PARA HUMANIZAR HEIDEGGER: TRÊS VARIAÇÕES

Juliano Garcia Pessanha

Resumo


O texto, dividido em três partes, apresenta de um modo heterodoxo aspectos centrais do pensamento heideggeriano e sua recepção por Peter Sloterdijk. A primeira parte procura mostrar que a semântica heideggeriana é deficitária quando se trata de esclarecer o enraizamento no mundo e que ela serve mais para designar o estar-suspenso-na-fronteira. Na segunda parte, discute-se o extremismo e o messianismo de Heidegger. Já a terceira fecha o texto aforismática e ironicamente com uma observação sobre sossego e desassossego.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner. Antologia: Mar. Lisboa: Caminho, 2001.

HEIDEGGER, Martin, Aportes a la filosofia: Acerca del evento. Buenos Aires: Biblos: Biblioteca Internacional Heidegger, 2003.

_____. “Carta sobre o humanismo”, in Heidegger, trad. Ernildo Stein. São Paulo: Abril Cultural, 1979. (Coleção Os Pensadores.)

_____. History of the Concept of Time: Prolegomena, trad. Theodore Kisiel. Indianapolis: Indiana University Press/ Midland Book, 1992.

_____. Introdução à filosofia, trad. de Marco Antonio Casanova. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

_____. “Que é metafísica?”, in Heidegger, trad. Ernildo Stein. São Paulo: Abril Cultural, 1979a. (Coleção Os Pensadores.)

____. Ser e tempo. 8a ed., trad. de Márcia Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes, 2006.

_____. “Tempo e ser”, in Heidegger, trad. Ernildo Stein. São Paulo: Abril Cultural, 1979b. (Coleção Os Pensadores.)

SLOTERDIJK, Peter, Sin salvación: Tras las huellas de Heidegger, trad. Joaquín Chamorro Mielke. Madrid: Akal, 2011.

____. O sol e a morte, trad. Carlos Correia Monteiro de Oliveira. Lisboa: Relógio D’Água, 2007.

TSVETÁIEVA, Marina, Vivendo sob o fogo, trad. Aurora Bernardini. São Paulo: Martins Fontes, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i38.4297

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384