A PRIORIZAÇÃO DO CURRÍCULO NAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS: A TOTALIDADE COMO EXPRESSÃO DO CAMPO EM DISPUTA DO CURRÍCULO

Alisson Slider do Nascimento de Paula, Antônio Marcondes dos Santos Pereira, Frederico Jorge Ferreira Costa

Resumo


O presente trabalho analisa o campo do currículo como expressão das relações sociais configurando-se como um campo em disputa. Compreende-se que as condicionalidades decorrentes da conjuntura contemporânea do Brasil engendram implicações diretas nos objetivos educacionais atendendo, desta maneira, os interesses dos setores predominantes da sociedade através da utilização de mecanismos de ideologia e, ademais, a partir do movimento de reformas educacionais. O território do currículo, com efeito, é sitiado por ideologias neoliberais e neoconservadoras tendendo a direcionar e estreitar as relações envolvendo economia e educação a partir da noção de capital humano.

Texto completo:

PDF

Referências


APPLE, Michael W. Ideologia e currículo. Porto Alegre: Artmed, 2006.

APPLE, Michael W. Educação e poder. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.

BATISTÃO, Marci. Eixos Fundamentais para a constituição do currículo. In: PLATT, Adriana Dulcina (Org). Currículo e formação humana: princípios, saberes e gestão. Curitiba: Editora CRV, 2009.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular – Ensino Médio – 3ª versão. Ministério da Educação/Conselho Nacional de Educação, 2018. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2019.

CASTRO, Mariângela Machado; MARIANO, André Luiz Sena. Ideologia, escola e conhecimento: a reprodução do currículo oculto às possibilidades de superação a partir da pedagogia histórico-crítica. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 64, 2017.

CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 2004.

CHIZZOTI, Antônio; PONCE, Branca j. O currículo e os sistemas de ensino no Brasil. Currículo sem fronteiras, Pelotas, v. 12, n. 3, 2012.

CNI. A indústria e o Brasil: uma agenda para crescer mais e melhor. Brasília, 2010. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2019.

COSTA, Frederico Jorge Ferreira. et. all. Ensino médio brasileiro no contexto do golpe de Estado de 2016. O público e o privado, Fortaleza, v. 14, n. 30, 2017. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2019.

DE PAULA, A.; PEREIRA, K.; COSTA, F.; LIMA, K.; FERREIRA, E. Modernização conservadora, pedagogia do capital e as reformas educacionais. Cadernos do GPOSSHE On-line, v. 2, n. 1, p. 26 - 44, 19 ago. 2019. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2019.

HARVEY, David. O neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: Loyola, 2008.

LEHER, Roberto. Uma etapa crucial da contrarreforma. Le Monde Diplomatique – Brasil. 3 de novembro de 2016 (p. 6-7). Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2019.

LEHER, Roberto; VITTORIA, Paolo; MOTTA, Vânia. Educação e mercantilização em meio à tormenta político-econômica do Brasil. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 9, n. 1, 2017. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2019.

LUKÁCS, G. História e consciência de classe: estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

_________. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo, 2013.

KONDER, Leandro. A questão da ideologia. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

MACEDO, Roberto Sidnei. Currículo: campo, conceito e pesquisa. Petrópoles, RJ: Vozes, 2009.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MOREIRA, Antonio, Flavio Barborsa; MACEDO, Elizabeth Fernandes. Faz sentido ainda o conceito de transferências educacional? In: MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa (Org.). Currículo: polítcas e práticas. Campinas, SP: Papirus, 1999, pp. 11-28.

MOTTA, Vânia Cardoso da; FRIGOTTO, Gaudêncio. Por que a urgência da reforma do ensino médio? Medida provisória nº 746/2016 (Lei nº 13.415/2017). Educação e Sociedade, Campinas, v. 38, n. 139, 2017. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2019.

PERONI, Vera; CAETANO, Maria Raquel; LIMA, Paula de. Reformas educacionais de hoje: as implicações para a democracia. Revista Retratos da Escola, v. 11, n. 21, 2017. Disponível em: < http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/793/pdf >. Acesso em: 13 out. 2019.

PONCE, Branca Jurema. O currículo e seus desafios na escola pública brasileira: em busca da justiça curricular. Currículo sem fronteiras, v. 18, n. 3, 2018. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2019.

SANTOMÉ, Jurjo. O curriculum oculto. Porto – Portugal: Porto Editora, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i42.5781

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384