Madame Bovary (em cordel); Bola de Sebo (em cordel) e A Dama das Camélias (em cordel): transposições de perfis femininos em cordel

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13102/lm.v11i2.6255

Palavras-chave:

Literatura Comparada. Transposição. Poesia de cordel.

Resumo

Inserida na esfera da literatura popular, “como sinônimo de poesia popular em versos” (PINHEIRO; LUCIO, 2001, p.11), a literatura de cordel aborda temas relacionados à tradição nordestina, a narrativas trazidas da península ibérica, à história, à vivência de seu autor, à tradução de obras clássicas da literatura mundial, entre outros. De modo geral, a poesia de cordel se estrutura através de três pilares: métrica, rima e oração, podendo ser composta em quadras, sextilhas, setilhas ou décimas, em redondilha maior e rimas soantes. É respeitando esta convenção e, de acordo com os pilares dos gêneros discursivos de Bakhtin (1992) – estrutura composicional, tema e estilo –; a Literatura Comparada segundo Béssière (2011); a teoria da transtextualidade de Genette (1982); a intertextualidade de Samoyaut (2008), entre outros, que apresentamos este trabalho de leitura comparada acerca da dialogia das narrativas francesas: La Dame aux camélias (1848/1981), de Dumas fils; Madame Bovary (1856/1961), de Gustave Flaubert; e Boule de Suif (1880/2004), de Guy de Maupassant, com suas transposições para a Literatura de Cordel: A Dama das Camélias ou Armando e Margarida (2018), de Evaristo Geraldo, Madame Bovary em cordel (2008/2019), e Bola de Sebo (2018), de Stélio Torquato Lima, especialmente no que concerne à composição dos perfis das protagonistas: Emma Bovary, Marguerite Gautier e Elisabeth Rousset. Espera-se que este trabalho possa contribuir para o desvendamento de especificidades concernentes à ampliação dos temas das obras de partida, ao seu imbricamento em decorrência da tradução para um gênero carregado de valores culturais (romance de cordel), que traz em sua estrutura composicional e em sua temática a essência da brasilidade.

Biografia do Autor

Margarida da Silveira Corsi, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

Doutora em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2007),  professora ASSOCIADA da Universidade Estadual de Maringá. Tenho experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura e Cinema e ensino de Línguas, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura comparada, literatura e outras artes, ensino de literatura, leitura e letramento texto literário, interação verbal, línguas estrangeiras modernas. Atuo na Pós-graduação do Profletras, Mestrado profissional em Letras, ministrando a disciplinaLiteratura e Ensino. Integro o grupo de pesquisa Ressignificações do passado na América: processos de leitura, escrita e tradução de gêneros híbridos de história e ficção, vias para a descolonização. com pós-doutorado pela UNIOESTE/Cascavel, sob tutoria do Professor doutor Gilmei Francisco Fleck; e pela Université Lyon 2, sob tutoria da Professora Doutora Maria da Conceiçao Coelho Ferreira.

Referências

ABREU, Márcia. “Então se forma a história bonita” – relações entre folhetos de cordel e literatura erudita. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 10, n. 22, p. 199-218, jul./dez. 2004.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. (1979) Tradução de Ermantina Galvão. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1992. 421p.

BÉSSIÈRE, Jean. Centro, centros: novos modelos literários. In: WEINHARDT, M.; CARDOZO, M. M. Centro, centros. Literatura e Literatura Comparada em discussão. Curitiba: ed. UFPR, 2011. p.13-35.

BUARQUE, Chico. Geni e o Zepelim. (1978). Disponível em: https://www.letras.mus.br/chico-buarque/77259/, acesso em 28 de setembro de 2020.

CASCUDO, Luís da Câmara. Literatura oral no Brasil. (1952). 3.ed. Belo Horizonte : Itatiaia ; São Paulo: Edusp, 1984. 435p.

DUMAS FILS, Alexandre. (1848) La Dame aux Camélias: roman, théâtre, livret. Paris: Flammarion, 1981. 540p.

EVARISTO, Marcela Cristina. O Cordel em sala de aula. In : BRANDÃO, H. N. (Coord.). Gêneros do discurso na escola: mito, conto, cordel, discurso político, divulgação científica. 5 ed., São Paulo: Cortez, 2011. pp.119-142.

FLAUBERT, Gustave. (1856) Madame Bovary. Paris: Gallimard, 1961. 503p.

GENETTE, Gérard. Palimpsestes: la littérature au segond degré. Paris: Seuil, 1982. 573p.

GERALDO, Evaristo. O Fogo de Minarã: Lenda indígena. Ilustrações de Anilton Freires. Fortaleza: Conhecimento, 2013. 48p.

GERALDO, Evaristo; RINARÉ, Rouxinol. Cordéis de arrepiar América. Ilustrações de Edusá. Fortaleza: Imeph, 2015. 40p.

GERALDO, Evaristo; NEVES, Paiva. A saga do lendário Sete orelhas. Capa de Cayman. Fortaleza: Edições Flor da Serra, 2016. 32p.

GERALDO, Evaristo. Lua Cambará. Capa de Cariry filmes. Alto Santo: Edições Monólitos, 2016. 16p.

GERALDO, Evaristo; SOLON, Godofrêdo. O menino vaqueiro que capturou o tempo. Capa de Jefferson Campos. Alto Santo: Edições Monólitos, 2017. 16p.

GERALDO, Evaristo. Zacimba Gaba: a princesa guerreira. Capa de Francisco Lisboa. Fortaleza: Edições Flor da Serra, 2017. 12p.

GERALDO, Evaristo. A Dama das Camélias ou Armando e Margarida. Capa de Maércio Siqueira. Alto Santo: Edições Monólitos, 2018. 40p.

GERALDO, Evaristo. Entrevista concedida a Margarida da Silveira Corsi. Maringá/Alto Santo, 24 de janeiro de 2018b.

HAURÉLIO, Marcos. Galopando o cavalo Pensamento. Capa de Erivaldo. 2 ed., Fortaleza: Tupynanquim/Aestrofe editoras, 2013. 8p.

HAURÉLIO, Marcos. Lucíola em cordel. Ilustrações de Luís Matuto. Barueri: Amarilys, 2016. 73p.

HAURÉLIO, Marcos. Cordéis de Arrepiar Europa. Ilustrações de Edusá. Fortaleza: Ed. Imeph, 2016b. 40p.

HAURÉLIO, Marcos. Entrevista concedida a Margarida da Silveira Corsi. Bienal/São Paulo, 10 de agosto de 2018.

LIMA, Stelio Torquato. O Vermelho e o negro. Mossoró: Editora Queima-bucha, 2008. 12p.

LIMA, Stelio Torquato. Madame Bovary em cordel. Mossoró: Editora Queima-bucha, 2008b. 12p.

LIMA, Stelio Torquato. ... E o vento levou em cordel. Ilustrações de Anilton Freires. Fortaleza: Cordelaria Flor da Serra, 2017. 174p.

LIMA, Stelio Torquato. Bola de Sebo. Capa de Cayman. Fortaleza: Cordelaria Flor da Serra, 2018. 16p.

LIMA, Stelio Torquato. Madame Bovary em cordel. Capa de Cayman. Fortaleza: Cordelaria Flor da Serra, 2019. 12p.

LIMA, Stelio Torquato. A Canção de Rolando. Capa de Cayman. Fortaleza: Cordelaria Flor da Serra, 2019b. 16p.

MAUPASSANT, Guy de. (1880) Boule de Suif. In: Oeuvres Complètes Illustrées du Guy de Maupassant. Paris: Bibliothèque Nationale de France, 2004, disponível em http://gallica.bnf.fr. 92p.

PINHEIRO, Hélder; LÚCIO, Ana Cristina Maria. O cordel na sala de aula. São Paulo: Editora Duas Cidades, 2001.166p.

RESENDE, José Camelo de Melo. O Romance do Pavão misterioso. (1923) 9 ed., Fortaleza: Tupynanquim Editora, 2011. 32p.

RINARÉ, Rouxinol do. O justiceiro do norte. Capa de Arievaldo Viana. Fortaleza: Cordelaria Queima-bucha, 2009. 32p.

RINARÉ, Rouxinol do. A Origem do guaraná: lenda indígena. Ilustrações de Anilton Freires. Fortaleza: Editora Conhecimento, 2013. 40p.

RINARÉ, Rouxinol do. Jorge e Carolina. Capa de Eduardo Azevedo. Fortaleza: Rouxinol do Rinaré edições, 2015. 32p.

RINARÉ, Rouxinol do; GERALDO, Evaristo. Cordéis de arrepiar África. Ilustrações de Edusá. Fortaleza: Editora Imeph, 2015. 40p.

VIANA, Klévisson. O Guarani em cordel. Capa de Ricardo Yoshiaki e Ilustrações de Luís Matuto. Barueri: Editora Amarilys, 2014. 92p.

Downloads

Publicado

2021-06-13

Edição

Seção

Artigos