HEIDEGGER E ARISTÓTELES: O FENÔMENO DO MUNDO PERANTE A ARGUMENTAÇÃO LÓGICA DO MUNDO

Guilherme Devequi Quintilhano, Eder Soares Santos

Resumo


O presente artigo articula a relação entre Heidegger e Aristóteles no desenvolvimento sobre o fenômeno do mundo (Welt) a partir do Livro IV da Metafísica. Na preleção de 1929-1930, Os conceitos fundamentais da metafísica, vislumbramos um caminho possível a ser percorrido que leva até o Livro IV da Metafísica aristotélica e ao debate com a tradição. Por consequência, o retorno para Ser e Tempo indica que o discurso adotado por Heidegger, na questão sobre o fenômeno do mundo, apresenta-se como uma tentativa de se distanciar dos enunciados lógicos da tradição a partir do motor imóvel aristotélico. Desse modo, enfatizamos dois pontos em Heidegger: 1) o seu resgate da tradição filosófica, ou seja, ele não destrói a tradição, pelo contrário, a filosofia heideggeriana e a construção de seus conceitos partem desse retorno; 2) a facilitação da compreensão do fenômeno de mundo em Ser e Tempo a partir da preleção de 1929-1930 e, por conseguinte, o motivo de nós voltarmos ao Livro IV da Metafísica de Aristóteles.

Texto completo:

PDF

Referências


BROGAN, Walter A. Heidegger and Aristotle: the twofoldness of Being. State University of New York, 2005.

ESCUDERO, Adrián. Heidegger e a filosofia prática de Aristóteles. Tradução Jasson da Silva Martins, José Francisco dos Santos. São Leopoldo, RS: Nova Harmonia, 2010.

TAMINIAUX, Jacques. Leituras da Ontologia Fundamental: ensaios sobre Heidegger. Tradução João Carlos Paz. Lisboa, Portugal: Instituto Piaget, 1995.

VOLPI, Franco. Heidegger e Aristóteles. Tradução José Trindade dos Santos. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

ZARADER, Marlène. Heidegger e as palavras da origem. Tradução João Duarte. Instituto Piaget. Lisboa, 1998




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i38.4294

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384