As velhas novas casas de Usher

Juliana Rodrigues Salles, Mirella Márcia Longo Vieira Lima

Resumo


Edgard Allan Poe, writing a short story titled The Fall of the House of Usher in 1839, brought the story of  two brothers, the last descendants of a noble lineage, of an ancient and illustrious but decaying family who succumb along with the mansion. who inhabit. This work has points in common with Os Maias, by Eça de Queirós and also with The Chronicle of the Murdered House, by Lucio Cardoso in many ways, from some points in the plot to the description of the houses and their anthropomorphisms. In analyzing passages from the works, we see that Eça de Queirós and Lúcio Cardoso have inspiration from Gothic literature to describe parts of the houses in which the plots appear, creating an atmosphere of decay and finitude.


Texto completo:

PDF

Referências


BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. Trad. Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

BARROS, Fernando Monteiro de. Do castelo à casa-grande: o “Gótico brasileiro”, em Gilberto Freyre. Revista Só Letras. 2014

CANDIDO, Antonio. Literatura e cultura de 1900 a 1945 – panorama para estrangeiros. Literatura e sociedade. São Paulo: Companhia Nacional, 1965.

________. Literatura Comparada. In: Recortes. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

CARDOSO, Lúcio. Crônica da casa assassinada. Rio de Janeiro: José Olympio, 1959.

CARDOSO, Lúcio. Crônica da casa assassinada. 2 ed. Rio de Janeiro, Nova Fronteira. (1979)

CARDOSO, Lúcio. Crônica da casa assassinada. Edição crítica de Mario Carelli. 2 ED. Scipione Cultural. (1996)

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de Símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Tradução de Vera da Costa e Silva et al. 15 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2000.

HERDER LEXICON. Dicionário de símbolos. 5ed. Ed. Cultrix. São Paulo, 2002.

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: História, teoria, ficção. Trad de Ricardo Cruz. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

KRISTEVA, Julia. Ensaios de Semiologia. Tradução Luiz Costa Lima. Rio de Janeiro: Eldorado, 1971.

LUKÁCS, György. O romance histórico. Tradução Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2011.

MOISÉS, Massaud. A Literatura Portuguesa Através dos Textos. 25ed. Ed. Cultrix. São Paulo, 1999.91

ORTIGÃO, Ramalho – As Farpas, Lisboa, Livraria Clássica Editora, 1942-1946. 15 vols.

OSAKABE. Haquira. Fernando Pessoa. Resposta à decadência. Criar Edições. Curitiba. 2002

QUEIRÓS. Obra Completa. Vol. I. Editora Nova Aguilar S.A. Rio de Janeiro. 1997

REIS, Carlos. Estudos Queirosianos – Ensaios sobre Eça de Queirós e sua obra. Editorial Presença: Lisboa, 1999.

_________. Introdução a leitura dos Maias. Ed. Almedina Brasil: São Paulo, 2003.

_________. O essencial sobre Eça de Queirós. Ed. Imprensa Nacional: Lisboa, 2000.

ROSA, Alberto Machado da. Eça, discípulo de Machado? Lisboa: Editorial Presença, 1979.

ROSA E SILVA, Enaura Quixabeira. A alegoria da ruína: uma análise da crônica da casa assassinada. Maceió: HD livros, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v20i3.4830

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Universidade Estadual de Feira de Santana

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973