FAMÍLIAS E VULNERABILIDADES EM SAÚDE: QUESTÕES TEÓRICAS, ÉTICAS E METODOLOGIAS PARA INTERVENÇÃO

Rosely Cabral Carvalho

Resumo


Ensaio teórico com objetivo apresentar análise crítica de artigos sobre famílias e vulnerabilidades em saúde (breve releitura), destancando conceitos e abordagens sobre ações e recursos sociais e culturais de promoção de saúde voltados a famílias, seus membros.     


Palavras-chave


Família; Vulnerabilidade; Cuidado em Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Oliveira, NHD. Recomeçar: família, filhos e desafios. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica; 2009. Disponível em: http://books.scielo.org/id/965tk/pdf/oliveira-9788579830365-03.pdf. [23.11.2016].

Dalbério O. A família e sua constituição social. In: José Filho M, Dalbério O. (Org.). Família: conjuntura, organização e desenvolvimento. Franca: Unesp/FHDSS; 2007. p. 239

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Censo Demográfico 2010. Famílias e domicílios. Resultados da amostra. Rio de Janeiro; 2012. Disponível em: www.ibge.org.br. [23.11.2016].

Brito FS. Mulher chefe de família: um estudo de gênero sobre a família monoparental feminina. Urutágua – Revista acadêmica multidisciplinar 2008; 15:42-52.

José Filho M. A família como espaço privilegiado para a construção da cidadania. 1998. 295 f. Tese (Doutorado em Serviço Social), Faculdade de História, Direito e Serviço Social, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Franca, 1998.

Sarti CA. A família como ordem simbólica. Psicol. USP 2004; 15(3):11-28.

Rodriguez, Brunella Carla; PAIVA, Maria Lucia de Souza Campos. Um estudo sobre o exercício da parentalidade em contexto homoparental. Vínculo, 2009;6 (1), .13-25.Disponível em http:// /pepsic.bvsalud.org/pdf/vinculo/v6n1/v6n1a03.pdf.[18.01.2017].

Santos, JLG, Mariana V, Assuiti LFC, Gomes D, Meirelles BHS, Santos SMA. Risco e vulnerabilidade nas práticas dos profissionais de saúde. Rev Gaúcha Enferm. 2012; 33(2):205-212. Disponível em: [23.11.2016].

Ramiro, FS, Padovani RC, Tucci AM. Consumo de crack a partir das perspectivas de gênero e vulnerabilidade: uma revisão sobre o fenômeno. Saúde debate 2014; 38(101):379-92.

Costa FAO, Marra MM. Brazilian families headed by poor women and being a single mother: risks and protective factors. Rev. bras. psicodrama 2013; 21(1): 141-153. Disponível em . [23.11.2016].

Oliveira, MLS, Bastos ACS. Práticas de atenção à saúde no contexto familiar: um estudo comparativo de casos. Psicol. Reflex. Crit. 2000; 13(1):97-107. Disponível em [26.11.2016].

Brasil. Ministério da Saúde. A implantação da Unidade de Saúde da Família: caderno 1. Brasília: Departamento de Atenção Básica/MS; 2000.

Vieira Netto M, Deslandes SF. As Estratégias da Saúde da Família no enfrentamento das violências envolvendo adolescentes. Ciência & Saúde Coletiva 2016; 21(5):1583-1596. Disponível em [26.11.2016]

Lacharité C. From risk to psychosocial resilience: conceptual models and avenues for family intervention. Texto Contexto – enferm. 2005; 14(no. spec.):71-77.

Gutierrez DMD, Minayo MCS Produção de conhecimento sobre cuidados da saúde no âmbito da família. Ciência &. Saúde Coletiva 2010; 15(supl.1):1497-1508.

Bastos ACSB, Trad LAB. A família enquanto contexto de desenvolvimento humano: implicações para a investigação em saúde. Ciência & Saúde Coletiva 1998; 2(3):106-115.

Gomes MA. Pereira MLD. Família em Situação de Vulnerabilidade Social: uma questão de políticas públicas. Ciência e Saúde Coletiva 2005; 10(2):357-363.

Manfrini GC. O cuidado às famílias rurais, com base na Teoria do Desenvolvimento da Família. 2005. 238 p. Dissertação (Mestrado em Enfermagem). Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: [17.12.2016].




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v7i2.1785

Apontamentos

  • Não há apontamentos.