CONDIÇÕES ESTRUTURAIS DOS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS) DE FEIRA DE SANTANA-BA

Gisleide Ferreira de Jesus, Thereza Christina Bahia Coelho

Resumo


Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) vêm apresentando, nos últimos anos, um expressivo crescimento, mas ainda persistem obstáculos estruturais à implantação desse importante dispositivo da Reforma Psiquiátrica Brasileira (RPB), independentemente de outros problemas relativos à organização do cuidado em saúde mental. Este artigo objetivou caracterizar a estrutura dos cinco CAPS de um município nordestino, implantados a partir de 2002, descrevendo seus recursos físicos, humanos e a organização da assistência. A metodologia, quantitativa, descritiva, transversal e comparativa, analisou dados coletados por meio de questionários aplicados aos coordenadores de dois CAPS II, um CAPS III, um CAPS ad, e um CAPSi. Os resultados revelaram serviços territorializados, responsáveis por pacientes egressos do Hospital Especializado Lopes Rodrigues e das Residências Terapêuticas ou próprias. Observou-se no perfil das coordenações a formação não médica e, nas equipes técnicas, a multiprofissionalidade, com predominância de psiquiatras. Os espaços físicos contemplavam salas diversas e áreas externas, e cinco leitos psiquiátricos no CAPS III. A organização da atenção se articulava à Estratégia Saúde da Família e oferecia atendimento psicoterápico, medicamentoso, educação em saúde, atividades grupais, familiares, visitas domiciliares e oficinas terapêuticas. Os serviços foram considerados adequados às normas ministeriais e coerentes com a RPB, embora estudos de aprofundamento sejam ainda necessários.


Palavras-chave


Sistemas de Saúde; Análise de Discurso; Saúde da Família; Trabalhadores de Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Amarante, PDC. Loucura, Cultura e subjetividade conceitos e estratégias, percursos e atores da reforma psiquiátrica. In: Fleury, S (Org.). Saúde e democracia a luta do CEBES. São Paulo: Lemos Editorial; 1997. p. 163-185.

Brasil. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil: Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental, 15 anos depois de Caracas. Brasília: Ministério da Saúde, 2005. Disponível em: http://www.portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf . [2006set20]..

Brasil. Ministério da Saúde. Outros Centros de Atenção Psicossocial – CAPS. Disponível em: . [2016jan6].

Fagundes P. Desinstitucionalização da assistência psiquiátrica: algumas questões cruciais. Jornal Brasileiro de Psiquiatria 1998; 47(4): 163-168.

Nick E, Oliveira SB. Tendências políticas de saúde mental no Brasil. Jornal Brasileiro de Psiquiatria 1998; 47(11): 583-589.

Vianna PCM, Barros S. O papel das políticas sociais frente à reestruturação do modelo assistencial em saúde mental. Rev Saúde Debate 2005; 29(69): 27-35.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria GM n° 336, de 19 de fevereiro de 2002. Define e estabelece diretrizes para o funcionamento dos Centros de Atenção Psicossocial. Diário Oficial da União 2002; 20 fev.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria GM n° 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União 2011; 23 dez.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretária de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Saúde Mental no SUS: os Centros de Atenção Psicossocial. Brasília (DF); 2004. Disponível em http://www.ccs.saude. gov.br/saude_mental/pdf/sm_sus.pdf. [2016jan6].

Botega, NJ. Serviços de saúde mental no hospital geral. São Paulo: Papirus; 1995.

Minayo MCS, ASSIS SG, Souza, ER. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2006.

Contandriopoulos AP, Champagne F, Denis J, Pineault R. Avaliação na área de saúde: conceitos e métodos. In: Hartz ZA. Avaliação em saúde: dos modelos conceituais à prática na análise da implantação de programas. Rio de Janeiro: FIOCRUZ; 1997. p. 29-48.

Feira de Santana. Secretaria Municipal de Saúde. Saúde Mental. Disponível em: . [2006out12].

Kantorski LP. Avaliação dos CAPS na região sul do Brasil (CAPSUL). Projeto de Pesquisa, 2005. Disponível em: http://www.ufpel.edu.br/feo/capsul/ capsul.php>. [2006out25].

Bahia. Secretaria de Saúde do Estado da Bahia. Plano diretor de regionalização da assistência à saúde: desenho territorial. Salvador: SESAB; 2005.

Teixeira CF. A mudança do modelo de atenção à saúde no SUS: desatando nós, criando laços. Rev Saúde Debate 2003; 27(65): 257-27.

Nascimento AF, Galvanese ATC. Avaliação da estrutura dos centros de atenção psicossocial do município de São Paulo, SP. Rev Saúde Pública 2009; 43(Supl.1): 8-15.

Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo – CREMESP. Avaliação dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) do Estado de São Paulo: uma contribuição do CREMESP para a saúde mental da comunidade. São Paulo: CREMESP; 2010.

Silveira, TCBC. A prática psiquiátrica em ambulatório de uma instituição pública: o caso do Juliano Moreira. Salvador; 1996. [Mestrado Dissertação – Universidade Federal da Bahia]. Salvador, 1996.

Giovanella L, Fleury S. Universidade da atenção à saúde: acesso como categoria de análise. In: Eibenschutz C (Org). Política de saúde: o público e o privado. Rio de Janeiro: Fiocruz; 1996. p.177-197.

Franco TB, Bueno W, Merhy E. O acolhimento e os processos de trabalho em saúde: o caso em Betim (MG). In: Merhy EE. et al. (Orgs). O trabalho em saúde: olhando e experienciando o SUS no cotidiano. São Paulo: Hucitec; 2006. p.37-54.

Ponte Filho AP. Atividades desempenhadas por psicólogos nos Centros de atenção Psicossocial de Sobral-CE. [Especialização Monografia – Universidade Estadual Vale do Acaraú: UVA]. Sobral, 2006.

Gomes DJ, Araújo TM, Santos KOB. Condições de trabalho e de saúde de trabalhadores em saúde mental em Feira de Santana, Bahia. Rev Baiana Saúde Pública 2011; 35(supl.1): 211-230.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v5i1.1010

Apontamentos

  • Não há apontamentos.