Laços Desfeitos: Os dramas familiares em Lygia Fagundes Telles e Lya Luft

Urandi Rosa Novais

Resumo


Este artigo se propõe a realizar uma análise interpretativa, traçando um estudo comparativo da representação da família na produção literária das escritoras Lygia Fagundes Telles e Lya Luft. Nosso objetivo foi investigar como as personagens lidam com os mais diversos temas que cercam a família na qual estão inseridas como, por exemplo, os padrões impostos pela sociedade, a decadência de valores, a traição e a morte. Trata-se uma pesquisa bibliográfica de caráter analítico e interpretativo, cujo corpus foi composto por um conto, “O espartilho”, de Lygia Fagundes Telles (2010); e o romance A asa esquerda do anjo, de Lya Luft (2004). As ideias e discussões apresentadas estão baseadas em teóricos e críticos como Bachelard (1989), Beauvoir (2016), Chevalier (2012), Xavier (2017) e Lucena (2013, 2015), entre outros, que nos possibilitaram entender o quanto a temática da família é instigante nas obras dessas autoras, abrindo-nos um leque de possibilidades de estudos.

Palavras-chave


Lygia Fagundes Telles; Lya Luft; Dramas Familiares; Família; Memória.

Texto completo:

PDF

Referências


BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo: a experiência vivida, volume 2; trad. Sérgio Milliet. – 3ª ed. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2016.

BULNFINCH, Thomas. O livro de ouro da mitologia: história de deuses e heróis. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

CAMARGO, Luciana Moura Colucci de; FILHO, Ozíris Borges. Espaço e identidade em verde lagarto amarelo. In: MAGNO, Carlos; LUCENA, Suênio Campos de. (orgs.). Lygia Fagundes Telles entre ritos e memórias. Aracaju: Editora Criação; Itabaiana: UFS, 2013.

CARDOSO, Fabiano. A construção da identidade feminina em A esquerda do anjo, de Lya Luft. In: VI Encontro de Produção Científica e Tecnológica. Disponível em: http://www.fecilcam.br/nupem/anais_vi_epct/PDF/linguistica_letras_artes/02.pdf> acesso em 03 de março de 2017, às 08h39min.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: (mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números). Rio de Janeiro: José Olympio, 2012.

GENS, Rosa Maria de Carvalho. A infância em contos de Lygia Fagundes Telles. In: Cadernos da FaEL. V. 1. Nº 3. (Set./Dez, 2008).

LUCENA, Suênio Campos de. Lygia Fagundes Telles. In: Blecaute – uma revista de literatura e artes. Campina Grande. Ano 5. Nº 114 – março 2013. (p. 31 -37).

________. Para a família que eu não salvei: o fracasso familiar na obra de Lygia Fagundes Telles. Ensaio de pós-doutoramento em Teoria Literária e Literatura Comparada, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, da Universidade de São Paulo. Julho de 2015.

________. Sobre lembrar e esquecer nos romances e contos. In: MAGNO, Carlos e LUCENA, Suênio Campos de. (orgs.). Lygia Fagundes Telles entre ritos e memórias. Aracaju: Criação. Itabaiana: UFS, 2013.

LUFT, Lya. A asa esquerda do anjo. 12ª ed. – Rio de Janeiro: Record, 2004.

________. Nélida, sombra e sedução. In: PIÑON, Nélida. A camisa do marido. 1ª ed. – Rio de Janeiro: Record, 2014.

TELLES, Lygia Fagundes. O espartilho. In: A estrutura da bolha de sabão. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

XAVIER, Elódia. Narrativa de autoria feminina na literatura brasileira. Disponível em: http://litcult.net/narrativa-de-autoria-feminina-na-literatura-brasileira-as-marcas-da-trajetoria/> acesso em 06 de março de 2017, às 19h39min.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Légua & Meia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.