Literatura e teatro mediados pela filologia editorial

Autores

  • Rosa Borges

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.7319

Palavras-chave:

Crítica Textual, Manuscritos

Resumo

No campo da Filologia em diálogo com outros saberes, o filólogo-editor, como mediador editorial e intérprete, tem se ocupado da edição e crítica filológica de textos que integram nosso patrimônio cultural escrito, valendo-se das práticas da crítica textual, genética e sociológica, apresentando produtos editoriais variados em suporte papel, informático e/ou em rede. Nosso objetivo é, através da  atividade editorial, fazer representar uma literatura local, regional, constituída dos nomes que formam o corpo de literatos e dramaturgos na Bahia e, consequentemente, contribuir com seus registros nos campos da Literatura e Dramaturgia no Brasil. Nessa direção, o filólogo-editor cumpre seu papel de mediador e crítico no exercício da crítica textual e de suas metodologias na contemporaneidade, dando a conhecer os processos de produção e transmissão dos textos, proporcionando informações sobre a história do texto e de sua recepção ao longo do tempo.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Referências

ALMEIDA, Isabela Santos de. “Em Tempo” no palco, de Chico Ribeiro Neto: edição e estudo do vocabulário político-social. 2007. 82 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2007.

AUGUSTO, João. Quincas Berro d’Água – Re-lance. [A Tarde], Salvador: [16 fev. 1976]. Coluna Teatro. Recorte de jornal. Acervo do Teatro Vila Velha: Nós, por exemplo – Centro de Documentação e Memória.

BORGES, Rosa et al. Edição de texto e crítica filológica. Salvador: Quarteto, 2012.

BORGES, Rosa. Diálogos entre Filologia e Arquivística: acervos de dramaturgos baianos. In: CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA, 23., 2019, Rio de Janeiro. Cadernos do CNLF. Rio de Janeiro: CiFEFil, v. 23, n. 3. p.180-195, 2019b. Disponível em: www.filologia.org.br/xxiii_cnlf/cnlf/tomo01/14.pdf. Acesso em: 20 out. 2019.

BORGES, Rosa. Uma metodologia para a edição de textos do século XX. In: Revista Philologus, ano 26, n. 76, p. 788-806. Rio de Janeiro: CiFEFiL, jan./abr.2020. Disponível em: http://www.filologia.org.br/rph/76supl.html. Acesso em: 19 ago. 2020.

BORGES, Rosa; SACRAMENTO DE SOUZA, Arivaldo. Filologia e edição de texto. In:

BORGES, Rosa et al. Edição de texto e crítica filológica. Salvador: Quarteto, 2012. p. 15-59.

BRANCA, Vittore. La filologia e la critica letteraria. Milano: Rizzoli, 1977.

CHARTIER, Roger. Os desafios da escrita. Tradução Fulvia M. L. Moretto. São Paulo: UNESP, 2002.

CHARTIER, Roger. A História ou a leitura do tempo. Tradução Cristina Antunes. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

CHARTIER, Roger. El mundo como representación: estudios sobre historia cultural. Tradução Claudia Ferrari. Barcelona: Gedisa, 1992.

CHARTIER, Roger. Un humanista entre dos mundos: Don McKenzie. [Prólogo]. In: MCKENZIE, D. F.. Bibliografía y sociología de los textos. Tradução Fernando Bouza. Madrid: Akal, 2005[1999]. p. 5-18.

CLARK DE LARA, Belem. De la filología literaria a la historia de la literatura. In: SOUZA, Risonete Batista de et al. (orgs.). Filologia em diálogo: descentramentos culturais e epistemológicos. Salvador: Memória & Arte, 2020. p. 233-264. Disponível em: https://1f11a6e7-5dbd-49ca-a343-4afae8a65778.filesusr.com/ugd/33823c_ea038dd530d541d3a28925a232e0fca7.pdf. Acesso em: 19 ago. 2020.

CLARK DE LARA, Belem. Filología Literaria e Historia. In: RUEDAS DE LA SERNA, Jorge (org.). História e Literatura: Homenagem a Antonio Candido. São Paulo: Imprensa Oficial SP; Memorial; Editora da UNICAMP, 2003. p. 115-141.

CORREIA, Fabiana Prudente. Filologia e Humanidades digitais no estudo da dramaturgia censurada de Roberto Athayde: acervo e edição de Os Desinibidos. 2018. 362f. + volume digital. Tese (Doutorado) – Instituto de Letras, Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2018. Disponível em: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29614. Acesso em: 25 maio 2019.

COSTA, Maria Cristina Castilho (org.). Censura, repressão e resistência no teatro brasileiro. São Paulo: Annablume; Fapesp, 2008.

COSTA, Maria Cristina Castilho. Censura em cena: teatro e censura no Brasil: arquivo Miroel Silveira. São Paulo: EDUSP; FAPESB; Imprensa Oficila do Estado de São Paulo, 2006.

FAGUNDES, Coriolano de Loyola Cabral. Censura & liberdade de expressão. São Paulo: Edital, 1974.

FAGUNDES, Carla Cecí R.. Deolindo Checcucci e o teatro infantil baiano no contexto da ditadura militar: arquivo, edição e estudo crítico-filológico. 2019. 307f. + volume digital. Tese (Doutorado) – Instituto de Letras, Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Los poderes de la filología: dinámicas de una práctica académica del texto. Tradução Aldo Mazzucchelli. México: Universidad Iberoamericana, 2007[2003].

HIGASHI, Alejandro. Perfiles para una ecdótica nacional: crítica textual de obras mexicanas de los siglos XIX y XX. México: UNAM; UAM, 2013.

KASTAN, D. S. Shakespeare and the book. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

LOURENÇO, Isabel. The William Blake Archive: da gravura iluminada à edição electrónica. 2009. 490 f. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Programa de Pós-Graduação em Língua e literaturas Modernas, Coimbra. Disponível em: www.dominiopublico.com.br. Acesso em: 02 set. 2011.

MACIEL, Luiz Carlos. Teatro anos 70. In: Anos 70: trajetórias. São Paulo: Iluminuras; Itaú Cultural, 2005. p. 105-109.Vários autores.

MACNEIL, Heather. Decifrando e interpretando os fundos arquivísticos e suas partes: uma análise comparativa da crítica textual e da teoria do arranjo arquivístico. In: GILLILAND, Anne J.; MCKEMMISH, Sue; LAW, Andrew J. (orgs.). Pesquisa no multiverso arquivístico. Tradução Ana Cristina Rodrigues. Salvador: 9Bravos, 2019, p. 151-173.

MARCUS, Leah S. Unediting the Renaissance: Shakespeare, Marlowe e Milton. Londres; Nova Iorque: Routledge, 1996.

MATTOS, Emille Morgana Santos; BORGES, Rosa. Por uma leitura filológica de As artes do Crioulo Doido de João Augusto. In: SOUZA, Risonete Batista de et al. (orgs.). Anais do IX SEF: Filologia em diálogo: descentramentos culturais e epistemológicos. Salvador: Memória & Arte, 2020. p. 222-235. Disponível em: https://1f11a6e7-5dbd-49ca-a343-4afae8a65778.filesusr.com/ugd/33823c_13323250e2634aa9a53a2e7959c96dce.pdf. Acesso em: 19 ago. 2020.

MCGANN, Jerome J.. A Critique of Modern Textual Criticism. Chicago: University of Chicago Press, 1992[1983].

MCKENZIE, D. F. Bibliografía y sociología de los textos. Tradução Fernando Bouza. Madrid: Akal, 2005[1999].

MCKENZIE, Donald F. Bibliography and the Sociology of texts. Cambridge: Cambridge Univerity Press, 1999 [1985].

RAMÍREZ, Israel. Genética y crítica textuales en la edición de obras contemporáneas. In: CLARK DE LARA, Belem et al. Crítica textual: un enfoque multidisciplinario para la edición de textos. México: El Colegio de México; Universidad Nacional Autónoma de México; Universidad Autónoma Metropolitana, 2009. p. 209-231. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/j.ctv6mtc1g.20 . Acesso em: 19 nov. 2019.

SACRAMENTO, Arivaldo; SANTOS, Lucas de J. A Filologia como ética de leitura. Revista da ABRALIN, v. 16, n.2, p. 129-168, jan. fev. mar. abril de 2017. http://revistas.ufpr.br/abralin/issue/view/2321.

SACRAMENTO DE SOUZA, Arivaldo. Algumas considerações acerca da filologia do processo: a crítica filológica na Bahia. In: CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA, 20., 2016, Rio de Janeiro. Cadernos do CNLF: CiFEFil, v. 20, n. 5, p. 115-124, 2016. Disponível em: http://www.filologia.org.br/xx_cnlf/cnlf/cnlf_05/008.pdf. Acesso em: 19 ago. 2020.

SACRAMENTO DE SOUZA, Arivaldo. Nas tramas de Greta Garbo, quem diria, acabou no Irajá: crítica filológica e estudo de sexualidades. 2014. 358 f. + DVD. Tese (Doutorado) – Instituto de Letras, Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014. Disponível em: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/27656. Acesso em: 20 jun. 2019.

SACRAMENTO DE SOUZA, Arivaldo. Quais sao as Claras dos Anjos de Lima Barreto? Sobre crítica textual, crítica literária e decolonialidade filológica. In: SOUZA, Risonete Batista de et al. (orgs.). Filologia em diálogo: descentramentos culturais e epistemológicos. Salvador: Memória & Arte, 2020. p. 48-67. Disponível em: https://1f11a6e7-5dbd-49ca-a343-4afae8a65778.filesusr.com/ugd/33823c_ea038dd530d541d3a28925a232e0fca7.pdf. Acesso em: 19 ago. 2020.

SAID, Edward. O regresso à filologia. In:______. Humanismo e crítica democrática. Tradução Rosaura Eichenberg. São Paulo: Cia das Letras, 2007[2004]. p. 80-109.

SANTOS, Rosa Borges dos. (org.). Edição e estudo de textos teatrais censurados na Bahia: a Filologia em diálogo com a Literatura, a História e o Teatro. Salvador: EDUFBA, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26433. Acesso em: 13 jul. 2018.

SOL TLACHI, Carlomagno. Notas para una edición crítica de Zozobra de Ramón López Velarde. In: CLARK DE LARA, Belem et al. Crítica textual: un enfoque multidisciplinario para la edición de textos. México: El Colegio de México; Universidad Nacional Autónoma de México; Universidad Autónoma Metropolitana, 2009. p. 141-153. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/j.ctv6mtc1g.15. Acesso em: 19 nov. 2019.

SOUZA, Débora de. Série de Estudos Cênicos sobre poder e espaço, de Nivalda Costa: arquivo hipertextual, edição e estudo crítico-filológico. 2019. 443f + volume digital. Tese (Doutorado) – Instituto de Letras, Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019. Disponível em: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29881. Acesso em: 20 jul. 2019.

TELLES, Célia Marques. Filologia e Literatura. In: ALMEIDA, Ariadne Domingues et al. (Org.). Estudos Filológicos: Linguística Românica e Crítica Textual. Salvador: EDUFBA, 2016[2005]. p. 272-283.

Downloads

Publicado

2021-07-26

Como Citar

Borges, R. . (2021). Literatura e teatro mediados pela filologia editorial. A Cor Das Letras, 22(1), 452–472. https://doi.org/10.13102/cl.v22i1.7319

Edição

Seção

Artigos em Fluxo Contínuo