CONTRATO E REALIZAÇÃO EM ROUSSEAU

Autores

  • Antonio Cesar Ferreira da Silva Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS

DOI:

https://doi.org/10.13102/ideac.v1i43.7227

Resumo

Para Rousseau, ao se pensar sobre a estrutura política, é fundamental que se leve em conta a condição humana. Compreender como o homem pôde se realizar fora do contexto natural é compreender que a sociabilidade foi a única via possível para tal intento. Pensar política, pensar sociedade é pensar o homem. E isso Rousseau fez de forma exemplar, partindo sempre da condição que poderia viabilizar a realização do indivíduo; e procurou uma solução a partir da unidade entre aquilo que o homem queria construir para lhe fornecer uma boa condição de vida e aquilo que ele aspirava no seu mais íntimo sentimento, o sentimento de existência. Procurou considerar a vida do homem não dissociando as estruturas do estado em que o homem vivia e as estruturas da sua constituição. Essa via dá unidade ao pensamento rousseauniano, pois é a via que liga suas obras mais sistêmicas às obras de cunho mais antropológico. Daí não se compreender o projeto social de Rousseau sem a ligação com obras que abordam o homem em sua constituição, como é o caso do  Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens . Assim, tratar sobre a melhor forma de sociabilidade é tratar da relação entre essa forma e as aspirações do homem expressas pelo seu sentimento de existência.

Referências

ABBADIE, Jacques. L’art de se connaître soi-même ou la recherche des sources de la morale. Rotterdam: Chez Pierre Reinier Leers (1712). Texte revu par Christiane Frémont. Paris: Fayard, 2003.

ARISTÓTELES. A política. Tradução de Roberto Leal Ferreira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

BACZKO, B. Rousseau, rousseauistes. In: ORY, Pascal (Dir.). Nouvelle histoire des idées politiques. Paris: Hachette, 1987, p. 92-104.

BURGELIN, Pierre. La philosophie de l’existence de Jean-Jacques Rousseau. Paris: PUF, 1952.

CANIVEZ, Patrice. Le sentiment et le politique: essai sur Hannah Arendt et Jean-Jacques Rousseau. Les Cahiers de Philosophie, Lille, n. 4, p. 53-80, automne 1987.

CASSIRER, Ernst. Le problème Jean-Jacques Rousseau. Tradução de Marc B. de Launay. Paris: Hachette, 1987.

CASSIRER, Ernst. Indivíduo e cosmos na filosofia do renascimento. Tradução do alemão de João Azenha Jr. Tradução do grego e do latim de Mario Eduardo Viaro. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

Dictionnaire étymologique de la langue française. Sous la direction de Oscar Bloch et W. von Wartburg. Paris: Presses Universitaires de France, 1964.

GAUTHIER, David. Le sentiment d’existence. La quête inachevée de Jean-Jacques Rousseau. Traduit de l’anglais par Salim Hirèche. Genève: Markus Haller, 2011.

HOBBES, Thomas. Leviatã, ou Matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil. Tradução de João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. 4. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988. (Os Pensadores).

HONNETH, Axel. La lutte pour la reconnaissance. Traduit de l’allemand par Pierre Rusch. Paris: Gallimard, 2000.

LOCKE, John. Carta acerca da tolerância; Segundo tratado sobre o governo; Ensaio acerca do entendimento humano (1690). Tradução de Anoar Aiex e E. Jaci Monteiro. 3. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983. (Os Pensadores).

LOCKE, John. Segundo tratado sobre o governo civil. Tradução de Magda Lopes e Marisa Lobo da Costa. Petrópolis: Vozes, 1990.

OLIVEIRA, Manfredo Araújo de. Ética e sociabilidade. São Paulo: Loyola, 1993.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Oeuvres complètes. Édition publiée sous la direction de Bernard Gagnebin et Marcel Raymond. Paris: Gallimard, 1959. 5v. (Bibliothèque de la Pléiade).

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Émile ou De l’éducation. Chronologie et introduction par Michel Launay. Paris: Flammarion, 1966.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do Contrato social. Tradução de Lourdes Santos Machado.

ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987. (Os Pensadores).

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade

entre os homens. Tradução de Lourdes Santos Machado. 4. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987-1988a. (Os Pensadores).

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre as ciências e as artes. Tradução de Lourdes Santos Machado. 4. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987-1988b. (Os Pensadores).

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a economia política e Do Contrato social. Tradução de Maria Constança Peres Pissarra. Prefácio de Bento Prado Júnior. Petropólis, RJ: Vozes, 1995a.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio ou Da educação. Tradução de Sérgio Milliet. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995b.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Du contrat social. Présentation, notes, bibliographie et chronologie par Bruno Bernardi. Paris: Flammarion, 2001.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Carta a Christophe de Beaumont. Tradução de José Oscar de Almeida Marques. Campinas: IFCH/UNICAMP, 2004.

VINCENTI, Luc. Du Contrat Social. Rousseau. Paris: Ellipses, 2000. (Philo-Oeuvres).

VINCENTI, Luc. Jean-Jacques Rousseau: l’individu et la république. Paris: Kimé, 2001.

WEBER, Thadeu. Hegel, liberdade, estado e história. Petrópolis, RJ: Vozes, 1993.

WEIL, Eric. Jean-Jacques Rousseau et sa politque. Critique 56 : Revue Générale des Publications Françaises et Étrangères, Paris, t. 9, n.56, p. 4-28, 1952.

WEIL, Eric. Essais et conférences. Tome 2 Politique. Paris : Vrin, 1991.

WEIL, Eric. Philosophie politique. Paris: Vrin, 2013.

WOKLER, Robert. Rousseau. Oxford: Oxford University Press, 1995.

ZARKA, Yves Charles (éd). Critique de la reconnaissance. Autour de l’oeuvre d’Axel Honneth. Paris : Éditions Mimésis, 2015.

ZARKA, Yves Charles. L’autre voie de la subjectivité. Paris: Beauchesne, 2000.

Downloads

Publicado

2021-06-13

Edição

Seção

Dossiê