O papel do tirocínio docência na formação inicial em saúde coletiva: um relato de experiência

Silas Santos Carvalho, Jéssica Santos Passos Costa, Laís Barbosa Souza Vilas Boas, Carlito Lopes Nascimento Sobrinho

Resumo


O presente artigo tem como objetivo relatar a experiência vivenciada por mestrandos na prática do tirocínio docência, na graduação de Odontologia, no componente curricular Bioestatística e Epidemiologia. O tirocínio foi realizado por
três mestrandos do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Estadual de Feira de Santana, para uma turma do segundo semestre do curso de Odontologia, da referida instituição, sob a supervisão de um professor orientador. Foi desenvolvido mediante leitura do plano de ensino do componente curricular; organização da proposta de cronograma do mesmo; elaboração de planos de aula; observação, participação e apresentação das aulas teóricas e práticas; além de elaboração e correção das atividades
avaliativas. A experiência da prática pedagógica possibilitou o compartilhamento e a troca de conhecimentos entre os alunos, mestrandos e o professor da disciplina, que contribuíram para o aprendizado, aperfeiçoamento e superação de desafios do processo de ensino-aprendizagem. O tirocínio docência assume, portanto, um papel de grande relevância na formação do pós-graduando, sendo considerado indispensável nesse processo, visto que, é através desta atividade que o conhecimento teórico se consolida na prática, auxiliando na superação de possíveis dificuldades relacionadas à prática docente, colaborando significativamente para a formação de um docente do ensino superior de qualidade.


Palavras-chave


Ensino; saúde pública; docente

Texto completo:

PDF

Referências


Bianchi ACM, Alvarenga M, Bianchi R. Orientações para o Estágio em Licenciatura. São Paulo: Pioneira Thomson Learning; 2005.

Libâneo JC. Conteúdos, formação de competências cognitivas e ensino com pesquisa. In: Pimenta SG, Almeida MI de (Orgs.). Pedagogia universitária: caminhos para a formação de professores. São Paulo: Cortez; 2011. p. 188-212.

Corrêa GT, Ribeiro VMB. A formação pedagógica no ensino superior e o papel da pós-graduação stricto sensu. Educ. Pesqui. 2013; 39(2): 319-334.

Freire P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra; 1996.

Joaquim NF, Nascimento J PB, Vilas Boas AA, Silva FT. Estágio docência: um estudo no programa de Pós- Graduação em administração da Universidade Federal de Lavras. Rev. adm. contemp. 2011; 15(6): 1137-1151.

Soares SR, Cunha MI. Programas de pós-graduação em Educação: lugar de formação da docência universitária? RBPG 2010; 7(14): 577-604.

Chamlian HC. Docência na universidade: professores inovadores na USP. Cad. Pesqui. 2003; 118: 41-64.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Portaria nº 76, de 14 de abril de 2010. Disponível em: . [2017 jun 25].

Zaidan S, Caldeira MAS, Oliveira BJ, Silva PGC. Pós- Graduação, saberes e formação docente: uma análise das repercussões dos cursos de mestrado e doutorado na prática pedagógica de egressos do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da UFMG (1977- 2006). Edu. Rev. 2011; 27(1): 129-160.

Fusari JC. O Planejamento do Trabalho Pedagógico: algumas Indagações e Tentativas de Respostas. In: Artigo Série Idéias, São Paulo: FDE; 1998. p. 44-53.

Freire AM. Concepções orientadoras do processo de aprendizagem do ensino nos estágios pedagógicos. Colóquio: modelos e práticas de formação inicial de professores. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade de Lisboa: Lisboa; 2001. Disponível em: . [2017 jun 21].

Joaquim NF, Vilas Boas AA, Carrieri AP. Estágio docente: formação profissional, preparação para o ensino ou docência em caráter precário? Educ. Pesqui. 2013; 39(2): 351-365.

Piletti C. Didática geral. São Paulo: Editora Ática; 2001.

Jonnaert P, Borght CV. Criar condições para aprender: o modelo sócio-construtivista na formação de professores. Porto Alegre: Artmed, 2002.

Bulgraen VC. O papel do professor e sua mediação nos processos de elaboração do conhecimento. Rev. Conteúdo 2010; 1(4): 30-38.

Souza APA. A Necessidade da Relação Entre Teoria e Prática no Ensino de Ciências Naturais. Rev. Ens. Educ. Cienc. Human. 2014; 15.

Silva AT, Cassamali AS, Castro LB, Dutra QP, Stinguel L, Werner ET. Aulas práticas: sua importância e eficácia no ensino de biologia. Revista Univap 2016; 22(40).

Vaz BB, Pessoni LML. As contribuições do estágio curricular supervisionado para a formação docente: espaço de construção dos saberes profissionais. Interdisciplinaridade e currículo: uma construção coletiva. Anais do II Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão da UEG. 20 a 22 de outubro de 2015. Local: Campus Pirenópolis. Disponível em: . [2017 ju 22].

Castro PAPP, Tucunduva CC, Arns EM. A Importância do planejamento das aulas para organização do trabalho do professor em sua prática docente. Rev. Ciênt. Edu. 2008; 10(10).

Tardif M. Os professores diante do saber: esboço de uma problemática do saber docente. In: Tardif M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes; 2002. p. 31-55.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.2217

Apontamentos

  • Não há apontamentos.