Dados sociodemográficos, condições de saúde e sinais de violência contra idosos longevos

Vânia Ferreira Dias, Lílian Santos Lima Rocha de Araújo, Aldrina Silva Confessor Cândido, Arianna Oliveira Santana Lopes, Lívia Mara Gomes Pinheiro, Luciana Araújo dos Reis

Resumo


Este estudo objetivou identificar a relação entre dados sociodemográficos, condições de saúde e sinais de violência e maus tratos contra idosos longevos. Trata-se de um estudo exploratório descritivo com abordagem quantitativa, realizado em cinco unidades básicas de saúde de Vitória da Conquista/ BA, amostra de 310 idosos com idade superior a 80 anos. O instrumento foi constituído de dados sócios demográficos, condições de saúde e índice de avaliação de maus-tratos e abuso a idosos. No grupo Indicadores de Possível Abuso, encontrou-se diferença estatística significativa entre evidências possíveis de fraturas relacionada com a renda referente a aposentado (p=0,002), evidência possíveis de fraturas e estado civil relativo a viúvo (p=0,033); no grupo Indicadores de Possível Negligência, entre evidência possível de diarreia e estado civil referente a viúvo (p=0,001), evidência possível de desidratação e estado civil referente a viúvo (p=0,001);e, no grupo Indicadores de Possível Exploração, entre incapacidade de controlar dinheiro/bens e profissão aposentado (p=0,001), incapacidade de controlar dinheiro/bens e estado mental referente à alteração cognitiva sugestiva de déficit (p=0,001). Constatou-se no presente estudo que houve relação entre os sinais de violência e maus tratos nos idosos avaliados com a capacidade funcional, a nutrição baixa com o estado civil viúvo, a qualidade da pele com o comprometimento da capacidade funcional, a existência de fraturas com o estado civil viúvo e aposentado, diarreia e desidratação com estado civil viúvo, a incapacidade de controlar dinheiro e bens com aposentado e alteração cognitiva sugestiva de déficit nos achados.

Abstract

This study aimed to identify the relationship between sociodemographic data, health and signs of violence and abuse against the elderly. This is a descriptive exploratory study with a quantitative approach, carried out in five basic health units from Victory da Conquista/BA, sample of 310 elderly aged over 80 years. The instrument consisted of sociodemographic data, health and evaluation index mistreatment and abuse against the elderly. In the Possible Abuse Indicators group, a statistically significant difference was found between possible evidence of fractures and income related to retirees (p=0.002), possible evidence of fractures, and widow marital status (p=0.033). In the group Indicators of Possible Neglect between possible evidence of diarrhea and widowed marital status (p=0.001), possible evidence of dehydration and widowed marital status (p=0.001). And in the group Possible Exploitation Indicators between inability to control money/goods and retired profession (p=0.001), inability to control money/goods and mental state regarding cognitive impairment suggestive of deficit (p=0.001). It was found in the present study that there was a relationship between signs of violence and abuse in the elderly evaluated with functional capacity, low nutrition with widowed marital status, skin quality with impairment of functional capacity, the existence of fractures with widowed and retired marital status, diarrhea and dehydration with widowed marital status, inability to control money and assets with retirement, and cognitive impairment suggestive of deficit in the finding.


Palavras-chave


Violência; Idosos; Maus tratos ao idoso

Texto completo:

PDF

Referências


Duque AM, Leal MCC, Marques APO, Eskinazi FMV, Duque AM. Violência contra idosos no ambiente doméstico: prevalência e fatores associados (Recife/PE). ciênc. saúde colet. 2012; 17(8): 2199-2208.

Minayo MCS. O envelhecimento da população brasileira e os desafios para o setor saúde. cad. saúde pública 2012; 28 (2): 208-210.

Saraiva ERA, Coutinho MPL. A difusão da violência contra idosos: um olhar psicossocial. Psicol. soc. 2012; 24 (1):112-121.

Baldoni AO, Pereira LRL. O impacto do envelhecimento populacional brasileiro para o sistema de saúde sob a óptica da farmacoepidemiologia: uma revisão narrativa. rev ciênc farm Básica apl. 2011; 32(3): 313-321.

Irigaray TQ, Esteves CS, Pacheco JTB, Grassi-Oliveira R, Argimon IIL. Maus-tratos contra idosos em Porto Alegre, Rio Grande do Sul: um estudo documental. estud. psicol. 2016; 33(3): 543-551.

Gondim LVC. Violência intrafamiliar contra o idoso: uma preocupação social e jurídica. Escola do ministério público do estado do Ceará – ESMP. Universidade Estadual do Ceará – UECE, 2011.

Lima MLC, Souza ER, Lima MLLT, Barreira AK, Bezerra ED, Acioli RML. Assistência à saúde dos idosos vítimas de acidentes e violência: uma análise da rede de serviços sus no recife (PE, Brasil). ciênc. saúde colet. 2010; 15(6): 2677- 2686.

Bertolucci PHF, Brucki SMD, Campacci SR, Juliano Y. O Mini-Exame do Estado Mental em uma população geral: impacto da escolaridade. arq neuropsiquiatr 1994; 52(1): 01-07.

Fulmer T. Elder abuse and neglect assessment. dermatology nursing 2004; 16 (5): 473.

Trindade APNT, Barboza MA, Oliveira FB, Borges APO. Repercussão do declínio cognitivo na capacidade funcional em idosos institucionalizados e não institucionalizados. fisioter. mov. 2013; 26(2): 281-89.

Morés G et al. Avaliação funcional de idosos do CRASCentro de Referência da Assistência social de barra do garçasMT através da escala de equilíbrio de berg e mini exame do estado mental (MEEM), uma relação entre os fatores. revista eletrônica da unIVar 2013; 1(9): 17-23.

Silveira J, Scherer F, Deitos A, Bosco SMD. Fatores associados à hipertensão arterial sistêmica e ao estado nutricional de hipertensos inscritos no programa hiperdia. cad. saúde colet. 2013; 21 (2): 129-34.

Silva LOL, Dias CA, Rodrigues SM, Soares MM, Oliveira MA, Machado CJ. Hipertensão arterial sistêmica: representações sociais de idosos sobre a doença e seu tratamento. cad. saúde colet. 2013; 21 (2):121-8.

Santos AGP, Avarini SCI. Funcionalidade de idosos com alterações cognitivas em diferentes contextos de vulnerabilidade social. acta paul. enferm. 2011; 24(4): 520-6.

Souza ER, Minayo MCS. Inserção do tema violência contra a pessoa idosa nas políticas públicas de atenção à saúde no Brasil. cad. saúde colet. 2010; 15(6): 2659-2668.

Farias RG, Santos SMA. Influência dos determinantes do envelhecimento ativo entre idosos mais idosos. texto contexto-enferm 2012; 21(1): 167-76.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.3685

Apontamentos

  • Não há apontamentos.