Totius orbis estis indigenae: evidências linguísticas para o estudo da forma de tratamento Vos no latim

Autores

  • Leonardo Lennertz Marcotulio UFRJ
  • Carlos Eduardo Schmitt USP

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.6330

Resumo

Neste trabalho, exploramos um dos pontos mais instigantes e, também, um dos mais obscuros na história das formas de tratamento no âmbito românico. Se, por um lado, as dinâmicas linguísticas que subjazem as reorganizações no sistema de formas de segunda pessoa do singular em línguas românicas contam com vasta literatura, o mesmo não pode ser dito sobre a primeira das mudanças ainda em latim. Trata-se da pluralização do tratamento, isto é, processo pelo qual a forma de plural Vos passa a ser utilizada, em termos discursivos, para somente um interlocutor. Pretendemos, assim, trazer evidências linguísticas do século IV, extraídas de discursos (orationes) de Símaco, de modo a levantar elementos que permitam repensar a hipótese aventada por Brown e Gilman (1960), segundo a qualo uso de uma forma de plural responderia ao discurso dirigido, simultaneamente, à figura dos dois imperadores do Império Romano.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leonardo Lennertz Marcotulio, UFRJ

UFRJ

Carlos Eduardo Schmitt, USP

USP

Referências

BROWN, P. The World of Late Antiquity: from Marcus Aurelius to Muhammad. London: Thames and Hudson, 1971.

BROWN, R.; GILMAN, A. The pronouns of power and solidarity. In: T. Sebeok (ed.). Style in language. Cambridge-Mass: MIT Press, 1960, p. 253-276.

CINTRA, L. F. L. Sobre “formas de tratamento” na língua portuguesa. Lisboa: Livros Horizonte, 1972.

FARACO, C. O tratamento "você" em português: uma abordagem histórica. LaborHistórico, 3 (2), 2018 ([1996]), p. 114-132. doi: https://doi.org/10.24206/lh.v3i2.17150

FLORES, M. A. Compilação e breve história de algumas fórmulas de tratamento no português, do século XII à actualidade. Monografia do Curso de Licenciatura em Filologia Românica. Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 1946.

HEATHER, P. The Fall of the Roman Empire – A New History. London: Macmillan, 2005.

KOCH, P. Tradiciones Discursivas y Cambio Linguístico: el ejemplo del tratamiento vuestra merced en español. In: KABATEK, J. (ed.) Sintaxis histórica del español y cambio linguístico: Nuevas perspectivas desde las Tradiciones Discursivas. Madrid/Frankfurt: Iberoamericana/Vervuert (LinguísticaIberoamericana 31), 2008, p. 53-88.

LEE, A. D. From Rome to Byzantium AD 363 to 565 – The Transformation of Ancient Rome. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2013.

LOPES, C. R. S. et al. A reorganização no sistema pronominal de 2ª pessoa na história do português brasileiro: posição de sujeito. In: LOPES, C. R. S. (Org.). História do português brasileiro. Mudança sintática das classes de palavra: perspectiva funcionalista. São Paulo: Editora Contexto, 2018a, v. 4, p. 7-105.

LOPES, C. R. S. et al. A reorganização no sistema pronominal de 2ª pessoa na história do português brasileiro: outras relações gramaticais. In: LOPES, C. R. S. (Org.). História do português brasileiro. Mudança sintática das classes de palavra: perspectiva funcionalista. São Paulo: Editora Contexto, 2018b, v. 4, p. 106-189.

LUZ, M. 1958. “Fórmulas de tratamento no português arcaico – subsídios para o seu estudo”. Revista Portuguesa de Filologia. Vols. VII, VIII e IX. Coimbra: Ed. Casa do Castelo, 1958.

MAI, A. Editoris praefatio.In: SYMMACHUS, Quintus Aurelius. Q. AureliiSymmachiOctoorationumineditarumpartes.Invenitnotisquedeclaravit Angelus Maius. Mediolani: BibliothecaeAmbrosianae, 1815.

MARCOTULIO, L. L. Vossa Mercê bem sabe de onde viestes: um caso de gramaticalização na história do português. Tese (Doutorado em Letras Vernáculas). Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012.

MITCHELL, S.A History of the Later Roman Empire, AD 284-641. Oxford: Blackwell, 2015.

O’DONNELL, J. J. Pagans: the end of traditional religion and the rise of Christianity. New York: HarperCollins, 2015.

RODGERS, B. S. In: SYMMACHUS, Quintus Aurelius. Oration I – translation, commentary, bibliography. Burlington: The University of Vermont, 2015a. Disponívelem: <https://www.uvm.edu/~bsaylor/rome/Symmachus1.pdf>. Acessoem: 19/10/2016.

______. In: SYMMACHUS, Quintus Aurelius. Oration II – translation, commentary, bibliography. Burlington: The University of Vermont, 2015b. Disponívelem: <https://www.uvm.edu/~bsaylor/rome/Symmachus2.pdf>. Acesso em: 19/10/2016.

SCHMITT, C. E. Tradução comentada das Orationes I, II e II de Quinto Aurélio Símaco Eusébio. Dissertação (Mestrado em Letras Clássicas). Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2018.

SOGNO, C. Q. Aurelius Symmachus: a political biography. Michigan: Michigan Press, 2006.

SYMMACHUS, Q. A. Aurelii Symmachi quaes upper sunt. Otto Seeck (ed.). München: Monumenta Germaniae Historica, 1883.

______. Informes – Discursos. Introducciones, Traducción y notas de José Antonio Valdés Gallego. Madrid: Editorial Gredos, S. A., 2003.

TENER, K. R. Q. Aureli Symmachi Relatio III – Introduction, Translation and Notes. Thesis for the degree of Bachelor of Arts in Latin. Illinois: University of Illinois, 1917.

VALDÉS GALLEGO, J. A. In. SYMMACHUS, Quintus Aurelius. Informes – Discursos. Introducciones, Traducción y notas de José Antonio Valdés Gallego. Madrid: Editorial Gredos, S. A., 2003.

Downloads

Publicado

2021-07-20

Como Citar

Marcotulio, L. L., & Schmitt, C. E. (2021). Totius orbis estis indigenae: evidências linguísticas para o estudo da forma de tratamento Vos no latim. A Cor Das Letras, 22(1), 191–213. https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.6330

Edição

Seção

Dossiê: Linguística Histórica: teorias, métodos e resultados. Homenagem a Rosa Virgínia Mattos e Silva