Bolaño selvagem e os segredos de Eros e Tânatos: a flecha, o alvo e a escrita

Autores

  • Edson Oliveira da Silva Universidade Estadual de Feira de Santana

DOI:

https://doi.org/10.13102/lm.v11i2.6614

Palavras-chave:

Roberto Bolaño, Los detectives salvajes, Vida, Morte, Jogo.

Resumo

Partindo da compreensão de que o texto literário se constitui a partir da negociação entre a política, a história e a cultura, estruturas elaboradas sob a orientação das relações produzidas pelos sujeitos, em um tempo-espaço, a presente investigação tem por objetivo analisar as dimensões assumidas pelos binômios luto-melancolia e vida-experiência no romance Los detectives salvajes (1998) do escritor chileno Roberto Bolaño (1953-2003), uma voz representativa da narrativa contemporânea de língua espanhola, compreendida no circuito paradoxal estabelecido entre a Espanha e a América Latina. Desse modo, motivada pela leitura e pela análise do romance, a pesquisa dialoga, em algumas circunstâncias, com diferentes áreas do conhecimento, como a história, a mitologia, a filosofia e a psicanálise, a fim de compreender as diversas formas de comunicação da literatura com outras linguagens, e assim, discutir de que maneira a escrita literária é capaz de tematizar a condição humana, arquitetada, neste caso, nos escombros da genealogia latino-americana.

 

Biografia do Autor

Edson Oliveira da Silva, Universidade Estadual de Feira de Santana

Possui Graduação em Licenciatura em Letras com Língua Espanhola pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) (2006). Especialista em Estudos Literários (2008) e Mestre em Literatura e Diversidade Cultural (2010) também pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Doutor em Teoria e Críticas da Literatura e da Cultura (2016) pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), tendo realizado Estágio Sanduíche na Universidade Autônoma de Barcelona (UAB), Espanha, durante o período de 23/02/2015 a 24/11/2015. Atualmente é Professor de Língua Portuguesa da Prefeitura Municipal de Santo Estevão e Professor Assistente de Língua Espanhola e Literaturas em Língua Espanhola da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Contemporânea da América Latina.

Referências

BOLAÑO, Roberto. Amuleto. Barcelona: Anagrama, 1999.

BOLAÑO, Roberto. Los detectives salvajes. Barcelona: Editorial Anagrama, 1998.

ESOPO. Grécia Antiga. In: KOVÁCS, Maria Júlia. Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1992.

FLORES, María Antonieta. Notas sobre Los detectives salvajes de Roberto Bolaño. Disponível em: <http://garciamadero.blogspot.com.br/2009/01/notas-sobre-los-detectives-salvajes-de.html>. Acesso em: 22 jul. 2016.

FREUD, Sigmund. [1924]. Uma nota sobre o bloco mágico. In:______. Obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Vol XIX . Rio de Janeiro: Imago, 1996.

FREUD, Sigmund. [1915]. As pulsões e suas vicissitudes. In: Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. vol. XIV.

FREUD, Sigmund. [1920]. Além do princípio do prazer. In: Escritos sobre psicologia do inconsciente. Tradução de Luiz Alberto Hanns. Rio de Janeiro: Imago, 1996. vol. II.

FREUD, Sigmund. [1924]. A dissolução do complexo de Édipo. In: Edição standard brasileira das obras completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. vol. XIX.

FREUD, Sigmund. Luto e melancolia. Tradução de Marilene Carone. São Paulo: Cosac Nayf, 2012.

FRANCHINI, A. S. As melhores histórias da mitologia: deuses, heróis, monstros e guerras da tradição greco-latina. 9. ed. Porto Alegre: L&PM, 2007.

GARCIA-ROZA, Luiz Alfredo. Freud e o inconsciente. 24. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

SONTAG, Suzan. A doença como metáfora. Rio de Janeiro: Graal, 2004.

TAVARES, Leandro Anselmo Todesqui. A depressão como “mal-estar” contemporâneo. São Paulo: Editora Unesp, 2010.

Downloads

Publicado

2021-06-13

Edição

Seção

Artigos