FILOSOFIA DA LIBERTAÇÃO: UM OLHAR SOBRE OS CONCEITOS DE CRISE E DESENVOLVIMENTO

Klédson Tiago Alves de Souza, José Francisco das Chagas de Souza

Resumo


Este artigo tem por objetivo refletir, partindo dos conceitos de crise e desenvolvimento. sobre a filosofia da libertação, nascida na América Latina por volta dos anos 70, como um sinal de superação da estrutura colonizadora e opressora. O processo de construção de uma sociedade justa passa pela descolonização, daí que é preciso entender a crise como esse momento de mudança, e a filosofia da libertação como o movimento do pensamento que é capaz de promover aquilo que Dussel chama de primavera política.

Palavras-chave: Crise. Desenvolvimento. Filosofia da Libertação. América Latina.


Texto completo:

PDF

Referências


ACOSTA, Alberto. O bem viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. Tradução de Tadeu Breda. São Paulo: Autonomia Literária, Elefante, 2016.

DUSSEL, Enrique. Filosofia da Libertação - na América Latina. São Paulo: Loyola, 1977.

______. 1492: O Enconbrimento do Outro: a origem do mito da modernidade. Tradução Jaime A. Clasen. Petrópolis, RJ: Vozes, 1993.

______. Filosofia da Libertação: Crítica à ideologia da exclusão. Tradução Georges I. Maissiat. São Paulo: Paulus, 1995.

______. Hacia una filosofia política crítica. Bilbao: Desclèe, 2001.

______. 13 Tesis de Economia Política (prelo), 2013.

______. Ética da libertação na idade da globalização e da exclusão. Petrópolis: Vozes, 2000.

HILFERDING, Rudolf. O capital financeiro. S.P, Nova Cultural: 1985.

KOSELLECK, Reinhart. Crítica e crise: uma contribuição à patogênese do mundo burgês. Tradução do original alemão [de~Luciana Villas-Boas Castelo-Branco. Rio de Janeiro: Contraponto, 1999.

MANCE, Euclides André. Uma Introdução Conceitual às Filosofias de Libertação. In: Revista Libertação-Liberación / Nova Fase - Curitiba, IFiL, Ano 1, N.1, 2000, p.25-80. Disponível em: https://issuu.com/ricardo2p/docs/liberta____o-liberaci__n__nova_fase. Acesso em 14 de julho de 2017.

MARX, Karl. Manuscrito Econômicos-Filosóficos. Tradução, Apresentação e Notas de Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2008.

SÁNCHEZ VÁZQUEZ, Adolfo. Filosofia da práxis. 2ª ed., Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales – Clacso: São Paulo: Expressão Popular, Brasil, 2011.

SEZYSHTA, Arivaldo José. Corporalidade despida: da exterioridade marxiana à opção pela vítima em Enrique Dussel. João Pessoa, 2014. Tese de doutorado. Orientador: Dr. Antônio Rufino Vieira. Disponível em: http://tede.biblioteca.ufpb.br/bitstream/tede/5643/1/arquivototal.pdf. Acesso em 12 de julho de 2017.

STARN, Randolph «Métamorphoses d'une notion», Communications, nº 25, 1976.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i41.4695

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384