MARÍA LUGONES E A DESCOLONIZAÇÃO DO FEMINISMO

Ayanne Larissa Almeida de Souza, Valmir Pereira

Resumo


Filósofa feminista nascida na Argentina, María Lugones interessou-se por analisar diversas formas de resistência diante das múltiplas opressões. Responsável pela análise do feminismo descolonial, desenvolveu o conceito de colonialidade de gênero, através do qual afirma ser o gênero uma imposição colonial. A partir de seus trabalhos Heterossexualismo e o Sistema Colonial/Moderno de Gênero e Rumo a um feminismo descolonial, pretendemos apresentar as principais ideias da autora, as quais focam na questão da colonialidade e o impacto que esta teve sobre as formações dos gêneros, bem como das múltiplas formas de resistência em face da opressão. Seguindo a teoria da colonialidade, de Aníbal Quijano, concluímos junto a autora que o gênero é uma imposição colonial, um sistema classificatório do processo da colonização cujo objetivo era submeter, subjugar e dominar as pessoas de maneiras distintas, levando em consideração fatores classicistas e étnicos.


Texto completo:

PDF

Referências


DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Féliz. Mil Platôs – Capitalismo e Esquizofrenia. Vol. 1. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1997.

HELLER-ROAZEN, Daniel. Ecolalias – Sobre o esquecimento das línguas. Tradução de Fábio Akcelrud Durão. Campinas (SP): Editora Unicamp, 2010.

LUGONES, María. Colonialidad y Género. Tabula Rasa. Bogotá – Colombia, n.9, 73-101, julio-diciembre 2008.

_______________. Heterossexualism and The Colonial/Modern Gender System. Hypatia, v. 22, n. 1, p.186-209. 2007.

_______________. Rumo a um feminismo descolonial. Tradução de Juan Ricardo Aparicio e Mario Blaser. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 22, n. 3. setembro-dezembro/2014.

LAQUEUR, Thomas. Making sex: body and gender from the greeks to Freud. Cambridge: Harvard University Press, 1992.

LIMA, Luiz Costa de. Mímesis: Desafio ao Pensamento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad de poder, eurocentrismo y América Latina. In: Colonialidade del Saber, Eurocentrismo y Ciencias Sociales. 201-246. CLACSO-UNESCO, 2014, Buenos Aires.

QUIJANO, Aníbale. Colonialidade, modernidad/racionalidad. In: Perú Indígena, vol. 13, n.29, p.11-29. 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i42.4872

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384