A teologia negativa entre Pseudo-Dionísio Areopagita e Mestre Eckhart

Saulo Matias Dourado

Resumo


A tradição do pensamento místico se remete às origens da Idade Média, quando os textos platônicos são lidos por mestres cristãos. Pseudo-Dionísio Areopagita, autor da Teologia Mística, é um dos continuadores do neoplatonismo pelo viés religioso e, nesta obra, trata do princípio de negação que compreende Deus apenas pelas negações do que Ele não é. Em Mestre Eckhart, a questão sobre a natureza divina se torna também uma compreensão sobre o ser que transcende para o não-ser. O mestre renano desenvolve a partir das bases da teologia negativa e propõe uma ontologia a partir do conceito de deidade (Gottheit), que trata o Uno retirado de todo e qualquer forma a ponto de identificar-se com o próprio Nada.

 

Palavras-chave: Teologia Negativa, Pseudo-Dionísio Areopagita, Eckhart, Mística Cristã Medieval, Nada.


Texto completo:

PDF

Referências


AREOPAGITA, P.-D. Oeuvres complètes du pseudo-Denys l'Aréopagite. Trad. M. de Gandillac. Paris: Aubier, 1943.

CARVALHO, M. S. de. Pseudo-Dionísio Areopagita - Teologia Mística. Porto: Ed. Fundação Eng. António de Almeida. Porto, 1996.

CUNHA, C. B. Dionísio Pseudo-Areopagita: mística e neoplatonismo. São Paulo: Paulus, 2009.

_______. Porfírio, Dionísio e Mestre Eckhart: considerações sobre a adequação entre ser e inteligência. Princípios - Revista de Filosofia. Natal, v. 22, 2015, p. 31-51.

ECKHART, Mestre. Sermões Alemães vol. 1. Trad. Enio Paulo Giachini. Ed. Universitária São Francisco, Ed. Vozes, 2006.

______. Sermões Alemães vol. 2. Trad. Enio Paulo Giachini. Paulo. Ed. Universitária São Francisco, Ed. Vozes, 2009.

______. Expositio Libri Genesis. Edição bilingue latim-francês: Le Commentaire de la Genèse précédé des Prologues (Org.). A. De Libera, E. Wéber, E. Zum Brunn. Paris: Les Éditions du Cerf, 1984.

GANDILLAC, M. de. Gêneses da Modernidade. Rio de Janeiro: Ed. 34. 1995.

GIACHINI, E. P. Notas e Glossário In: ECKHART, Sermões Alemães Vol.1. Ed. Universitária São Francisco, Ed. Vozes, 2006.

GILSON, E. A filosofia na Idade Média. Tradução Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

GUERIZOLI, R. A condenação de Mestre Eckhart: apresentação e tradução da bula papal In Agro Dominico. Síntese - Rev. de Filosofia. Belo Horizonte, v. 27, n. 89, 2000), pp. 387-403.

JARCZYK, G.; LABARRIÈRE, P.-J. Maître Eckhart ou l’empreinte du desert. Paris: Albin Michel, 1995.

LOSSKY, V. Théologie negative et connaissance de Dieu chez Maître Eckhart. Paris: J. Vrin, 1998.

MOTA, L. R. e GONÇALVES, W. C. A niilidade e o anonimato de Deus: o apofaticismo do místico Pseudo-Dionísio, o Areopagita. Interações – Cultura e Comunidade, Belo horizonte, v.9 n.16, 2014, p. 431-452.

RASCHIETTI, M. O uno e o ser no pensamento de Meister Eckhart. Trans/Form/Ação, Marília, vol. 35, 2012, pp. 79-98.

SCHUBACK, M. S. de C. Para Ler os Medievais – Ensaio de Hermenêutica Imaginativa. Ed. Vozes, 2000.

SCHÜRMANN, R. Wandering Joy: Meister Eckhart’s mystical philosophy. Lindisfarne Books, 2001.

VAZ, H. C. de L. Experiência mística e filosofia na tradição ocidental. São Paulo: Edições Loyola, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i40.4373

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384