Avaliação da produtividade dos Centros de Especialidades Odontológicas do Extremo Sul da Bahia, 2016

Ântoni de Pádua Cordeiro Souto, Bartolomeu Conceição Bastos Neto, Rodolfo Macedo Cruz Pimenta, Lília Paula de Souza Santos

Resumo


Objetivo: Avaliar o cumprimento de metas dos procedimentos realizados nos Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) da região Extremo Sul da Bahia. Método: Estudo descritivo ecológico utilizando dados secundários oriundos do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e do Sistema de Informações Ambulatoriais do Sistema Único de Saúde do ano 2016. Para avaliação do desempenho utilizou-se o Indicador do Cumprimento Global de Metas. Foram levantados também variáveis de caracterização estrutural dos serviços e os índices socioeconômicos dos municípios. Resultados: Observou-se que das dez cidades avaliadas apenas uma obteve desempenho ótimo por ter cumprido a meta em todas especialidades, sendo esta a cidade de Eunápolis. As cidades de Alcobaça, Porto Seguro e Teixeira de Freitas foram classificadas com desempenho Regular por terem cumprido a meta em apenas duas especialidades. As cidades Itanhém, Medeiros Neto e Nova Viçosa cumpriram a meta apenas em uma especialidade, classificadas então com desempenho Ruim. As cidades Itamaraju, Itabela e Prado foram as que tiveram péssimo desempenho, pelo não cumprimento da meta em nenhuma especialidade. Conclusão: Os achadosobtidos demonstram que a maioria dos estabelecimentos tiveram dificuldades no cumprimento das metas.


Palavras-chave


Atenção secundária; Centro de especialidades odontológicas; Avaliação de serviços de saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. 292 p.

Paiva CHA, Teixeira LA. Reforma sanitária e a criação do Sistema Único de Saúde: notas sobre contextos e autores. Hist. ciênc. saúde-Manguinhos 2014; 21(1): 15-35.

Frazão P, Narvai PC. Saúde bucal no sistema único de saúde: 20 anos de lutas por uma política pública. Saúde debate 2009; 33(81): 64-71. Rev. Saúde Col. UEFS, Feira de Santana, Vol. 9: 119-127 (2019)

Almeida Junior LJSA, Vieira DRP, Rodrigues VP, Lopes FF. A inserção da saúde bucal na Estratégia Saúde da Família no estado do Maranhão (2002-2011). Rev Pesq Saúde2014; 15(3): 356-59.

Carvalho MD, Santos NR,Campos GW. A construção do SUS e o planejamento da força de trabalho em saúde no Brasil: breve trajetória histórica. Saúde debate 2013; 37(98): 372-87.

Chaves SCL. Política de saúde bucal no Brasil: teoria e prática. Salvador: EDUFBA; 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde - SAS. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: SAS; 2004.

Manfredini M A. Mercado de produtos de higiene bucal no Brasil: uma análise crítica. In: Moysés SJ, Goisman S. Programa de Atualização em Odontologia Preventiva e Saúde Coletiva. Porto Alegre: Artmed; 2009. p. 61-87.

Sancho LG, Dain S. Avaliação em Saúde e Avaliação Econômica em Saúde: introdução ao debate sobre seus pontos de interseção. Ciênc. saúde coletiva 2012;17(3) :765-74.

Figueiredo N, Goes PSA. Construção da atenção secundária em saúde bucal: um estudo sobre os Centros de Especialidades Odontológicas em Pernambuco, Brasil. Cad. saúde pública 2008; 25(2): 259-67.

Bulgareli JV, Faria ET, Ambrosano GMB, Vazquez FL, Cortellazzi KL, Meneghim MC, Mialhe FL, Pereira AC. Informações da atenção secundária em Odontologia para avaliação dos modelos de atenção à saúde. Rev. odontol. Unesp 2013; 42 (4):229-36.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde - SAS. Sala de Apoio à Gestão Estratégica (SAGE). Brasília: 2018.

Marques PLP, Junior ARF, Saraiva RS, Cariosa SPB, Pequeno LL, Vieira LJES. Análise de desempenho de Centro de Especialidades Odontológicas Regional no Ceará, Brasil. Saúde (Sta Maria)2017; 43(3): 1-8.

Thomaz EBAF, Fonseca EBA, Sousa GMC, Queiroz RCS, Coimbra LC. Avaliação do cumprimento das metas de produtividade em Centros de Especialidades Odontológicas no Maranhão, 2011. Epidemiol. Serv. Saúde 2016; 25(4):807-18.

Cortellazzi KL, Balbino EC, Guerra LM, Vazquez FL, Bulgareli JV, Ambrosano GMB, Pereira EC, et al. Variáveis associadas ao desempenho de Centros de Especialidades Odontológicas no Brasil. Rev. bras. epidemiol. 2014; 17(4): 978-88.

Moura FRR,Tovo MF, Celeste RK. Cumprimento de metas dos Centros de Especialidades Odontológicas da Região Sul do Brasil. Rev. Salud Pública 2017; 19(1): 86-93.

Santana DA, Santos LPS, Carvalho FS, Carvalho CAP. Desempenho dos Centros de Especialidades Odontológicas de uma Região de Saúde da Bahia. Cad. saúde colet. 2015; 23(3):261-67.

Freitas HSMF, Lemos GA, Pessoa TRRF, Araújo MF, Forte FDS. Atenção em saúde bucal: avaliação dos centros de especialidades odontológicas da Paraíba. Saúde debate 2016; 40(108): 131-43.

Lino PA. Análise da atenção secundária em saúde bucal no estado de Minas Gerais, Brasil. Ciênc. saúde coleta 2014: 19(9): 3879-88.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria no 1.464/GM, de 24 de

junho de 2011. Altera o Anexo da Portaria no 600/GM/ MS, de 23 de março de 2006, que institui o financiamento dos Centros de Especialidades Odontológicas (CEO). Diário Oficial da União [DOU]. Brasília; 2011.

Herkrath JF, Herkrath APCQ, Costa LNBS, Gonçalves MJF. Desempenho dos Centros de Especialidades Odontológicas frente ao quadro sociodemográfico dos municípios do Amazonas, Brasil, 2009. Saúde debate 2013; 37(96): 148-58.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.4379

Apontamentos

  • Não há apontamentos.