HEIDEGGER E A FENOMENOLOGIA DO ESPÍRITO DE HEGEL

Robson Costa Cordeiro

Resumo


O texto aborda as considerações feitas por Heidegger sobre a Fenomenologia do Espírito de Hegel, mostrando que o espírito é o objeto e também o sujeito da fenomenologia e que, portanto, o genitivo da expressão Fenomenologia do Espírito é tanto um genitivus objetivus como também um genitivus subjetivus. Ademais, o texto irá também procurar distinguir as concepções de fenomenologia dos dois pensadores, estabelecendo entre eles uma confrontação de pensamento.

Texto completo:

PDF

Referências


CARNEIRO LEÃO, Emmanuel. A fenomenologia e o cuidado de si. In: Aprendendo a pensar III. 1ª edição. Teresópolis: Daimon Editora, 2017.

___________________________. Hegel, Heidegger e o absoluto. In: Aprendendo a pensar I. 1ª edição. Petrópolis: Vozes, 2000. GADAMER, Hans-Georg. Hegel – Husserl – Heidegger. Tradução de Marco Antonio Casanova. Petrópolis: Vozes, 2012.

GOETHE, Johann Wolfgang Von. Fausto: uma tragédia — primeira parte. Tradução de Jenny Klabin Segall. São Paulo: Editora 34, 2004.

HEGEL, G. W. F. Fenomenologia do espírito. Parte I. Tradução de Paulo Meneses com a colaboração de Karl-Heinz Efken. Petrópolis: Vozes, 1992.

HEIDEGGER, Martin. Hegel. Traducción de Dina V. Picotti C. Buenos Aires: Prometeo Libros, 2007.

_________________. O conceito de experiência em Hegel. In: Caminhos de Floresta. Tradução de Helder Lourenço. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2002.

KANT, Immanuel. Crítica da razão pura. Tradução de Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i38.4288

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384