Ensaio sobre a importância da Linguística Comparativa para uma Morfologia independente

Autores

  • Mário Eduardo Viaro USP

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.6336

Resumo

A mesma oração é apresentada em doze idiomas (português, latim, romeno, inglês, alemão, islandês, russo, turco, húngaro, árabe clássico, japonês e mandarim) a fim de destacar o que é exclusivamente morfológico do que é morfossintático, morfofonológico, morfolexicale morforreferencial em um modelo de signo em que se distinguem um significante, um significado e uma referência. A presença de paradigmas puramente morfológicos, independentes dos paradigmas semânticos, no nível do significante é um argumento forte para que a Morfologia seja entendida como uma ciência independente da Sintaxe e da Fonologia.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mário Eduardo Viaro, USP

USP

Referências

ANDO, Z. K. Gramática da língua japonesa. São Paulo: s/ed,1957.

BENVENISTE, E. Problèmes de linguistique générale, v.1. Paris: Gallimard, 1966.

BREDSDORFF, E. Danish: an elementar grammar and reader. Cambridge: University Press, 1958.

CÂMARA JR, J. M. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes, 200535 [1ª ed. 1970].

GÖNCZÖR-DAVIES, R. Romanian: anessentialgrammar. London/ New York; Routledge, 2008.

PAPAVERO, N.; VIARO, M. E. O “zebro”: considerações históricas, sua identificação e distribuição geográfica, origem da palavra “zebra” e considerações sobre etimologia. São Paulo: NEHiLP/FFLCH/USP, 2014. Disponível em: http://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/catalog/view/11/7/47-1

PÉTURSSON, M. Lehrbuch der isländischenSprache. Hamburg: Helmut Buske, 1992.

SAPIR, E. Language: an introduction to the study of speech. New York: Hancourt, Brace & Co, 1921.

SZENDE, T.; KASSAI, G. Grammaire fondamentale du hongrois. Paris: L’Asiathèque, 2007.

TESNIÈRE, L. Éléments de syntaxe structurale. Paris: Klincksieck, 1953.

THACKSTON, W. M. An introduction to Koranic and Classical Arabic. Bethesda, Maryland: Ibex, 1994.

UNDERHILL, R. Turkish grammar. Cambridge, Mass./London: MIT, 1976.

VIARO, M. E. Linguística da comunicação e Linguística descritiva: os eixos sincrônico e diacrônico nos atuais modelos de Morfologia. In: Estudos linguísticos, São Paulo, 41 (1), 2012: p. 277-290. Disponível em: http://gel.org.br/estudoslinguisticos/volumes/41/el.2012_Integra_v1.pdf

VIARO, M. E. Sobre a inclusão do elemento diacrônico na teoria morfológica: uma abordagem epistemológica. Estudos de lingüística galega, 2 (2010): 173-190. Disponível em: https://revistas.usc.gal/index.php/elg/article/view/1513/0

VIARO, M. E. Onde se encontra a morfologia no signo linguístico? Estudos linguísticos e literários, Salvador, 6, 2018: p. 11-29. Disponível em https://portalseer.ufba.br/index.php/estudos/article/view/28109/19115

VIARO, M. E. Aquisição de linguagem e linguística diacrônica. In: ZAVAGLIA, Claudia; SILVA, Odair Luiz Nadin (org). De histórias, palavras e dicionários: estudos em homenagem à Clotilde de Almeida Azevedo Murakawa. Campinas: Mercado das Letras, 2019.

YIPPo-Ching; RIMMINGTON, Don. Chinese: a comprehensivegrammar. Lonfon/ New York: Routledge, 2004.

Downloads

Publicado

2021-07-20

Como Citar

Viaro, M. E. (2021). Ensaio sobre a importância da Linguística Comparativa para uma Morfologia independente. A Cor Das Letras, 22(1), 267–293. https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.6336

Edição

Seção

Dossiê: Linguística Histórica: teorias, métodos e resultados. Homenagem a Rosa Virgínia Mattos e Silva