Nosso programa também é alfabetização e cultura: O Teatro Experimental do Negro e o Jornal Quilombo – vida, problemas e aspirações do negro na literatura e na cultura intelectual negro-brasileiras (1948-1950)

Autores

  • Denilson Lima Santos Universidade da Integração Internacional da lusofonia Afro-Brasileira UNILAB/Campus dos Malês

DOI:

https://doi.org/10.13102/lm.v11i2.6253

Palavras-chave:

Teatro Experimental do Negro, Literatura, Alfabetização, Cultura, Intelectuais.

Resumo

Esse ensaio é um diálogo a partir dos textos, referentes ao Teatro Experimental do Negro (TEN), publicados no jornal Quilombo (1948-1950). Ressalta-se que a produção estética no periódico, mencionado acima, se insere no contexto da construção de uma rede intelectual negra, proposta por Abdias do Nascimento — fundador das duas instituições supracitadas. Além disso, o grupo de teatro fundado por Nascimento teve um papel proeminente na sociedade brasileira, pois revelou talentos artísticos e fomentou a discussão sobre a participação da população negra na sociedade brasileira por meio da educação. Nesse sentido, abordamos o projeto TEN como aquele que se ocupou, não somente da formação teatral de homens e mulheres negros, mas proporcionou-lhes um espaço para a alfabetização e aprimoramento cultural. Ademais, juntamente com o jornal supracitado, o grupo teatral dos anos 40 do século passado, oportunizou aos trabalhadores de serviços gerais e às empregadas domésticas aulas de cultura e estéticas africanas e afro-brasileiras. Diante disso, para discutir o papel do TEN na sociedade brasileira, nesse texto, utiliza-se algumas categorias teóricas como intelectual e sua função social, bem como a noção de teatro negro no processo de formação alfabetizadora de adultos. Assim, a partir das análises dos textos jornalísticos e testemunhos de escritoras e escritores, observa-se como a intelligentsia negra conseguiu construir uma rede de colaboração que consolidou suas ideias políticas, estéticas e epistemológicas no século XX.

Biografia do Autor

Denilson Lima Santos, Universidade da Integração Internacional da lusofonia Afro-Brasileira UNILAB/Campus dos Malês

Professor Adjunto da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Instituto de Humanidade e Letras, Campus dos Malês. Graduado em Teologia (STBNE, 2000) e em Letras Português/Espanhol (UEFS, 2005); Especialista em História e Cultura Afro-Brasileiras (Fundação Visconde de Cairu, 2007); Mestre em Estudos Literários (UEFS 2009); Doutor em Estudos Literários (Universidade de Antioquia, Medellín, Colômbia, 2015). Desenvolve pesquisas sobre Literatura e Sociedade; Ensino de Literatura e Língua Portuguesa Como Primeira e Segunda Língua; Leitura, Leitor, Letramento Literário e Letramentos Sociais; Linguagem e Cultura Intelectual Afro-Latino-Americana, Filosofia e Discursividade da Ancestralidade Afro-Diaspórica. É líder do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Linguagem e Cultura Intelectual (GEPECIL/CNPQ/UNILAB). Atualmente desenvolve pesquisa de Pós-Doutorado no Programa de Doutorado Multi-Institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento (DMMDC/ UFBA). Bolsista Produtividade CNPq, Chamada CNPq Nº 09/2020 - Bolsas de Produtividade em Pesquisa - PQ; Processo: 306596/2020-2.

Referências

ALBERTO, Paulin. Termo de inclusão: intelectuais negros brasileiros no século XX. Campinas: Editora da Unicamp, 2017.

ALTAMIRANO, Carlos. Intelectuales: notas de investigación. Bogotá: Grupo Editorial Norma, 2006.

ASSIS, Machado de. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2008.

CANDIDO, Antonio. Literatura e Sociedade. Rio de Janeiro: Ouro sobre o azul, 2006.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos. Belo Horizonte: Itatiaia, 2000.

CARVALHO, Gilmar Luz de. A imprensa negra paulista entre 1915 e 1937: características, mudanças e permanências. 2009. 208 f. Dissertação (Mestrado em História Econômica). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

CHAUÍ, Marilena. Intelectual engajado: uma figura em extinção? Disponível em https://www.ces.uc.pt/bss/documentos/intelectual_engajado.pdf. Acesso em 22 de jun. de 2020.

GOMES, Nilma Lino. O movimento Negro e a intelectualidade negra descolonizando os currículos. In: BERNADINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramón (orgs.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019. p.223-246.

GOMES, Nilma Lino. O movimento negro educador. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

GRAMSCI, Antonio. Os Intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.

HELENA, Lucia (org.). Literatura, intelectuais e a crise da cultura. Rio de Janeiro: Contra Capa; CNPQ, 2007.

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Mapa do Analfabetismo no Brasil. Disponível em http://portal.inep.gov.br/documents/186968/485745/Mapa+do+analfabetismo+no+Brasil/a53ac9ee-c0c0-4727-b216-035c65c45e1b?version=1.3. Acesso em 14 ago de 2020.

MANNHEIM, Karl. Sociologia da Cultura. In: FORACCHI, Marialice Mencarini (Org.). Karl Mannheim: Sociologia - Coleção Grandes Cientistas Sociais - vol. 25, p.101-106. São Paulo: Ática, 1982.

MANNHEIM, Karl. Ideologia e Utopia. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

MARTINS, Leda. A cena em sombras. São Paulo: Perspectiva, 1995.

NASCIMENTO, Abdias. O quilombismo. São Paulo: Perspectiva; Rio de Janeiro: Ipeafro, 2019.

NASCIMENTO, Abdias . “Espírito e fisionomia do Teatro Experimental do Negro”. Em Quilombo, nº. 3, 1949, p. 11.

NASCIMENTO, Abdias . Nosso programa. Quilombo, Rio de Janeiro, janeiro de 1950. Disponível em http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=128600&pesq=. Acesso em 24 de jun. de 2020.

NASCIMENTO, Abdias. Nós. Quilombo, Rio de Janeiro, 09 dez. 1948. Editorial, p. 01. In; NASCIMENTO, Abdias do. Quilombo: vida, problemas e aspirações do negro. São Paulo: Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo; Editora 34, 2011.

NASCIMENTO, Abdias. Teatro Experimental do Negro: trajetória e reflexões. In.: Estudos Avançados. Vol. 18. N.º 50. São Paulo: 2004, p. 209-224.

NASCIMENTO, Abdias; SEMOG, Éle. O griot e as muralhas. Rio de Janeiro: Pallas, 2006.

PINTO, Ana Flávia Magalhães. De pele escura e tinta preta: a imprensa negra do século XIX (1833-1899). 2006. 197 f. Dissertação (Mestrado em História Cultural). Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

REZENDE de Carvalho. Maria. Alice. “Intelectuales negros en el Brasil del siglo XIX”. Em Altamirano, C. Historia de los intelectuales en América Latina, I. La ciudad letrada, de la conquista al modernismo. Buenos Aires: Katz, 2008, p. 312-333.

RICOEUR, Paul. Interpretação e ideologias. Rio de Janeiro: F. Alves, 1988.

QUEIROZ, Raquel de. Arquivo: linha de cor. In: NASCIMENTO, Abdias do. Quilombo: vida, problemas e aspirações do negro. São Paulo: Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo; Editora 34, 2011.

RODRIGUES, Nelson. Há preconceito de cor no teatro? In: NASCIMENTO, Abdias do. Quilombo: vida, problemas e aspirações do negro. São Paulo: Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo; Editora 34, 2011.

ROMÃO, Jeruse. Educação, instrução e alfabetização de adultos negros no Teatro Experimental do Negro. In: ROMÃO, Jeruse (org.). História da educação do negro e outras histórias. Brasília: MEC, 2005, p.117-1137.

SANTOS, Denilson Lima. Yorubas y bantúes en la discursividad ancestral: estudio comparado de Sortilégio II (1979) de Abdias do Nascimento y de Changó, el gran putas (1983) de Manuel Zapata Olivella. 2015. 360f. Tese (Doutorado em Estudos Literários). Universidad de Antioquia, Medellí, Colômbia, 2015.

SEMOG, Éle e NASCIMENTO, Abdias. O griot e as muralhas. Rio de Janeiro: Pallas, 2006.

SODRÉ, Nelson Wernek. A história da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 1994.

SODRÉ, Muniz. A verdade seduzida: por um conceito de cultura no Brasil. S. Paulo: DP&A, 2005.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993. 287 p.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Retrato em branco e negro: jornais, escravos e cidadãos em São Paulo no final do século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 1987. 352p.

Downloads

Publicado

2021-06-13

Edição

Seção

Artigos