Prevalência e impacto da fluorose dentária na qualidade de vida em escolares de uma ONG em Salvador, Bahia

Layana Santtana Freitas Sampaio, Tatiana Frederico de Almeida, Ricardo Araújo da Silva

Resumo


Introdução: Medidas de saúde de amplo impacto (fluoretação da água, dentifrícios fluoretados e aplicação de flúor), mas sem devidos controles, podem resultar no aumento da prevalência e gravidade da fluorose.  A avaliação demedidas subjetivas da saúde bucal na qualidade de vida, favorecida pela incorporação de dimensões clínicas e psicossociais, é requerida para estudos epidemiológicos de fluorose. Objetivos: descrever a prevalência e gravidade da fluorose dentária em escolares de uma Organização Não Governamental (ONG) e avaliar o impacto desse agravo na qualidade de vida. Metodologia: estudo de corte transversal, com crianças e adolescentes entre 10 a 17 anos de uma ONG do distrito Cabula-Beirú, Salvador-Bahia. A fluorose foi classificada através do Índice de Dean e seus impactos subjetivos avaliados através do Child Perception Questionnaire (adaptado ao Brasil). Resultados: Na amostra de 116 alunos, a prevalência da fluorose foi 65,5%, tendo o nível leve ocorrido em maior frequência (28,5%). Os escolares com fluorose relataram maior insatisfação com suas condições bucais do que aqueles sem este agravo (p<0,005). Conclusão: A alta prevalência da fluorose entre os jovens estudados aponta a necessidade de monitoramento da concentração de flúor na água daquela região e do uso de fluoretos nos dentifrícios nessa população. O impacto negativo da fluorose na qualidade de vida requer medidas de combate a esse problema de saúde.

Abstract

Introduction: Wide-ranging health measures such as fluoridation of water, use of fluoride dentifrices and application of fluoride when used without control can increase the prevalence and severity of fluorosis. Assessment of subjective measures of oral health related to quality of life combined with clinical and psychosocial dimensions is needed for epidemiological studies of fluorosis. Objectives: To describe the prevalence and severity of fluorosis in school children of a non-governmental organization – Cabula-Beirú district, Salvador-BA – and to assess its impact related to quality of life.  Methodology: cross-sectional epidemiological study with children and adolescents, from 10 to 17 years old. Fluorosis was classified with Dean’s Index. Subjective impacts of oral health were assessed through the Child Perception Questionnaire (adapted to Brazil). Results: From the sample of 116 students, the prevalence of fluorosis was 65.5%, and the mild level was 28.54%. Students with fluorosis reported greater dissatisfaction with their oral conditions than those without fluorosis (p <0.005). Conclusion: The results revealed that fluorosis prevalence was higher and this situation requires monitoring the concentration of fluoride in the water of that region and the use of fluorides in dentifrices in this population. The negative impact of fluorosis on quality of life requires measures to combat this health problem.


Palavras-chave


Fluorose; Epidemiologia; Prevalência; Qualidade de vida

Texto completo:

PDF

Referências


Cangussu MCT, Narvai PC, Fernandez RC, Djehizian V. A fluorose dentária no Brasil: uma revisão crítica. Cad. Saúde Pública 2002; 18(1): 7-15.

Do LG, Ha DH, Spencer AJ. Natural history and long-term impact of dental fluorosis: a prospective cohort study. MJA [online]. 2016; 204(1): 25e1-25e7.

Plaka K, Ravindra K, Mor S, Gauba K. Risk factors and prevalence of dental fluorosis and dental caries in school children of North India. Environ Monit Assess 2017; 189(40):2-9.

Garcia-Pérez A, Irigoyen-Camacho ME, Borges-Yáñez AS, Zepeda-Zepeda MA, Bolonha-Gallardo I, Maupomé G. Impact of caries and dental fluorosis on oral health-related quality of life: a cross-sectional study in schoolchildren receiving water naturally fluoridated at above-optimal levels. Clin Oral Invest 2017; 11(8): 371-377.

Zhou Y, Chen DR, Zhi QH, Tao Y, Wang X, Feng XP, et al. The prevalence and associate risk indicators of dental fluorosis in China: findings from the 4th National Oral Health Survey. Chin J Dent Res 2018; 21(3): 205-211.

Brasil. Ministério da Saúde. SB Brasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Moimaz SAS, Saliba O, Marques LB, Garbin CAS, Saliba NA. Dental fluorosis and its influence on children’s life. Braz Oral Res. 2015;29(1):1-7.

Secretaria Municipal de Saúde; Universidade Federal da Bahia. Condições de saúde bucal da população do município de Salvador, 2015. Salvador: SMS; 2015.

Oliveira Junior SR, Cangussu MCT, Lopes LS, Soares AP, Ribeiro AA, Fonseca LA. Fluorose dentária em escolares de 12 e 15 anos de idade. Salvador, Bahia, Brasil, nos anos 2001 e 2004. Cad. Saúde Pública 2006; 22(6): 1201-6.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes da política nacional de saúde bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Aoba T, Fejerkov O. Dental Fluorosis: Chemistry and Biology. Crit Rev Oral Biol Med 2002; 13(2): 155-70.

Buzalaf MAR. Kobayashi CAN, Magalhães AC, Philippi ST. Fontes de ingestão de fluoretos. In: Buzalaf MAR. Fluoretos e saúde bucal. São Paulo: Santos; 2013. p.11-26.

Lima LMS, Dantas-Neta NB, Moura WS, Moura MS, Mantesso A, Moura LFAD, et. al. Impact of dental fluorosis on the quality of life of children and adolescentes. Rev. Odontol. UNESP 2014; 43(5): 326-32.

Piovesan C, Ardenghi TM. Impacto da cárie e da fluorose dentária na qualidade de vida de crianças e adolescentes. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent. 2012; 66(1) :14-7.

Cascaes AM, Leão AT, Locker D. Impacto das condições de saúde bucal na qualidade de vida. In: Antunes JLF, Peres MA. Epidemiologia da saúde bucal. São Paulo: Santos; 2013. p.437-55.

Almeida TF, Cangussu MCT, Chaves SCL, Amorim TM. Condições de saúde bucal em crianças, adolescentes e adultos cadastrados em unidades de saúde da família do município de Salvador, estado da Bahia, Brasil, em 2005. Epidemiol. Serv. Saúde. 2012; 21(1): 109-118.

Freire MCM, Reis SCGB, Gonçalves MM, Balbo PL, Leles CR. Condição de saúde bucal em escolares de 12 anos de escolas públicas e privadas de Goiânia, Brasil. Rev. Panam Salud Publica 2010; 28(2): 86-91.

Carvalho RWF, Valois RBV, Santos CNA, Marcellini PS, Bonjardim LR, Oliveira CCC, et. Al. Estudo da prevalência da fluorose em Aracaju. Ciênc. saúde coletiva 2010; 15(1): 1875-1880.

Moura MS, Barbosa PRR, Nunes-dos-Santos DL, Dantas-Neta NB, Moura LFAD, Lima MDM. Vigilância epidemiológica da fluorose em município de clima tropical com água de abastecimento público fluoretada. Ciênc. saúde coletiva 2016; 21(4): 1247-1254.

Silva APA, Pinto FD, Coutinho TL, Abreu MHNG. A fluorose dentária e a auto-percepção de saúde bucal entre adolescentes brasileiros. Arq. Odontol. 2007; 43(3): 85-91.

Michel-Crosato E, Biazevic MGH, Crosato E. Relationship between dental fluorosis and quality of life: a populationbased study. Braz. Oral Res. 2005; 19(2): 150-5

Gevara P, Mouri H, Moronga G. Occurrence of fluorosis in a population living in a high-fluoride groundwater area: Nakuru area in the Central Kenyan Rift Valley. Environ Geochem Health 2019; 41(2): 829-840.

Nilchian F, Asgary I, Mastan F. The Effect of Dental Fluorosis on the Quality of Life of Female High School and Precollege Students of High Fluoride-Concentrated Area. J Int Soc Prev Community Dent. 2018; 8(4): 314-319.

Neurath C, Limeback H, Osmunson B, ConnettM, Kanter V, Wells C R. Dental Fluorosis Trends in US Oral Health Surveys: 1986 to 2012. JDR Clinical & Translational Research. 2019; 4(4).

Cury JA. Uso do flúor e controle da cárie como doença. In: Baratieri LN, Andrada MAC, Vieira LCC, Ritter AV, Cardoso AC. Odontologia restauradora: fundamentos e possibilidades. São Paulo: Santos Editora; 2004. p. 33-68.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.4367

Apontamentos

  • Não há apontamentos.