António. Eça de Queiroz no Centenário de seu nascimento. Lisboa, 1949.

FERRO, António. “O Ditador e a Multidão” in Entrevistas de António Ferro a Salazar, Lisboa, Parceria A.M. Pereira, 2003

ITO, Giuliano. “Os três Antónios: a recepção de Eça de Queirós na década de 40, Convergência Lusíada n. 28, julho - dezembro de 2012. pp. 108 - 119.

MEDINA, João. Salazar e os fascistas: a história de um conflito (1932 - 1935). Lisboa: Bertrand, 1978.

MELLO, Allyrio de. Eça de Queiroz, o exilado da realidade. Porto: Livraria Tavares Martins, 1945.

MENDES, João. Eça de Queiroz - tipos, estilo, moralidade. Lisboa: pro domo, 1945.

PINTO, António Costa. Os Camisas Azuis: Ideologias, elites e movimentos fascistas em Portugal (1914 - 1945), Lisboa: Estampa, 1994.

RAIMUNDO, Orlando. António Ferro: o inventor do Salazarismo. Alfragide: Publicações Dom Quixote, 2015

REAL, Miguel. O Último Eça. Lisboa: Quidnovi, 2006.

RIBEIRO, Carla. “Portugal perante as nações: António Ferro e a imagem do país”. comunicação apresentada no I Colóquio Internacional «Construção de identidade(s). Globalização e fronteiras», realizado a 11 de Novembro de 2011, pelo CITCEM (Centro de Investigação Transdisciplinar, Cultura, espaço e memória), na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

ROSAS, Fernando. Salazar e o poder - a arte de saber durar. Lisboa: Tinta da China, 2018.

SACRAMENTO, Mario. Eça de Queirós: uma estética da ironia. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2002.

SALAZAR, António de Oliveira. Discursos. Notas Políticas. (1935 - 1937) Vol. II, Coimbra: Coimbra Editora, 1945.

SANTOS, José. “Breves considerações sobre a recepção de António Oliveira Salazar no panorama intelectual da Nova Ordem dos anos 30”. Oficina do Historiador, Porto Alegre, EDIPUCRS, v. 2, n. 9, jul./dez. 2016, pp. 61 - 78.

SCHIRÓ, Luís Bensaja de. “Queiroz, António Alberto Eça de.” in MATOS, António Campos (org). Dicionário de Eça de Queirós. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2015. p. 1102.

SIMÕES, João Gaspar. Eça de Queirós: O homem e o artista. Lisboa: Dois Mundos, 1945.

SIMPSON, Duncan. A Igreja Católica e o Estado Novo Salazarista, Lisboa, Edições 70, 2014.

TORGAL, Luís Reis. Estados novos, estado novo: ensaios de história política e cultural vol. II. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2009.

TRINDADE, Luis. O Estranho caso do Nacionalismo Português - O salazarismo entre a literatura e a política. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2008.

VICHINSKI, Flávio Garcia. Os Lusíadas para os “lusitos”: o destino do épico camoniano no liceu português e a interferência do Estado Novo. 2015. 273 fl. Tese (doutorado) – Faculdade de Letras, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

VICTORINO, José Guilherme. “Propaganda e controlo mediático no primeiro salazarismo: a complementaridade de actuação entre o SPN e o aparelho censório”, Media & Jornalismo N.23, Vol.12, N.1 – Outono/Inverno, 2013

VOUILLOT, Eunice Malaquias. Mário Sacramento (1920-1969) : vida e pensamento : sementes de liberdade. Lisboa: Campo da Comunicação, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v20i3.4718

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Universidade Estadual de Feira de Santana

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973