PREVALÊNCIA, GRAVIDADE E FATORES ASSOCIADOS AO TRAUMATISMO DENTÁRIO EM ESCOLARES DE 12 E 15-19 ANOS DE IDADE EM SALVADOR, BAHIA

Elvis Matos Vieira, Maria Cristina Teixeira Cangussu, Maria Isabel Pereira Vianna, Maria Beatriz Barreto Cabral, Ramon Narriel Roque, Erlane Silva dos Anjos

Resumo


O traumatismo dentário tem registrado altas prevalências tanto em crianças como em adolescentes brasileiros e o dano provocado pelo mesmo pode acarretar em perdas dentais irreparáveis. Nesse sentido, o presente estudo tem
o propósito de identificar a prevalência e gravidade do traumatismo dentário no município de Salvador- Bahia, em escolares de 12 e 15-19 anos de idade, matriculados em escolas de ensino fundamental e médio da rede pública
do município, bem como identificar variáveis associadas à maior prevalência desta condição. Desenvolveu-se um estudo transversal, com uma amostra de 2.944 escolares da rede pública. A coleta de dados foi realizada em ambiente escolar envolvendo exame clínico e entrevista para obtenção de dados sociodemográficos, hábitos e utilização dos serviços de saúde. Foi realizada análise descritiva e multivariada através da regressão logística. A prevalência de traumatismo foi de 16,45% para os escolares de 12 anos e 14,02% para
os escolares de 15-19 anos. O gênero masculino foi o mais acometido e os escolares que se declararam negros tiveram as maiores prevalências. A fratura de esmalte foi a mais prevalente, e a unidade dentária mais acometida foi o incisivo central superior esquerdo. Foi menor a prevalência de trauma
naqueles do sexo feminino (OR= 0,77; 0,62-0,94 05%IC) e maior naqueles adolescentes com atraso escolar (OR=1,38; 1,12-1,71 95%IC). Foi alta a prevalência de traumatismo neste grupo e são necessários estudos mais específicos para identificar fatores de risco relacionados ao mesmo.


Palavras-chave


Traumatismo dentário; escolares; epidemiologia

Texto completo:

PDF

Referências


Duarte DA, Bonecker MJS, Sant’Anna GR, Suga SS. Caderno de Odontopediatria. Lesões traumáticas em dentes decíduos: Tratamento e Controle. São Paulo: Editora Santos; 2001.

Panzarini SR, Saad Neto M, Sonoda CK, Poi WR, Carvalho AC. Avulsões dentárias em pacientes jovens e adultos na região de Araçatuba. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent. 2003; 57:27-31.

Nicolau B, Marcenes W, Sheiham A. Prevalence, causes and correlates of traumatic injuries among 13-years-old in Brazil. Dent Traumatol 2001; 17(5):213-217.

Antunes L AA, Leão AT, Maia LC. Impacto do traumatismo dentário na qualidade de vida de crianças e adolescentes: revisão crítica e instrumentos de medida. Ciênc. saúde coletiva 2011; 17(12):3417-3424.

Settervall CHC, Domingues CA, Sousa RMC, Nogueira LS. Mortes evitáveis em vítimas com traumatismos. Rev. Saúde Públ. 2012; 46(2):367-75.

Oliveira MSB, Carneiro MC, Amorim TM, Maia VN, Alvarez AV, Vianna MIP, et al. Contexto familiar, traumatismo dentário e oclusopatias em crianças em idade pré-escolar: ocorrência e fatores associados. Rev Odontol UNESP 2010; 39(2):81-88.

Paiva PCP, Paiva HN, Oliveira Filho PM, Côrtes MIS. Prevalence and risk factores associated with traumatic injury amog 12-years-old schoolchildren in Montes Claros,

MG, Brazil. Ciênc. saúde coletiva 2015; 20(4):1225-33.

Francisco SS, Filho FJ, Pinheiro ET, Murrer RD, de Jesus Soares A. Prevalence of traumatic dental injuries and associated factors among Brazilian schoolchildren. Oral

Health Prev Dent 2013; 11(1):31-8.

Andreasen JO, Andresen FM; trad Gabriela Soares, Cristiano Boschetto e Ilson José Soares. Texto e atlas colorido de traumatismo dental. Porto Alegre: Artmed

editora, 2001.

Gondim JO, Moreira Neto JJ. Evaluation of intruded primary incisors. Dent Traumatol 2005; 21(3):131-133.

Traebert J, Claudino D. Epidemiologia do Traumatismo Dentário em Crianças: A Produção Científica Brasileira. Pesq Bras Odontoped Clin Integr 2012; 12(2):263-72

Traebert J, Hemkemeier I, Lacerda T J. Traumatismo em dentes permanentes recém-irrompidos: prevalência e fatores associados em escolares do município de Tubarão – SC. Rev Odontol UNESP 2008; 37(4):363-369.

Traebert J, Almeida I C S, Garghetti C, Marcenes W. Prevalência, necessidade de tratamento e fatores predisponentes do traumatismo na dentição permanente de

escolares de 11 a 13 anos de idade. Cad. Saúde Pública 2004; 20(2):403-410.

Oliveira Filho PM, Jorge KO, Ferreira E, Ramos-Jorge ML, Tataonoff J, Zarzar PM. Association between dental trauma and alcohol use among adolescentes. Dent Traumatol 2013; 29(5):372-7.

Bilder L, Margvelashvili V, Sgan- Cohen H, Kalandadze M, Levin L, Ivanishvili R et al. Traumatic dental injuries among 12- and 15- years-old adolescentes in Georgia: results of the pathfinder study. Dent Traumatol 2016; 32(3):169-73.

Blokland A, Watt RG, Tsakos G, Heilmann A. Traumatic Dental injuries and socioeconomic position- findings from the Children´s Dental Health Services Survey 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v7i1.1218

Apontamentos

  • Não há apontamentos.