"Uma questão de sobrevivência": a institucionalização da luta contra o racismo.

Wanessa Galindo Falcão da Silva, Daniel Victor Santos Sena, Sthefanie Ramos de Moraes Bôa Ventura, Eliabe Ribeiro Vidal

Resumo


A presente entrevista nasce a partir da inquietação diante das estatísticas que revelam a situação de desvantagem em que se encontra a população negra brasileira. A falha do Estado em promover políticas que não atendem a camada base da pirâmide social do Brasil pode ser entendida sob a perspectiva de um projeto que tem na desigualdade racial a pedra de toque das relações institucionais com os indivíduos da sociedade. Diante da crescente institucionalização da militância antirracista, que já obteve resultados, a exemplo da Lei de cotas, observamos uma nova maneira de lutar contra o discurso hegemônico da inexistência de tensão racial no país, nascendo, ainda, a curiosidade sobre os obstáculos dessa forma de combate a desigualdade racial. Como ponto de intersecção entre militância e institucionalidade, a entrevistada, Dra. Lívia Vaz, representante do Ministério Público da Bahia, apresenta suas considerações acerca dos obstáculos, resultados e os novos horizontes de seu trabalho enquanto promotora e militante.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rjuefs.v2i2.3307

Apontamentos

  • Não há apontamentos.