O PRINCÍPIO CRÍTICO-MATERIAL DA ÉTICA DA LIBERTAÇÃO

José Edemilson Pereira dos Anjos

Resumo


O artigo apresenta um estudo teórico e bibliográfico acerca do critério e princípio crítico-material da Ética da Libertação de Enrique Dussel. Situa o surgimento da Ética da Libertação no contexto filosófico imediatamente posterior ao debate entre a Filosofia latino-americana e da Libertação com a Ética do Discurso, iniciado a partir do ano de 1989. Mostra a transformação ocorrida no aporte teórico e categorial na filosofia de Dussel, resultante da maneira crítica, criativa e pessoal com que soube lidar com a influência marcante de três grandes filósofos críticos da modernidade: E. Lévinas, K. Marx e K.-O. Apel. O estudo busca aprofundar o conhecimento acerca do tema “o critério e princípio crítico-material da Ética da Libertação”, destacando a “vítima” como categoria-chave da crítica, bem como a centralidade e a relevância do aspecto material-negativo (representada na figura da “vítima”) para a arquitetônica da referida Ética. Ao longo de seu desenvolvimento, descobre a vida humana concreta como o âmbito próprio de ação da razão ético-crítica, que reconhece a negatividade da vítima como o ponto de partida da crítica; também serão trabalhados alguns conceitos-chave, tais como “vítima”, “responsabilidade”, “ética material”, “intersubjetividade”. O estudo integra, de maneira parcial, a uma tese para o Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i41.4712

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384