PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM ESTUDOS BRASILEIROS SOBRE ENVELHECIMENTO NO PERÍODO DE 2005 A 2015

Albermara Leite Oliveira, Luciana Araújo dos Reis

Resumo


O envelhecimento é definido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o processo de otimização das oportunidades de saúde, participação e segurança, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas ficam mais velhas. O objetivo deste estudo é analisar a produção científica sobre envelhecimento nos anos de 2005 a 2015. Trata-se de uma revisão sistemática de literatura a partir de artigos científicos. A busca de dados foi realizada na base de dados SciELO e BVS. As informações coletadas a partir dos artigos foram analisadas utilizando a técnica de análise temática fundamentada na análise de conteúdo de Bardin. A coleta de dados foi realizada em novembro de 2015 e reuniu o total de 21 artigos. As informações coletadas a partir dos artigos foram interpretadas através de estudo temático fundamentado na análise de conteúdo de Bardin com auxílio do software NVivo, versão 11.0. A nuvem de palavras apontou como mais frequentes, em ordem decrescente, as palavras: “Envelhecimento”, “Cognitivo”, “Lazer”, “Qualidade” e “Declínio”. Assim, quatro temas de análise emergiram. Pôdese concluir com a presente pesquisa, que são necessários mais estudos sobre o envelhecimento e seu processo em geral, por se tratar de um assunto complexo e importante para a sociedade e para pesquisas posteriores.


Palavras-chave


Envelhecimento; Idoso; Produção.

Texto completo:

PDF

Referências


Silva HS, Lima AMM, Galhardoni, R. Envelhecimento bem-sucedido e vulnerabilidade em saúde: aproximações e perspectiva. Interface (Botucatu) 2010; 14(35): 867-877.

Neri, A. O legado de Paul B. Baltes à psicologia do desenvolvimento e do envelhecimento. Temas psicol. 2006; 14(1): 17-34.

Cervato AM, Derntl AM, Latorre MRO, Marucci MFN. Educação nutricional para adultos e idosos: uma experiência positiva em Universidade Aberta para Terceira Idade. Rev Nutr. 2005; 18(1): 41-52.

Witter C, Buriti MA. (Orgs.). Envelhecimento e contingências de vida. Campinas: Alínea; 2011.

Mendes ACD, Sá DA, Miranda GMD, Lyra TM, Tavares RAW. Assistência pública de saúde no contexto da transição demográfica brasileira: exigências atuais e futuras. Cad. Saúde Pública 2013; 28(5): 955-964. 6. Lima AMM, Silva HS, Galhardoni R. Envelhecimento bem-sucedido: trajetórias de um constructo e novas fronteiras. Interface (Botucatu) 2008; 12(27): 795-807.

Bardin, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011, 229 p.

Dias MSA, Parente JRF, Vasconcelos MIO, Dias FAC. Intersetorialidade e Estratégia Saúde da Família: tudo ou quase nada a ver? Rev. ciênc. saúde coletiva 2014; 19 (11): 4371-4382.

Foss PM, Vale FAC, Speiali JG. Influência da escolaridade na avaliação neuropsicológica de idosos. Arq. Neuro- Psiquiatr. 2009; 63(1): 119-26.

Población DA, Witter GP, Ramos LMSVC, Funaro VMBO. (Orgs.). Revistas científicas: dos processos tradicionais às perspectivas alternativas de comunicação. São Paulo: Ateliê; 2011.

Camargos MCS, Rodrigues RN, Machado CL. Idoso, família e domicílio: uma revisão narrativa sobre a decisão de morar sozinho. Rev. brás. estud. popul. 2011; 28: 217-30.

Silva SLA, Viana JU, Silva VGPT, Dias JMD, Pereira LSM, Dias RC. Influence of Frailty and Falls on Functional Capacity and Gait in Community-Dwelling Elderly Individuals. Topics Geriatric Rehabilitation 2012; 28(2): 128-134.

Fonseca A. O Envelhecimento Bem-Sucedido. In: Paúl C, Fonseca A. (Eds.). Envelhecer em Portugal. Lisboa: Climepsi Editores; 2005.

Moura G, Souza L. Autoimagem, socialização, tempo livre e lazer: quatro desafios à velhice. Textos & Contextos (Porto Alegre) 2012; 11(1): 172-183.

Ferreira C. Envelhecimento e lazer. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Medicina. Universidade de Coimbra; 2009.

Miranda L, Banhato E. Qualidade de vida na terceira idade: a influência da participação em grupos. Psicologia em Pesquisa 2008; 2(1): 69-80.

Pimentel FL. Qualidade de Vida e Oncologia. Coimbra: Almedina, 2006.

Gil F. Qualidade de vida e atividade: um estudo em idosos de Vila Nova de Cerveira. Dissertação de Mestrado. Universidade Católica Portuguesa; 2012.

Rocha S. Efeitos do aumento da atividade física na funcionalidade e qualidade das pessoas idosas do Centro Social de Ermesinde. Relatório de Estágio. Universidade Técnica de Lisboa; 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v7i1.1055

Apontamentos

  • Não há apontamentos.