Um estudo sobre sintagmas preposicionais nucleados por ‘de’ como predicados de sentenças copulativas no português brasileiro do século XIX

Autores

  • Edson José Rodrigues Júnior Universidade Federal de Pernambuco
  • Marcelo Amorim Sibaldo Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.5622

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar e discutir questões sintático-semânticas acerca dos sintagmas preposicionais (PP, do inglês Prepositional Phrase) nucleados por ‘de’ utilizados como predicados de sentenças copulares no português do século XIX, pois, como se sabe, no português brasileiro, a seleção de cópula + PP pode culminar em papéis temáticos (ideias semânticas) distintos a depender da semântica expressa no PP pós-cópula. Para tanto, analisamos um corpus composto por diversos documentos originários do estado de Pernambuco, impressos e manuscritos, datados dos séculos XIX, almejando estabelecer generalizações diacrônicas entre o português deste período e o português brasileiro atual. Trabalhamos com 12 documentos, totalizando 630 páginas de variados gêneros textuais, sendo eles: cartas de leitores, cartas de redatores, cartas pessoais (manuscritas) e anúncios em jornais. Estes textos foram retirados do banco de dados virtual do Projeto para a História do Português Brasileiro (PHPB) e até então jamais haviam sido trabalhados com foco em orações copulares e PPs predicados. Embasamos nosso estudo nos pressupostos teóricos e metodológicos de Avelar (2004), Gallego e Uriagereka (2016), Mattos e Silva (2006) e Stassen (2009). A análise apontou para uma grande predominância nas ideias semânticas de “posse” e “característica” sendo desencadeadas por PPs predicados nucleados por ‘de’ no português do século XIX, padrão que se assemelha ao que ocorre no português brasileiro dos dias de hoje.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Edson José Rodrigues Júnior, Universidade Federal de Pernambuco

Mestrando no Programa de Pós-graduação em Letras (PPGL) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Marcelo Amorim Sibaldo, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Linguística. Professor no Programa de Pós-graduação em Letras (PPGL) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Referências

AVELAR, J de O. Dinâmicas Morfossintáticas com Ter, Ser e Estar em Português Brasileiro. Dissertação de Mestrado, Campinas, UNICAMP, 2004.

CASTELEIRO, J. M. Sintaxe Transformacional do Adjectivo: Regência das Construções Completivas. Lisboa: INIC, 1981.

CASTILHO, A. T. de. Nova Gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010.

CHOMSKY, N. Lectures on government and binding. Dordrecht: Foris, 1981.

_____. Knowledge of Language: Its Nature, Origin and Use. New York: Praeger, 1986.

DECLERCK, R. Studies on Copular Sentences, Clefts and Pseudoclefts. Dordrecht: Leuven University Press, 1988.

DORON, E. Verbless Predicates in Hebrew. Ph.D. Dissertation, University of Texas at Austin, 1983.

HEYCOCK, C. The internal structure of small clauses: new evidence from inversion. In BECKMAN, J. Eds. Proceedings North East Linguistic Society, nº 25, 1994.

GALLEGO, A.; URIAGEREKA, J. 'Estar' = 'Ser' + X. Borealis. Vol. 5, nº 1, 2016.

GUMIEL, S. Sobre las diferencias entre ser y estar. El tipo de predicado y el tipo de sujeto. RedELE, revista electronica de didatctica / español lengua extranjera, nº 13, 2008.

KROCH, A. Reflexes of Grammar in Patterns of Language Change. Language Variation and Change, 1, 3, 1989. p. 199-244.

KRUG DE ASSIS, C. A. Sentenças clivadas e pseudo-clivadas no Português Brasileiro. Florianópolis, 2001. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina.

LOHNDAL, T. The phrase structure of the copula. Working Papers in Scandinavian Syntax. vol. 78, 2006.

MORO, A. The Raising of Predicates: Predicative Noun Phrases and the Theory of Clause Structure. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

MATTOS E SILVA, R. V. Observações sobre a variação no uso dos verbos ser, estar, haver e ter no galego-português ducentista. Estudos linguísticos e literários, Bahia, n19, p. 253-285, 1997.

_____. O português arcaico: fonologia, morfologia e sintaxe. São Paulo: Editora Contexto, 2006.

MIRA MATEUS, M. H. et al. Gramática da Língua Portuguesa. 7ª ed. Lisboa: Editorial Caminho, 2003.

PAIXÃO DE SOUSA, M. C. Língua Barroca: sintaxe e história do português nos anos 1600. 2004. 377 f. Tese (Doutorado em Linguística). Instituto de Estudos da Linguagem. UNICAMP, Campinas.

RAPOSO, E. P. Orações copulativas e predicações secundárias. In: RAPOSO, E. P. et al. Gramática do Português. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2013.

SOUZA, E. J P. M., and BARRETO, T. M. M. Uso de estruturas relativas em textos de escritores portugueses e brasileiros dos séculos XIX e XX. In: OLIVEIRA, K., CUNHA E SOUZA, H. F., and SOLEDADE, J., orgs. Do português arcaico ao português brasileiro: outras histórias [online]. Salvador: EDUFBA, 2009.

STASSEN, L. Predicative Possession. New York: Oxford University Press, 2009.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Empirical Foundations for a Theory of Language Change. In: W. Lehman; Y. Malkiel. (Eds.). Directions for Historical Linguistics. Austin: University of Texas Press, 1968. p. 97-195.

Downloads

Publicado

2021-07-20

Como Citar

Rodrigues Júnior, E. J., & Sibaldo, M. A. (2021). Um estudo sobre sintagmas preposicionais nucleados por ‘de’ como predicados de sentenças copulativas no português brasileiro do século XIX. A Cor Das Letras, 22(1), 390–400. https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.5622

Edição

Seção

Artigos em Fluxo Contínuo