DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA NA GESTAÇÃO

Autores

  • Camila Ferreira Alves de Andrade Bacharel em Enfermagem (UNIRB/FARAL) Pós-graduanda em Enfermagem Oncológica (ATUALIZA)
  • Adeânio Almeida Lima
  • Ana Lívia dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.13102/coego.v0i1.4798

Resumo

Eixo Temático: Práticas de Cuidado
Introdução: O câncer lidera as causas de morte no mundo e é um dos principais problemas de saúde pública no Brasil. Segundo tipo mais comum entre as mulheres, o câncer de mama responde por cerca de 28% dos casos novos anualmente. O câncer de mama associado a gestação é definido como aquele diagnosticado no período gravídico, lactação e até um ano após o parto. É a neoplasia maligna mais prevalente durante o período da gravidez até o puerpério, sua ocorrência é de 0.2% a 3.8%, perdendo apenas para o câncer de colo do útero. Trata-se de uma situação desafiadora, necessitando de um manejo clínico delicado que gera dificuldades e angústias para a gestante, familiares e profissionais de saúde envolvidos em função do dilema para se adequar uma melhor terapêutica para o binômio em questão. Procurou responder a seguinte questão norteadora: Quais as principais dificuldades encontradas para o diagnóstico e o tratamento do câncer de mama na gestação?

Downloads

Publicado

2019-10-10