Experiência do estágio docente na formação dos estudantes do Mestrado Acadêmico de Saúde Coletiva: a prática de ser professor

Luciana Maia Santos, Carolina Serna Guzman, Cristian David Osorio Figueroa, Juliana Laranjeira Pereira dos Santos, Rosely Cabral de Carvalho

Resumo


A experiência de ser professor no Estágio Docência por mestrandos de Saúde Coletiva da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) desvela possibilidades da prática do exercício de (des) construção de saberes em sala de aula e percepção das dificuldades nas práticas pedagógicas no ensino superior. O artigo pretende discutir o exercício da docência universitária de mestrandos do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva – Mestrado Acadêmico em Práticas de Integração Ensino, Serviço e Comunidade (PIESC), módulo que integra o currículo do Curso de Medicina da UEFS. As atividades foram desenvolvidas nas Unidades de Saúde da Família (USF) em duas áreas do George Américo e no Campo Limpo, em Feira de Santana, Bahia, com alunos do 4o Ano de Medicina da UEFS. Foi trabalhada, na contextualização dessa prática, a situação de violência vivenciada em uma das Unidades de Saúde da Família, a partir da realização de oficinas na comunidade que tiveram como finalidade gerar competências e novos sentidos para a prática docente universitária. Recomenda-se uma discussão mais ampliada na formação de redes sociais de apoio suficientes para lidar com os problemas, discutindo o aprendizado dos alunos nos ambientes comunitários.


Palavras-chave


práticas pedagógicas; formação docente; ensino superior; saúde coletiva

Texto completo:

PDF

Referências


Martins, MMMC. Estágio de docência na pós-graduação stricto sensu: uma perspectiva de formação pedagógica / [Dissertação de mestrado] Universidade Estadual do Ceará, Centro de Educação, Curso de Mestrado acadêmico em Educação, Fortaleza, CE. — 2013.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Circular n° 028/99/PR/CAPES. Brasília, 1999.

Nóvoa, A (Org). O professor e sua formação. Lisboa: D. Quixote, 1995, Temas de educação.

Ayres JR, Paiva V, França I. Conceitos e práticas de prevenção: da história natural da doença ao quadro da vulnerabilidade e direitos humanos. In: Paiva, V. Ayres, JR, Buchalla, CM (Org.). Direitos humanos e vulnerabilidade na prevenção e promoção da saúde [Coletânea]. Livro 1: Da doença à cidadania. Curitiba: Juruá, 2012. p. 71-94.

Minayo MCS, Souza ER. Violência e saúde como um campo interdisciplinar e de ação coletiva. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, 1997; 4 (3): 513–531.

Vasconcelos IRR, Griep RH, Lisboa MTL, Rotemberg L. Violência no cotidiano de trabalho de enfermagem hospitalar. Acta Paulista de Enfermagem, 2012; 25 (2): 40–47.

Campos AS, Pierantoni CR. Violence in the health care workplace: a theme for international cooperation in human resources in the health sector. RECIIS,2010; 4(1): 31.

Brasil.Ministério da Saúde. Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador. Brasília, Ministério da Saúde 2004. Disponível em:

Magin PJ, Adams J, Sibbritt DW, Joy E, Irlanda MC. Experiences of occupational violence in Australian urban general practice: a cross-sectional study of GPs. The Medical journal of Australia, 2005; 183 (7): 352–6.

Lacerda MR, Giacomozzi CM, Oliniski SR. Atenção à saúde no domicílio: modalidades que fundamentam sua prática. Saude soc., 2006; 15(2): 88–95.

Magin P, Adams J, Joy E. Occupational violence in general practice. Australian family physician, 2007; 36(11): 955–7.

Elston, MA, Gabe J, Denney D, Raimond L, O'Beirne M. Violence against doctors: a medical(ised) problem? The case of National Health Service general practitioners. Sociology of Health & Illness, 2002; 24(5): 575–598.

Medronho, RA. Epidemiologia. São Paulo: Atheneu, 2006. 493 p. ISBN 85-7379600-6.

Pereira, MG. Epidemiologia: teoria e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. 596 p. ISBN 85-277-1356-4.

Veiga, IPA. Organização didática da aula: um projeto colaborativo de ação imediata. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro; Castanho, Maria Eugênia. Pedagogia universitária: a aula em foco. Campinas, SP: Papirus, 2000, p. 267-298.

Lima, ACRE. A experiência formativa na docência universitária: um outro olhar, um outro sentido. In: VI Encontro Inter-Regional Norte, Nordeste e Centro-Oeste sobre Formação Docente para a Educação Básica e Superior - ENFORSUP e do I Encontro Internacional sobre a Formação Docente para a Educação Básica e Superior – INTERFOR: “Formação, Currículo e Avaliação: Territórios referenciais para a profissão docente”. 2015. Brasília/DF. Anais eletrônicos. Disponível em: http://www.enforsupunb2015.com.br/congresso/dvd/comunicacaooral.php. Acesso em 22 de julho de 2016.

Câmara de Educação Superior. Conselho Nacional de Educação. Aprovam as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina. Resolução nº 3 de 20 de junho de 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.2692

Apontamentos

  • Não há apontamentos.