Aspectos de inabilidade na representação escrita de fatos morfossintáticos: a marcação de plural no sintagma nominal

Autores

  • Huda Da Silva Santiago UEFS
  • Afranio Gonçalves Barbosa UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.6332

Resumo

O objetivo deste estudo é discutir sobre a presença de alguns aspectos na representação escrita de fatos morfossintáticos, em um corpus constituído por manuscritos produzidos por redatores estacionados em fases iniciais de aquisição da escrita. Pretende-se analisar aspectos que contribuem para a identificação das “mãos inábeis” em escrita alfabética (BARBOSA, 2017; MARQUILHAS, 2000; SANTIAGO, 2019), em dados que não seriam reflexo da fala, mas da própria escriptualidade. Através de uma abordagem descritivo-qualitativa, apresentam-se alguns casos que ilustram distanciamento da norma, em textos dos séculos XIX e XX, com ênfase para a variação na marcação de plural no sintagma nominal, além de exemplos adicionais, envolvendo a marcação de gênero. Verifica-se, ainda, por outro lado, se alguns fatos morfossintáticos presentes na escrita podem estar refletindo possíveis traços da oralidade. A análise da distribuição das ocorrências por redator permite observar se há cruzamento desses dados com outros aspectos que são marcas de inabilidade, considerando um contínuo, uma gradiência, para uma melhor caracterização do nível de inabilidade dos redatores. De modo geral, a concentração de dados de representação morfossintática com construções irregulares, nos aspectos observados, está registrada nos textos que manifestam uma inabilidade máxima ou parcial de seus redatores.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Huda Da Silva Santiago, UEFS

UEFS

Afranio Gonçalves Barbosa, UFRJ

UFRJ

Referências

AVELAR, Juanito Ornelas de; CARNEIRO, Zenaide de Oliveira Novais. A Concordância nominal. In: GALVES, Charlotte; LOBO, Tânia (org.). O português escrito por afro-brasileiros no século XIX: as atas da Sociedade Protetora dos Desvalidos. Salvador: EDUFBA, 2019. 91-117.

BARBOSA, Afranio Gonçalves. Para uma história do português colonial: aspectos linguísticos em cartas do comércio. 1999. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

BARBOSA, Afranio Gonçalves. Tradições discursivas e tratamento de corpora históricos: desafios metodológicos para o estudo da formação do português brasileiro. In: LOBO, Tânia et al. (org.) ROSAE: Linguística Histórica, história das línguas e outras histórias. Salvador: EDUFBA, 2012. p. 589-606.

BARBOSA, Afranio Gonçalves. O controle de marcas de inabilidade na escrita alfabética e a identificação das mãos inábeis em corpora histórico-diacrônicos.Revista da ABRALIN, v.16, n.2, p. 19-43, Jan./Fev./Mar./Abril de 2017. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/abralin/article/view/51997/32039. Acesso em: 26 set. 2020.

BAXTER, Alan Norman. A concordância de número. In: LUCCHESI, Dante.; BAXTER, Alan. N.; RIBEIRO, Ilza (org.). O português afro-brasileiro. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 269-293.

CAPELLARI, Elaine T.; ZILLES, Ana. M. S. A marcação de plural na linguagem infantil – Estudo Longitudinal. Revista da ABRALIN, v. 1, n. 1, p. 185-218, 2002. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/abralin/article/view/52708. Acesso em: 26 set. 2020.

CASTRO, Ivo. Formação da língua portuguesa. In: RAPOSO, Eduardo Buzaglo Paiva et al. (org.). Gramática do português. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2013. p. 7-14.

COSTA, Evellyne; SIMIONI, Taíse. Processos morfossintáticos em manuscritos oitocentistas e novecentistas no Rio Grande do Sul. Revista Philologus, Ano 26, n. 77. Rio de Janeiro: CiFEFiL, p. 181-200, mai./ago. 2020. Disponível em: http://www.filologia.org.br/rph/ANO26/77/12.pdf. Acesso em: 26 set. 2020.

FERRARI-NETO, José. Reconhecimento do número gramatical e processamento da concordância de número no sintagma determinante na aquisição do português brasileiro. 2003. 112 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003.

LOPES, Norma da Silva. Concordância nominal, contexto linguístico e sociedade. 2001. 408 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador. 2001.

LOPES, Norma da Silva. A variação da concordância nominal de número no português falado em Feira de Santana-BA. In: ALMEIDA, Norma Lucia Fernandes de, et al. (org.). Variação linguística em Feira de Santana-BAHIA, Feira de Santana: UEFS Editora, 2016. p. 99-118.

LUCCHESI, Dante. A concordância de gênero. In: LUCCHESI, D.; BAXTER, A.; RIBEIRO, I. (org.). O português afro-brasileiro. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 295-318.

MARQUILHAS, Rita. A faculdade das letras: leitura e escrita em Portugal no séc. XVII. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2000.

MYERS-SCOTTON, Carol; JAKE, Janice L. Four types of morpheme: evidence from aphasia, code switchim, and second-language acquisition. In: KLEIN, Wolfgang et alii(ed.). Linguistics: an interdisciplinary journal of the language sciences. v. 38-6. 2000. p. 1053-1100.

NARO, Anthony Julius; SCHERRE, Maria Marta Pereira. Sobre as origens do português popular do Brasil. In: NARO, Anthony Julius; SCHERRE, Maria Marta Pereira (org.). Origens do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2007. p. 25-48.

OLIVEIRA, Klebson. Negros e escrita no Brasil do século XIX: sócio-história, edição filológica de documentos e estudo linguístico. 2006. 3 v. 1144 f. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2006.

OLIVEIRA, Klebson; SOLEDADE, Juliana; SANTOS, Verônica de Souza. Concordância nominal (cenas da variação em palcos do século XIX). In: LOBO, Tânia; OLIVEIRA, Klebson (org.). África à vista: dez estudos sobre o português escrito por africanos no Brasil do século XIX. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 255-316.

PETRUCCI, Armando. Scrittura, alfabetismo ed educazione grafica nella Roma del primo cinquecento: da um libretto di conti di Maddalena Pizzicarola in Trastevere. Scrittura e Civiltá, Roma, n. 3. p. 163-207, 1978.

SANTIAGO. Huda da Silva. A escrita por “mãos inábeis”: uma proposta de caracterização. 2019. 722f. Tese (Doutorado em Língua e Cultura) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.

SANTOS, Lorena Enéas Rosa. A variação da concordância nominal de número em cartas de inábeis do sertão baiano (1906-2000). 2017. 239 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2017.

SCHERRE, Maria Marta Pereira. Reanálise da concordância nominal em português. 1988. 2 v. 555 f. (Mimeo).Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1988.

Downloads

Publicado

2021-07-20

Como Citar

Santiago, H. D. S., & Barbosa, A. G. (2021). Aspectos de inabilidade na representação escrita de fatos morfossintáticos: a marcação de plural no sintagma nominal. A Cor Das Letras, 22(1), 111–136. https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.6332

Edição

Seção

Dossiê: Linguística Histórica: teorias, métodos e resultados. Homenagem a Rosa Virgínia Mattos e Silva