Situação epidemiológica das leishmanioses em Uberlândia, Minas Gerais

Ailton Gonçalves da Silva-Filho, Dayane Martins do Carmo, Adriano Soares Marques, Marcelo Pellizzaro Dias Afonso, Stefan Vilges de Oliveira

Resumo


Objetivo: Descrever o perfil epidemiológico da leishmaniose visceral (LV) e da leishmaniose tegumentar (LT) no município de Uberlândia, Minas Gerais. Métodos: Este é um estudo descritivo, quantitativo e baseado em dados secundários do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), cujo período para análise foi de janeiro de 2008 a dezembro de 2017. Resultados: Foram notificados 23 casos confirmados de LV e 86 de LT, cujas incidências médias anuais foram, respectivamente, 0,36 e 1,33 casos por 100.000 habitantes. Ambas as doenças apresentaram acometimento mais frequente do sexo masculino, da população entre 50 e 64 anos e na zona urbana. Conclusão: Os achados justificam a necessidade de promoção de medidas afirmativas contrárias à expansão destas doenças e de estudos mais aprofundados sobre a realidade uberlandense.

Abstract

Objective: Describing the epidemiological profile of visceral leishmaniasis (LV) and tegumentary leishmaniasis (LT) in the city of Uberlândia, Minas Gerais. Methods: This is a descriptive, quantitative and secondary data-based study of the SINAN reporting system, whose period of analysis was from January 2008 to December 2017. Results: A total of 23 confirmed cases of LV and 86 of LT, whose annual average incidence was, respectively, 0.36 and 1.33 cases per 100,000 inhabitants. Both diseases had a more frequent involvement of males, of the population between 50 and 64 years old and in the urban zone. Conclusion: The findings justify the need to promote affirmative measures that are contrary to the expansion of these diseases and further studies on the reality of Uberlandia.


Palavras-chave


Epidemiologia; Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Mucocutânea; Leishmaniose Visceral, Vigilância em Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Anversa L, Tiburcio MGS, Richini-Pereira VB, Ramirez LE. Human leishmaniasis in Brazil: A general review. rev. ass. Med. Bras. 2018; 64(3): 281-89.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de vigilância e controle da leishmaniose visceral. Série A. Normas e Manuais Técnicos 2006. Brasília: Ministério da Saúde; 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de vigilância da leishmaniose tegumentar americana. Brasília: Ministério da Saúde; 2017.

Torres-Guerrero E, Quintanilla-Cedillo MR, RuizEsmenjaud J, Arenas R. Leishmaniasis: a review. F1000 res. 2017; 6:750. Doi: 10.12688/f1000research.11120.1

World Health Organization (WHO). Leishmaniasis. Epidemiology. Disponível em: . [2018 dez 17].

Alawieh A, Musharrafieh U, Jaber A, Berry A, Ghosn N, Bizri AR. Revisiting leishmaniasis in the time of war: the Syrian conflict and the Lebanese outbreak. Int J Infect dis 2014; 29: 115-119.

Bevilacqua PD, Paixão HH, Modena CM, Castro MCPS. Urbanização da leishmaniose visceral em Belo Horizonte. arq. Bras. Med. Vet. Zootec. 2008; 53(1): 1-8.

Temponi AOD, Brito MGD, Ferraz ML, Diniz SDA, Cunha TND, Silva MX. Ocorrência de casos de leishmaniose tegumentar americana: uma análise multivariada dos circuitos espaciais de produção, Minas Gerais, Brasil, 2007 a 2011. cad. saúde Pública 2018; 34, e00165716.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cidades. Disponível em:. [2018 dez 14].

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde: volume 1/ atual.” Brasília: Ministério da Saúde; 2017. p. 9983-3220.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução N° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprovar as seguintes diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponível em: . [2019 ago 10].

Vita GF, Pereira MAVD, Ferreira I, Sanavria A, Barbosa CG, Aurnheimer RDCM, et al.Status of the American tegumentary Leishmaniasis in the State of Rio de Janeiro, Brazil, from 2004 to 2013. rev. Inst. Med. trop. 2016; 58: 71.

Brasil. Ministério da Saúde. Leishmaniose visceral: recomendações clínicas para redução da letalidade. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Costa DL, Rocha RL, Chaves EBF, Batista VGV, Costa HL, Costa CHN. Predicting death from kala-azar: construction, development, and validation of a score set and accompanying software. rev. soc. Bras. Med. trop. 2016; 49(6): 728-740.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.4435

Apontamentos

  • Não há apontamentos.