VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR: UMA PRÁTICA NECESSÁRIA PELOS ENFERMEIROS NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

Elmirene Santos da Silva, Carmen Liêta Ressurreição dos Santos, Hayana Leal Barbosa

Resumo


A Vigilância em Saúde do Trabalhador (VISAT) é estruturante e essencial ao modelo de Atenção Integral em Saúde do Trabalhador, compreende um conjunto de ações e práticas que envolvem a vigilância sobre os agravos relacionados ao trabalho, a intervenção sobre fatores de risco, ambientes e processos de trabalho e a promoção da saúde. Esta pesquisa objetivou analisar o desenvolvimento de ações de VISAT pelos enfermeiros em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do município de Feira de Santana, Bahia, Brasil. Trata-se de um estudo qualitativo, exploratório e descritivo. Observou-se que os enfermeiros possuíam conhecimento limitado acerca da VISAT, e que as ações de saúde do trabalhador desenvolvidas por estes profissionais se restringiam as capacitações sobre riscos com materiais biológicos e uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), bem como a identificação e notificação de riscos e dos agravos relacionados ao trabalho. Os enfermeiros apresentaram como dificuldades para a realização de ações de Saúde do Trabalhador (ST) ausência de Educação Permanente em Saúde (EPS) sobre VISAT, sobrecarga de trabalho e falta de articulação entre a UBS e instâncias de referência da VISAT. Entende-se que não bastam portarias que regulem ou estabeleçam ordenamento para essas ações, é preciso que sejam efetivadas na prática.

 


Palavras-chave


Saúde do Trabalhador. Atenção Básica. Educação Continuada.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 3.252, de 22 de dezembro de 2009. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder executivo, Brasília, DF, 23 dez. 2009; Seção 1. p. 65-69.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 1.823, de 23 de agosto de 2012. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder executivo, Brasília, DF, 24 ago. 2012; Seção 1. p. 46.

Dias EC, Silva TCL, Almeida MHC. Desafios para a construção cotidiana da vigilância em saúde ambiental e em vigilância em saúde do trabalhador na atenção primária a saúde. Caderno de Saúde Coletiva 2012; 20 (1): 15-24.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes para implementação da vigilância em saúde do trabalhador no SUS [online]; 2012. Disponível em: [2013jun1].

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec; 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466 de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder executivo, Brasília, DF, 13 jun. 2013; Seção 1. p. 59.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 3.120, de 1º de julho de 1998. Brasília (DF); 1998. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder executivo, Brasília DF, 02 jul. 1998; Seção 1. p. 36.

Lacaz FAC, Machado JMH, Porto MFS. Estudo da situação e tendências da vigilância em saúde do trabalhador no Brasil: relatório final convênio [online]. Brasília: Abrasco – OPAS; 2002. Disponível em: . [2013jun1].

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Vigilância em Saúde na Atenção Básica. In: Brasil. Vigilância em saúde: dengue, esquistossomose, hanseníase, malária, tracoma e tuberculose. 2. ed. rev. Brasília (DF); 2008. 6-18. (Série A - Normas e Manuais Técnicos; Cadernos de Atenção Básica).

Dias EC, Hoefel MGO. Desafio de implementar as ações de saúde do trabalhador no SUS: a estratégia da RENAST. Ciência & Saúde Coletiva 2005; 10 (4): 817-825.

Dias EC, Silva TCL. Contribuições da atenção primária em saúde para a implementação da política nacional de saúde e segurança no trabalho (PNSST). Revista Brasileira de Saúde Ocupacional 2013; 38 (127): 31-43.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 205, de 18 de fevereiro de 2016. Brasília (DF), 2016. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder executivo, Brasília (DF), 18 fev. 2016; Seção 1. p. 23-24.

Marziale MHP, Rodrigues CMA. Produção científica acerca dos acidentes do trabalho com material pérfurocortante entre trabalhadores de enfermagem. Revista Latino - Americana de Enfermagem 2002; 10 (3): 571-577.

Ministério da Saúde. Portaria n. 278, de 27 de fevereiro de 2014. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder executivo, Brasília, DF, 28 fev. 2014; Seção 1. p. 62.

Daldon MTB, Lancman S. Vigilância em saúde do trabalhador – rumos e incertezas. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional 2013; 127 (38): 92-106.

Evangelista AIB, Pontes AGV, Silva JV, Saraiva ACM. A saúde do trabalhador na atenção primária à saúde: o olhar do enfermeiro. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste 2011; 12 (esp): 1011-1020.

Santos JLG, Prochnow AG, Silva DCS, SILVA RM, Leite JL, Erdmann AL. Prazer e sofrimento no exercício gerencial do enfermeiro no contexto hospitalar. Esc. Anna Nery 2013; 17 (1): 97-103.

Lacaz FAC, Santos APL. Saúde do trabalhador, hoje: re-visitando atores sociais. Revista Médica de Minas Gerais 2010; 2 (2): 5-12.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v6i1.1062

Apontamentos

  • Não há apontamentos.