Aracê, o Acendedor de Estrelas; Sonho com Cheiro de Flor; Um Homem Pescando num Cais

Danielle Faria Teixeira Sampaio Vilar

Resumo


Num certo tempo, no espaço específico de uma pequena aldeia imersa em densa floresta, é de onde começo a contar essa história, incrível história de um índio, o pequeno grande índio, Aracê. Nesse cenário esverdeado, vive a Tribo do Sol, tribo que abriga um povo que realizava suas atividades diárias conforme a trajetória que o Sol fazia no céu. Todo filho dessa tribo acordava quando o Sol nascia, e se recolhia, e adormecia, quando o Sol se punha entre as serras. Era a rotina tradicional, viva como a própria existência da aldeia, nem o mais velho ancião sabia como esse movimento iniciou, mas era assim a vida e assim se vivia. A tribo sobrevivia dos alimentos cultivados na terra e pescados do rio que banhava a pequena aldeia, tudo sob a luz do Sol. Tudo funcionava no período entre o nascer e o pôr do Sol.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/repila.v0i1.4314

Apontamentos

  • Não há apontamentos.