O ACOMPANHANTE COMO TECNOLOGIA DE CUIDADO NO PARTO: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Autores

  • Jany Sousa da Silva Estudante de Graduação em Enfermagem Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) Bolsista voluntário NEPEM.
  • Ariane Cedraz Morais
  • Brenda dos Santos Almeida
  • Vanuza Silva Campos
  • Wesley Anderson Araujo dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.13102/coego.v0i1.4789

Resumo

Eixo Temático: Práticas de Cuidado
Introdução: Ao longo dos séculos, o processo parturitivo foi sofrendo um processo de medicalização significativa, que implicou em mudanças do paradigma da experiência do parto, que deixou de ser um evento feminino, doméstico e fisiológico, passando a ser hospitalocêntrico, medicalocêntrico, sob um ponto de vista eminentemente patológico. Porém, nas últimas décadas, assiste-se à um movimento de resgate deste parto como natural e fisiológico; e nessa tentativa de garantir a autonomia das mulheres e humanização do parto e nascimento, no Brasil, no ano de 2005, o Congresso Nacional decretou e sancionou a Lei de nº 11.108, a fim de garantir a parturiente o direito à presença do acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós parto imediato.

Downloads

Publicado

2019-10-10