BREVES CONSIDERAÇÕES A UMA POSSÍVEL “REPÚBLICA DOS PRAZERES” DE VALLA

Autores

  • Ana Leticia Adami Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.13102/ideac.v1i43.5894

Resumo

O pensamento político que se desenvolve no início do renascimento italiano deve muito de sua investigação ao legado das obras de Cícero. É através do De Officiis, sobretudo, que a moral estoica adquiri grande popularidade e penetração entre os autores da Renascença. Como já foi assinalado, encontramos nessa obra considerações sobre o horizonte moral para a ação do agente político, sobredeterminado pela definição do télos da ação moral, ainda que posto no registro do modo de vida particular do agente. Nesse sentido, seu arrazoado é menos especulativo, e mais relacionado aos usos da vida ordinária para formação indireta do sujeito político. Como desdobramento dessas orientações, entrará em curso uma querela sobre dois diferentes modos de vida ou costumes mais convenientes à vida cívica: o de origem estoica e epicurista. No Renascimento, a questão acerca da “finalidade dos bens”, o sumo bem, volta a ser alvo de acirradas disputas especulativas. Como defensor do modo de vida epicurista e, consecutivamente, do sumo bem do prazer, encontraremos a obra de Lorenzo Valla, De Voluptate (1431), da qual extrairei algumas de suas considerações sobre os bens para fundamento do que podemos chamar de sua “república dos prazeres”.

Biografia do Autor

Ana Leticia Adami, Universidade de São Paulo

Mestre em História Social

Doutor em Filsofia, na área de Ética e Polífica, subárea História e Filosofia do Renascimento

Referências

BRUNI, L. An Isagogue to Moral Philosophy. For Galeotto Ricasoli. (Isagogicon Moralis Philosophiae). In: GRIFFITHS, G., HANKINS J., THOMPSON, D. (Orgs). The Humanism of Leonardo Bruni: Selected Texts. Binghamton: Center for Medieval and Early Renaissance Studies, 1987. p. 257-258.

CARDOSO, S. Legados Ciceronianos. São Paulo: no prelo, 2021.

CÍCERO. De Finibus Bonorum Malorum. Loeb Classical Library. Cambridge: Harvard University Press, 1999.

CÍCERO. De Officiis. I Doveri. Trad. A. R. Barrile. Intro. e notas E. Narducci. Milano: BUR, 2007.

CÍCERO. Dos Deveres (De Officiis). Trad. Angélica Chiapeta. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GREENBLAT, S. A Virada. O nascimento do mundo moderno. Trad. C. Galindo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

LORCH, M. de P. Introdução. In: VALLA, L. De Voluptate (On Pleasure). trad. A. K. Hieatt e M. Lorch, Norwalk: Abaris Book, 1977.

PONS, A. La rhetórique des manières au XVI siècle en Italie. In: FUMAROLI, M. (Org.). Histoire de la rhétorique dans l'Europe moderne: 1450-1950. Paris: Presses Universitaires de France, 1999.

SCHILLER, F. A Educação Estética do Homem: numa série de cartas. Intr. E notas M. Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 2002.

VALLA, L. Correspondence. Ed. e trad. Brendan Cook. The I Tati Renaissance Library. Cambridge, London: Harvard University Press, 2013.

VALLA, L. De Voluptate (On Pleasure). Trad. A. K. Hieatt e M. de P. Lorch. Norwalk: Abaris Book, 1977.

VALLA, L. Do Prazer (De Voluptate). In: ADAMI, Ana Letícia. O De Voluptate de Lorenzo Valla: tradução e notas, 2010. Dissertação (Mestrado em História), FFLCH, USP, São Paulo, 2010.

Downloads

Publicado

2021-06-13

Edição

Seção

Dossiê