BEAUVOIR APÓS BUTLER

Bianca de Oliveira Corrêa, Hilan Nissior Bensusan

Resumo


“Ninguém nasce mulher: torna-se mulher”. Com essa frase, Simone de Beauvoir consolidou um clássico nos estudos feministas para o que viria a ser uma das bases para a conceituação de “gênero”. Judith Butler interpreta a filosofia da autora francesa, analisando seus potenciais e com isso desconstruindo estruturas como o gênero a partir da própria obra. O presente trabalho trata dessa ressignificação de Beauvoir por Butler.


Texto completo:

PDF

Referências


ATWOOD, M. O Conto Da Aia. Trad. Ana Deiró. Rio de Janeiro: Rocco, 2017.

ASSIS,M. Menina Moça. Falenas. Disponível em: . Acesso em: 12 de Junho de 2018.

BEAUVOIR,S. O Segundo Sexo: Fatos e Mitos. Trad. de Sérgio Milliet. vol. 1. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1970.

. O Segundo Sexo: A Experiência Vivida. Trad de Sérgio Milliet. vol. 2 São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1967.

BENTO, B. A Reinvenção do Corpo: Sexualidade e Gênero na Experiência Transexual. Disponível em: . Acesso em: 20 de Junho de 2018.

. Escutar Vozes e Falar em Línguas. In: . Transviad@s: gênero, Sexualidade e direitos humanos. Bahia: UFBA, 2017.

BUTLER, J. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão de Identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

. Sex and Gender in Simone de Beauvoir’s Second Sex. Yale French Studies, n. 72, p.35-49,1987.

FEDERICI, S. Calibã e a Bruxa: Mulheres Corpo e Acumulação Primitiva. Trad. de Coletivo Sycorax. São Paulo: Elefante, 2017.

FOUCAULT, M. História da Sexualidade: A Vontade de Saber. Trad. de Maria Thereza de Albuqurque e J.A. Guilhon Albuquerque. vol. 1. 2 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

HEIDEGGER, M. Ser e Tempo. Trad. de Márcia Sá Cavalcante Schuback. Parte 1. 15 ed. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2005.

HOLANDA, S.B. de. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

RUBIN, G. The Traffic in Women. In: HANSEN, K; PHILIPSON, I. Women, Class and the Feminist Imagination. Philadelphia: Temple, 1990.

SARTRE, J.P. O Ser e o Nada: Ensaio de Ontologia Fenomenológica. Trad. de Paulo Perdigão. Rio de Janeiro: Vozes, 2007. Disponível em: . Acesso em: 23 de Junho de 2018.

WITTIG, M. One is Not Born a Woman. In: The Straight Mind and Other Essays. Boston: Beacon Press, 1992.

VEJA. Marcela Temer: Bela Recatada e do Lar. Veja. Disponível em: . Acesso em: 19 de Junho de 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i42.5069

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384