FAMÍLIAS E VULNERABILIDADES EM SAÚDE: QUESTÕES TEÓRICAS, ÉTICAS E METODOLOGIAS PARA INTERVENÇÃO

Rosely Cabral de Carvalho, Ana Cecília de Sousa Bittencourt Bastos

Resumo


Ensaio teórico com objetivo apresentar análise crítica de artigos sobre famílias e vulnerabilidades em saúde (breve releitura), destancando conceitos e abordagens sobre ações e recursos sociais e culturais de promoção de saúde voltados a famílias, seus membros.     


Palavras-chave


Família; Vulnerabilidade; Cuidado em Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Oliveira, NHD. Recomeçar: família, filhos e desafios. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica; 2009. Disponível em: . [23 nov 2016].

Dalbério O. A família e sua constituição social. In: José Filho M, Dalbério O. (Org.). Família: conjuntura, organização e desenvolvimento. Franca: Unesp/FHDSS; 2007. p. 239

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Censo Demográfico 2010. Famílias e domicílios. Resultados da amostra. Rio de Janeiro; 2012. Disponível em: . [23 nov 2016].

Brito FS. Mulher chefe de família: um estudo de gênero sobre a família monoparental feminina. Urutágua –Revista acadêmica multidisciplinar 2008; 15: 42-52.

José Filho M. A família como espaço privilegiado para a construção da cidadania. 1998. [Tese de Doutorado -Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho].

Franca; 1998.

Sarti CA. A família como ordem simbólica. Psicol. USP 2004; 15(3): 11-28.

Rodriguez, Brunella Carla; PAIVA, Maria Lucia de Souza Campos. Um estudo sobre o exercício da parentalidade em contexto homoparental. Vínculo, 2009; 6(1): 13-25.

Santos, JLG, Mariana V, Assuiti LFC, Gomes D, Meirelles BHS, Santos SMA. Risco e vulnerabilidade nas práticas dos profissionais de saúde. Rev Gaúcha Enferm. 2012; 33(2): 205-212.

Ramiro, FS, Padovani RC, Tucci AM. Consumo de crack a partir das perspectivas de gênero e vulnerabilidade: uma revisão sobre o fenômeno. Saúde debate 2014; 38(101): 379-92.

Costa FAO, Marra MM. Brazilian families headed by poor women and being a single mother: risks and protective factors. Rev. bras. psicodrama 2013; 21(1): 141-153.

Oliveira, MLS, Bastos ACS. Práticas de atenção à saúde no contexto familiar: um estudo comparativo de casos. Psicol. Reflex. Crit. 2000; 13(1): 97-107.

Brasil. Ministério da Saúde. A implantação da Unidade de Saúde da Família: caderno 1. Brasília: Departamento de Atenção Básica/MS; 2000.

Vieira Netto M, Deslandes SF. As Estratégias da Saúde da Família no enfrentamento das violências envolvendo adolescentes. Ciênc. saúde coletiva 2016; 21(5): 1583-1596.

Lacharité C. From risk to psychosocial resilience: conceptual models and avenues for family intervention. Texto Contexto – enferm. 2005; 14(no. spec.): 71-77.

Gutierrez DMD, Minayo MCS Produção de conhecimento sobre cuidados da saúde no âmbito da família. Ciênc. saúde coletiva 2010; 15(suppl.1): 1497-1508.

Bastos ACSB, Trad LAB. A família enquanto contexto de desenvolvimento humano: implicações para a investigação em saúde. Ciênc. saúde coletiva 1998; 2(3): 106-115.

Gomes MA. Pereira MLD. Família em Situação de Vulnerabilidade Social: uma questão de políticas

públicas. Ciênc. saúde coletiva 2005; 10(2): 357-363.

Manfrini GC. O cuidado às famílias rurais, com base na Teoria do Desenvolvimento da Família. [Dissertação de Mestrado Tese de Doutorado - Universidade Federal de Santa Catarina]. Florianópolis; 2005. Disponível em: [17 dez 2016].




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v7i2.1785

Apontamentos

  • Não há apontamentos.